Caixas Estanques – Alguns cuidados

Foto: Clécio Mayrink

Pouco se fala sobre a manutenção de caixas estanques. Para uma durabilidade maior, todo mergulhador deveria seguir alguns procedimentos básicos, mais infelizmente, são poucas as informações disponíveis na internet, até pelo fato do número de mergulhadores que realizam filmagens submarinas, ainda ser baixo.

Basicamente após cada mergulho, o mergulhador deve colocar todo o seu equipamento de filmagem sub em algum recipiente com água doce, para não deixar que o sal não se cristalize, caso contrário, pequenas partículas de sal irão contribuir para o ressecamento dos o-ring’s (anéis de vedação), facilitando o alagamento do compartimento, e consequentemente, a perda do equipamento.

Ao chegar em terra, mantenha o equipamento imerso em água doce por pelo menos 2h.

Feto isto, seque o equipamento e lubrifique todos os o-rings com uma pasta de silicone adequada, limpe todas as áreas onde os o-ring’s ficam alojados, e com uma pinça, remova os possíveis grãos de areia que ainda persistirem.

Recarrague as baterias e evite deixá-las que se descarreguem com o tempo, pois guardá-las sem carga ou por muito tem sem utilizá-las, acarretará em efeito memória.

Antes de mergulhar

– Verifique se as baterias estão completamente recarregadas;

– Veja se as lentes estão limpas, e caso utilize lente grande angular, limpe a mesma com um papel fotográfico ou flanela adequada;

– Nunca monte seu equipamento no mar, pois a maresia poderá afetar os componentes eletrônicos de sua câmera;

– Durante o transporte, utilize uma bolsa térmica, e se possível, uma com boa vedação, para evitar uma possível condensação do ar por exposição à ambientes com ar condicionado do carro ou do avião;

– Confira se a fita está na câmera;

Seguindo esses procedimentos básicos, você garantirá uma durabilidade maior do seu equipamento, e com certeza, maior tranquilidade ao sair para mergulhar e filmar.

Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.