Cavernas de Akumal

Foto: Wikimedia Commons

Após uma semana de mergulhos recreativos com água muito clara e bastante quente (30ºC) em Cozumel, seguimos para Akumal, local considerado o sonho de muitos cave divers, por possuir as cavernas mais lindas e decoradas do mundo.

O principal objetivo da viagem, além de conhecer as maravilhosas cavernas, era finalizar o Curso de Cave Diver em São Paulo, onde a primeira parte foi ministrada na Mina da Passagem, em Mariana-MG. Os requisitos da certificação do Curso de Cave Diver exigem que o mergulhador complete três entradas de caverna diferentes e Akumal possui várias cavernas sendo, portanto um excelente lugar para conclusão de curso.

Foto: Ricardo "Lalo" Meurer - Scuba Point
Foto: Ricardo “Lalo” Meurer – Scuba Point

O local

Akumal é um pequeno pedaço de paraíso localizada no Caribe, na Península de Yucatán e há 104 Km ao sul da cidade de Cancun, mais ou menos 1:20h de carro, no México. É considerado um dos melhores pontos de mergulho em caverna no mundo, sendo uma excelente opção para os mergulhadores recreacionais, pois existem mais 30 recifes diferentes para mergulhar.

Para quem não é tão aficionado por mergulho como a gente ou para quem pretende levar o seu companheiro(a) que não mergulha, Akumal oferece várias outras opções além do mergulho: surf,  snorkeling no Sistema Dos Ojos e passeios maravilhosos como, por exemplo, as Ruínas Mayas de Tulum, Yalku Lagoon, Xcaret que é um parque ecológico, Aktun Chen (caverna seca), Xel-Há Eco Park, e vários outros.

A temperatura de setembro a abril gira em torno dos 26ºC, e 31ºC nos meses restantes. Há uma brisa marinha ininterrupta, e ocasionalmente você precisa de um suéter durante os meses de inverno. Os meses de setembro e outubro são considerados períodos de ocorrências de furacões e nossa viagem foi justamente nessa época, mas tivemos a sorte de não sermos prejudicados por esse motivo. O furacão Ivan passou muito perto de onde estávamos, mas nem vimos sinal dele. Cancun (que fica muito perto) ficou em estado de alerta durante dois dias e os mergulhos em Cozumel foram cancelados nessa semana.

Pudemos notar que o pessoal da região se prepara para a vinda dos “Hurricanes” colocando tapumes nas janelas, adesivos nos vidros para  não estilhaçar com o vento forte e em quase todos os lugares existem placas informativas sobre evacuação em caso de furacões.

Durante os dias em que estava previsto passar o Furacão Ivan muitos lugares em Akumal foram fechados (escolas, supermercados, restaurantes…) e a lei seca passa a vigorar não permitindo que nem mesmo os turistas comprem bebidas alcoólicas.

Akumal3
Foto: Ricardo “Lalo” Meurer – Scuba Point

Nosso treinamento e os mergulhos

Em Akumal ficamos hospedados no que eles chamam de “condos”, que são apartamentos compartilhados equipados com cozinha, sala e tv. Esses apartamentos são abastecidos com alimentos para o café da manhã e cada grupo prepara o seu. Agradou-me muito esse tipo de hospedagem, pois a interação entre o grupo de mergulho fica bem maior e mais frequente. Éramos um grupo formado por mais ou menos 20 pessoas no total, sendo distribuídos em 6 apartamentos. Os apartamentos ficavam de frente para o mar e toda manhã e fim da tarde os grupos se reuniam em um dos apartamentos para trocar idéias, falar logicamente sobre os mergulhos, baixar fotos no laptop, comer alguns petiscos, entre outras coisas.

Vale a pena ressaltar que a base de mergulho e recarga de cilindros era na própria pousada onde estávamos hospedados o que facilitava em muito a operação de mergulho e toda a logística.

