Alguns cuidados com as correntezas

Infelizmente pouca atenção é dada ao item “correnteza” nos cursos de mergulho atualmente ministrados pelo Brasil.

Basicamente, uma correnteza é o movimento de um grande volume d’água em direção à uma determinada direção, devido a movimentação das marés. No caso do mergulho, devemos tomar o cuidado para não cair em uma correnteza não programada no mergulho, afim de, não se distanciar da embarcação de mergulho ou do ponto de partida como uma praia, ilha, costão, ou até mesmo ficar à deriva.

Cair em uma correnteza, significa ter que nadar bastante para retornar ao local de partida, e dependendo da força da correnteza, o mergulhador pode acabar necessitando que a embarcação de mergulho vá buscá-lo.

Locais onde normalmente encontramos correntezas

Praias – Quando estamos na praia e sentimos uma correnteza seguindo em direção paralela à praia, resume-se em um grande fluxo que segue em direção à praia, e ao chegar na areia, realiza um retorno em forma circular, retornado com grande força em direção ao alto mar. Neste caso, o mergulhador que estiver realizando um mergulho saindo de praia e seja pego de surpresa, deve nadar em direção à praia, porém, em sentido perpendicular à reta da mesma.

Desta forma, você conseguirá em dado momento, sair do fluxo que retorna para o mar aberto e conseguirá chegar até a areia com menos esforços. A maior causa de mortes por afogamentos de banhistas, é a falta de conhecimento em saber nadar seguindo este processo. Normalmente os banhistas tentam nadar em linha reta à praia, brigando contra o fluxo que o levou para longe da praia. Além de cansar rapidamente, este por sua vez acaba não conseguindo sair do lugar.

Grafico-Correntes

Ao redor de ilhas – Muito comum em ilhas localizadas em mar aberto, terem correntes contornando a mesma. Quando se mergulha em uma ilha onde tenha esta condição, deve-se nadar contra a correnteza e utilizar 1/2 ou 1/3 da pressão do cilindro na ida, para realizar um retorno à favor da correnteza com uma quantidade de gás adequada para um retorno seguro. Desta forma, você não precisará bater pernas e além de você ir em direção à embarcação de mergulho sem grandes esforços.

Antes do mergulho, verifique na bússola e memorize a angulação da ilha e a direção para qual se deseja prosseguir. Com essas informações, você sempre saberá para que lado estará a ilha e qual direção seguir. No gráfico abaixo, repare que a correnteza segue em direção à embarcação. O mergulhador deve seguir contra esta correnteza na ida, para retornar à favor da mesma.

Lajes e Parcéis – Normalmente por terem dimensões inferiores às ilhas e estarem na maioria das vezes submersos, o cuidado deve ser redobrado. No caso de fortes correntes, é aconselhável não mergulhar, pois a chance do mergulhador acabar perdendo a referência do ponto de início do mergulho é grande.

Em alguns locais, é comum o mergulho na especialidade Drift Dive (mergulho em correnteza), onde o mergulhador não bate pernas e deixa seu corpo ser levado pela correnteza, com a embarcação de mergulho seguindo os mergulhadores na superfície até o final do mergulho. Neste caso, deverá haver uma equipe experiente à bordo e no mergulho, e que o mergulho seja planejado e tratado de forma adequada.

Veja abaixo um exemplo de uma laje submersa abaixo:

Grafico-Correntes2

Alguns cuidados básicos

Areião – Mergulhando em costão, evite se distanciar. Você pode perder a referência de direção e acabar não sabendo para que lado fica o costão.

Mergulhos Noturnos – Nesse tipo de mergulho, os cuidados para não cair em uma correnteza e atenção à bússola, devem ser redobrados. Neste caso, dependendo do local, o uso de um flash strobo fixado ao cabo da âncora do barco, é aconselhável, pois facilita a visualização dos flashs embaixo d’água, ajudando na orientação do mergulhador.

Marés – Se você não vai mergulhar com uma operadora de mergulho, tenha atenção especial a mudança de marés. Veja o melhor horário para que não seja pego de surpresa com mudanças repentinas das correntes.

Ao mergulhar esteja sempre atento as condições de mar e ar. Na maioria das vezes, podemos prever tais alterações e nos precaver de problemas que possam aparecer.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.