Batente das Agulhas – Um mergulho surreal

Foto: Ruver Bandeira

Existe um mergulho incrível nas claras águas da cidade de Natal no Rio Grande do Norte e que segundo muitos, pode ser considerado como um dos três melhores pontos de mergulhos do nosso País. Não é exagero não, pois além de você mergulhar em um mar de ótima visibilidade, girando em torno dos 15 aos 25m, a temperatura da água é muito agradável, média de 27°C, com riqueza marinha surpreendente do mar nordestino.

Foto: Ruver Bandeira
Foto: Ruver Bandeira

O chamado “Batente das Agulhas” na verdade refere-se a uma formação rochosa, ou melhor, uma laje grande com cerca de 1.000m² em forma de batente, distante 25Km da costa, apresentando como característica física marcante, a presença de diversas colunas fossilizadas e incrustadas nos corais com até 2m de altura, que segundo alguns estudiosos, podem ter sido coqueiros ou troncos de árvores que foram petrificados com tempo.

O lugar apresenta pequenas grutas e diversos arcos de pedras de arenito, formados em função da erosão causada pela força das marés, estruturas essas, que embelezam a paisagem subaquática local fazendo a alegria dos fotógrafos subaquáticos e dos mergulhadores que visitam e se encantam pelo imponente ponto de mergulho.

Natal: A capital potiguar

Sobre a bela e aconchegante cidade Potiguar, com uma área de 167.263 km², é a segunda menor capital brasileira em extensão e possui uma população estimada em cerca de 862.000 habitantes. Também conhecida como a “Capital Espacial do Brasil”, devido às operações da primeira base de foguetes da América do Sul, o Centro de lançamento da Barreira do Inferno, hoje localizada no município de Parnamirim.

batente-das-agulhas4

Natal é considerada por muitos, como a capital brasileira dos mergulhos em recifes de corais, onde normalmente a cidade é ensolarada e sempre quente o ano todo. Apresenta uma culinária tipicamente regional, onde um dos seus pontos mais fortes, é a carne de charque ou carne-de-sol, como é conhecida popularmente. Não podemos esquecer do artesanato.

A principal fonte econômica está centrada no setor terciário com seus diversos segmentos de comércio e prestação de serviços de várias áreas, como na educação e saúde, porém o turismo é uma atividade em crescente expansão. Ainda sobre o turismo a cidade possui diversas atrações turísticas espalhadas em seu território, como:

Canto do Mangue – Local onde pode ser visto o mais belo pôr do sol da cidade;

Catedral Metropolitana – Inaugurada em 1988;

Centro Histórico – Onde se localizam importantes monumentos como o Espaço Cultural Palácio Potengi, o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, o Memorial Câmara Cascudo, o Museu de Arte Sacra e o Museu da Cultura Popular;

Fortaleza dos Reis Magos – Construída em 06/01/1598 (dia dos reis magos, daí seu nome) e considerada como o marco inicial da cidade;

Mercado da Rendinha – Uma das principais atrações da Rendinha, uma antiga vila de pescadores e muito frequentada por pescadores natalenses;

Parque das Dunas – Área protegida com uma reserva de 1.172 hectares de Mata Atlântica, localizada dentro da área de urbana de Natal;

Praia de Ponta Negra – Localizada a 14Km do centro da cidade, onde se encontra o famoso Morro do Careca, um dos mais belos cartões-postais de Natal, dentre outros.

Foto: Ruver Bandeira
Foto: Ruver Bandeira

O mergulho

O mergulho no batente das Agulhas atinge em média os 20m de profundidade, podendo alcançar no máximo os 24m, e por isso, é exigido que o mergulhador tenha certificação de avançado.

Nossa viagem teve como ponto de partida o píer situado no Iate Clube de Natal e até chegar ao ponto de mergulho, foram 2:20hs, em um mar que sempre bate um pouco, variando conforme a época do ano, devido à influência dos ventos quase sempre presentes nessa região.

Foto: Ruver Bandeira
Foto: Ruver Bandeira

Caindo na água

O primeiro mergulho teve uma duração aproximada de 40m e de cima do barco, pela era possível ver o fundo devido à claridade da água.

O momento chegou e realmente no fundo vimos um lugar “surreal”, com beleza e estrutura única, e que ficará guardado na mente de todos os que ali estavam.

Esponjas gigantes e multicoloridas em meio a cardumes de xiras, jaguareças, salemas, cocorocas pequenas, quase sempre presentes nas águas nordestinas. Frades enormes e muitos ciliares, peixes-anjo, pequenos badejos, garoupas, budiões, moréias verdes, peixes papagaios, e muitos outros.

Foto: Ruver Bandeira
Foto: Ruver Bandeira

A dificuldade no início era se concentrar para saber escolher o que fotografar já que as possibilidades eram muitas, e por isso, acabávamos ficando perdidos em meio a tanta beleza e diferenças em relação aos outros pontos de mergulho no País.

No segundo mergulho, apesar do mar estar bem mais mexido e logo na decida percebemos seria a dificuldade em fotografar será bem maior que no primeiro mergulho, pois o mar mais agitado, passou a levantar grande quantidade de algas e sedimentos, prejudicando a qualidade da imagem.

A quantidade de peixes é muito grande, principalmente de tesourinhas, tricolores, bodiões papagaios e, até mesmo um pequeno cavalo marinho em meio às esponjas. É um festival de cores e beleza, inclusive com a presença ilustre de uma bela tartaruga vista por outros colegas quando eu já me encontrava na parada de segurança.

Após a subida é hora de cada um expressar como foi o mergulho, e de mostrar a satisfação de estar em um lugar com paisagens únicas. Não perca tempo e venha desfrutar de tamanha beleza que é mergulhar por lá, pois a temporada começa em setembro e vai até maio.

Ruver Bandeira

Natural de Fortaleza-CE, é graduado em Geografia, Especialista em Educação, Gestão Escolar, e já participou como facilitador de cursos em educação ambiental.

Além de fotógrafo subaquático, é Rescue Dive pela PADI, e iniciou sua paixão pelo mergulho e fotografia no ano de 1998, após uma viagem realizada ao arquipélago de Fernando de Noronha.

Já escreveu diversos artigos para publicações especializadas em mergulho, registrando suas viagens com o objetivo de mostrar as belezas naturais como a importância da preservação.