Na primeira manhã montamos todos as duplas em frente da pousada, arrumamos os equipamentos menores em caixas do tipo engradado e cada grupo seguia com um guia numa Van até o ponto de mergulho. Entre um mergulho e outro fazíamos um lanche que era levado na Van (sanduíches, frutas e refrigerantes) e conversávamos sobre o mergulho feito, além de tirar várias fotos do local. O segundo mergulho era feito em outro ponto e as duplas eram novamente montadas. O guia do nosso grupo, Gonzalo Vaccalluzzo sempre explicava o próximo mergulho desenhando em uma prancheta o croqui da caverna, o fluxo de água, os jumps que faríamos, restrições a serem percorridas, profundidades e tempo de mergulho. Essa maneira de dar o briefing do mergulho foi muito apreciada por todos. Ficava muito claro para todos qual seria o mergulho.

Em Akumal só existem duplas de alumínio (S80), então foi necessário colocar algum peso entre a dupla e a asa para garantir uma boa flutuabilidade.

A maioria das cavernas tinha uma boa estrutura contendo uma espécie de plataforma para que pudéssemos nos equipar confortavelmente antes de cair na água. Outro ponto importante é que em Akumal existem “sherpas” que, mediante o pagamento de alguma “propina” carregam seu equipamento montado até a entrada da caverna.

As cavernas são lindíssimas e cada uma delas tem sua particularidade. Algumas delas possuem haloclinas (mistura da água salgada e água doce) que permite um visual diferente, diria até interessante, meio deformado dificultando a visibilidade e nessa hora é necessário ter um bom treinamento para que o mergulho seja tranquilo. Algumas entradas são em lagos de água transparente (Taj Mahal, Dos Ojos, Gran Cenote), outras no meio do mato, com entrada super estreita entre pedras (Cenote Del Sol) e várias outras em lagos enormes de cor esverdeada (Car Wash, Mayan Blue) ou em cavernas secas mesmo (Chac Mool).

Todas as cavernas são decoradas no seu interior, variam as cores das paredes (do marrom ao branco) e presença de haloclina na maioria delas. A temperatura da água varia entre 24ºC e 26ºC e uma roupa semi-seca é necessária levando-se em consideração a duração dos mergulhos (a maioria em torno de 1 hora e meia ou mais). Existe pouco fluxo ou inexistente, profundidades em torno de 15 metros. Os mergulhos não são descompressivos devido a pouca profundidade.

Foto: Ricardo "Lalo" Meurer - Scuba Point
Foto: Ricardo “Lalo” Meurer – Scuba Point

Algumas cavernas visitadas e suas particularidades:

Chac Mool – Foi a caverna onde fizemos o mergulho inicial, espécie de treinamento. Essa caverna possui uma das maiores estalactites do mundo

Taj Mahal – Bastantes restrições e com um visual muito lindo.

Dos Ojos – Fizemos uma travessia espetacular de 2:16 horas de mergulho na qual passamos em quatro cenotes diferentes.

Cenote del sol – Essa caverna fica localizada no meio do mato, possui uma entrada bem pequena entre as pedras e começo do mergulho com pouquíssima ou quase nenhuma visibilidade.

Mayan Blue – Espetacular, as luzes da lanterna refletiam um azul interminável. Muita haloclina em um determinado percurso.

Car Wash – Essa caverna é bem conhecida por possui o “salão das lágrimas” e tem uma passagem do tipo “quebra corpo”. Têm bastantes restrições. É um mergulho muito interessante.

Gran Cenote – Espetacular, a zona de cavern é uma das mais lindas.

Muchachos – Entrada num laguinho cor de café sem nenhuma visibilidade, o cabo começava do lado de fora do lago preso numa árvore, no início paredes escuras.

Calimba – entrada dentro de uma caverna, linda demais.

No Hoch – Grande e espaçosa, também com uma zona de cavern espetacular.

