AquaRio – O Aquário Marinho do Rio de Janeiro

Recentemente a administração pública da cidade do Rio de Janeiro, diante tantos projetos de melhorias na cidade, em virtude da copa do mundo e das olimpíadas, vêm alterando diversas regiões da cidade e construindo novas áreas com moderna arquitetura, mais edifícios e serviços, que por fim, trarão grandes benefícios à cidade.

Em uma das alterações na estrutura de ruas e avenidas, foi decido alterar toda a região do porto do Rio de Janeiro, uma região que estava totalmente abandonada, sem nenhum aproveitamento e extremamente perigosa, principalmente à noite.

Com essa mudança, um grande projeto foi lançado e contempla a construção de um imenso aquário marinho 100% privado, e que será o maior da América Latina.

Muitos gostaram da idéia, pois a cidade do Rio de Janeiro recebe muitos turistas, e será um atrativo a mais para todos que chegam à cidade para conhecê-la

Apesar dessa modernização na cidade, o assunto gerou certa polêmica, pois algumas pessoas questionaram a construção do aquário, pois afirmam ser contra o “aprisionamento” de seres marinhos em ambientes fechados.

Uma polêmica

Um dos grandes problemas que a humanidade vem encontrando, é a diminuição de seres terrestres e marinhos em todo o mundo, como é o exemplo da caça indiscriminada das baleias e golfinhos pelos caçadores japoneses e ursos pandas pelos caçadores chineses, por exemplo. Atualmente centenas, ou talvez, milhares de espécies, estão sendo extintas, e ONG´s e instituições em todo o mundo, vêm realizando protestos com intuito de chamar atenção da população mundial para o problema, pois se nada for feito, as próximas gerações irão sofrer com todo esse descaso.

No caso do AquaRio, nome dado ao projeto do aquário que está sendo construído no Rio de Janeiro, alguns ambientalistas chegaram a fazer um protesto em razão da construção do aquário, alegando um “aprisionamento” desnecessário e maléfico dos seres que serão expostos por lá, porém, como tudo na vida, há dois lados e precisamos analisar o caso para não ter opiniões subjetivas e incoerentes.

AquaRio1

Aquários marinhos no mundo

Quando se fala em aquário marinho, a grande maioria das pessoas logo cogitam em um pequeno espaço envidraçado dentro de uma residência, com vários peixinhos coloridos e outros seres marinhos, como anêmonas, moréias e coisas do tipo, o que de fato, não traz benefícios à população e muito menos, aos seres marinhos. No caso dos aquários públicos de grande porte, é uma situação muito diferente.

Grandes aquários como os de Atlanta e Monterey nos Estados Unidos, Okinawa no Japão, Atlantis das Bahamas e Dubai, e do hotel Radisson na Alemanha, tem como conceito, expor as belezas marinhas e “levar a pessoa até o fundo do mar”, para que ela conheça e admire os seres marinhos ali expostos e reflita sobre a preservação do meio ambiente. Comprovadamente, esses grandes aquários mudam o conceito de preservação do meio ambiente dos visitantes. Tive a felicidade de poder conhecer vários desses grandes aquários, e é notório o quanto os visitantes ficam perplexos com a beleza à sua frente.

Aquários como os de Monterey e Atlanta, nos Estados Unidos, investem pesado no aprendizado tanto das crianças como dos adultos inclusive. Normalmente gasta-se a maior parte do dia admirando os aquários, que contemplam palestras e exibição de filmes, contribuindo no conhecimento de todos os visitantes.

Durante a minha visita ao aquário de Monterey, na Califórnia, perguntei a uma menina o que ela estava achando do lugar e ela disse “pra mim, está sendo uma experiência inesquecível, pois não sabia como os peixes eram tão bonitos e que no mar havia tanta beleza. Temos que cuidar deles”, disse Julie de 12 anos”.

Outro aspecto importante, é quanto à possibilidade de estudos e pesquisas por alunos da área de ciências biológicas, pois com esse ambiente disponível aqui no Brasil, alunos e pesquisadores terão a possibilidade de ampliar seus conhecimentos na área científica. Logo, imaginar que um ambiente desses é um problema na sociedade, não é verdade, pois através dele, será possível fazer com que as pessoas tenham ciência, dêem mais valor e mudem seus conceitos sobre a preservação de nossos mares.

AquaRio2

O aquário e sua estrutura

O projeto do AquaRio é grande, complexo e bem elaborado. Envolve um investimento alto, e que contará com profissionais de alto gabarito, pois será o maior aquário da América do Sul, tendo 22.000m² de área construída, 4.5 milhões de litros de água, 8.000 animais de 350 espécies diferentes em exposição, além de diversas outras atrações.

Uma das grandes atrações será o tanque principal, com 3.5 milhões de litros de água, 7m de pé-direito e um túnel passando por seu interior, com uma combinação da impressionante massa d’água com grande quantidade de seres marinhos, o que proporcionará a oportunidade do visitante “mergulhar” com peixes, arraias e tubarões. Além disso, haverá outros 24 tanques secundários e áreas específicas, onde o público (especialmente crianças) poderá interagir com alguns dos animais expostos.

Exposições permanentes e temporárias sobre os mais variados temas relacionados ao ambiente aquático, estarão disponíveis para agregar conhecimento ao visitante e para garantir a preservação de acervos e coleções científicas.

Haverá um centro de educação ambiental que promoverá palestras, eventos, festivais e cursos relacionados às questões ambientais, além de um centro de pesquisa científica, que a partir do manejo e manutenção dos animais em cativeiro, realizará pesquisas científicas nas diversas áreas da biologia e veterinária, havendo contato direto com universidades e centros de pesquisa.

Quanto à procedência dos animais, todos os procedimentos como transporte, tratamento e acomodação do plantel para exposição, serão sempre pautados pelo respeito à vida e bem-estar dos animais, sendo que muitos serão doados por entidades reconhecidas pelo Governo Federal, estando em conformidade com a legislação e com o controle do IBAMA.

O AquaRio é sem dúvida, um grandioso projeto, que conta com o apoio de profissionais de reconhecimento nacional, como Guy Marcovaldi (criador do Projeto TAMAR), o ambientalista José Truda Palazzo Jr. (criador do Projeto Baleia Franca), e o biólogo Maurício Hostim (criador do Projeto Meros do Brasil). O AquaRio será um equipamento moderno e multifuncional, com aquário real e virtual, museu de ciências, centro de pesquisas científicas, centro de educação ambiental e centro de conservação da biodiversidade.

Vale ressaltar, que o empreendimento é liderado pelo tão reconhecido Marcelo Szpilman, biólogo marinho com mais de 20 anos de trabalho efetivo na área de preservação e proteção de animais marinhos, autor de cinco livros na área (Guia Aqualung de Peixes, Aqualung Guide to Fishes, Seres Marinhos Perigosos, Peixes Marinhos do Brasil e Tubarões no Brasil), sendo o diretor-presidente do AquaRio e membro do Conselho da Cidade do Rio de Janeiro na área de Meio Ambiente e Sustentabilidade).

Segundo o biólogo Marcelo, a inauguração está prevista para final de 2015.

Resumindo, é um projeto grande, sério e tocado por profissionais que desejam trazer não só as belezas marinhas, mas o conhecimento, estudos, pesquisas e ampliar o número de pessoas que buscam preservar as belezas deste país.

Mais informações sobre o projeto do AquaRio, podem ser encontradas diretamente no site oficial www.aquariomarinhodorio.com.br

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.