Dou destaque para Car Wash, Cenote Del Sol e Mayan Blue. Foram mergulhos que me impressionaram ou pela beleza ou pela quantidade de restrições a serem passadas.

Serviços

Como chegar em Akumal

Você pode ir ao México fazendo conexão nos Estados Unidos (Miami) ou indo direto para cidade do México e depois para Cancun. O que vai diferenciar uma viagem ou outra, basicamente, é a questão de ter ou não o visto americano.

Se você tiver o visto americano opte por viajar através de uma companhia aérea americana devido à quantidade de peso permitida para viagem (total de 64 kg divididos em 2 malas de 32 kg). O mergulhador de caverna tem bastante equipamento para levar.

Caso você não tenha o visto e embarque através de uma companhia mexicana (Aeroméxico), cuidado com o excesso de bagagem, pois somente é permitido levar 20 kg, o que acaba dificultando em muito a viagem. O excesso de peso é bastante caro, o que não é raro acontecer. Vi casos ocorrerem com pessoas de nossa turma.

Chegando no Aeroporto de Cancun uma Van (contratada pelo seu pacote) o pegará no Aeroporto e o levará até Akumal, no lugar onde ficará hospedado.

A melhor opção para esse tipo de viagem é ir através de pacote fechado com uma operadora que conheça bem o local para maximizar as vantagens e resolver os problemas que possam ocorrer durante a viagem.

Abro um parêntese aqui para dizer que, quando comecei a sonhar e planejar em ir ao México (Akumal) minha escolha certa seria ir através do Lalo porque não me recordo de alguém que possa conhecer tão bem o local quanto ele. A qualidade dos mergulhos e a satisfação com a viagem são garantidas !

E no caso de cancelamento da viagem, devido aos furacões por exemplo, você pode  ter certeza que tudo será feito para que sua viagem atrase o menos tempo possível e que você embarque para suas férias tão esperadas. Furacões ou algo do gênero são considerados fenômenos naturais e, portanto a companhia aérea e o despachante de viagens não se responsabilizam e não precisam, por lei, devolver o seu dinheiro. É justamente nessa hora que a operadora escolhida faz a diferença.

Com quem mergulhar

Aquatech Dive Center – Dive center que oferece mergulho do tipo Cavern, Cave e Open Water. O staff é composto por guias altamente qualificados e certificados.

Telefone / Fax:   52 (984) 87 59020
USA Toll Free      1-866-619-9050

A comida

Você vai encontrar em praticamente todo o tipo de prato a famosa Guacamole (abacate com cebola). Acredite se quiser, mas a guacamole está até mesmo nos sanduíches que eram servidos entre um mergulho e outro.

Também são pratos bem típicos: Fajita e Nachos.

A culinária maia tem como principais ingredientes peixes e frutos do mar, milho, feijão, abóbora, cacau, tomate, pimenta, baunilha, peru e porco, entre outros.

Tudo é bem temperado com pimenta.

Foto: Ricardo "Lalo" Meurer - Scuba Point
Foto: Ricardo “Lalo” Meurer – Scuba Point

Dicas

– Se sua viagem coincidir com a época de furacões procure ter paciência principalmente com os vôos que podem ser cancelados em cima da hora. Alguns mergulhos também poderão ser cancelados no local porque todos ficam em estado de alerta. Quase tudo é fechado.

– Não esqueça de levar repelente de insetos e remédios. Em alguns pontos de mergulho você pode ser “atormentado” com picadas de insetos. Remédios sempre são úteis quando estamos longe de casa e principalmente porque estamos de férias.

– No México é muito usual o termo “propina” ou “tip” que nada mais é do que uma gorjeta bem paga por todo e qualquer serviço prestado (camareiras, cozinheiros, carregadores, etc). Os mexicanos ficam mais felizes e assim nos tratam com muita simpatia. Os “cherpas” carregam as duplas montadas todos os dias sem fazer cara feia e são muito prestativos. É lógico que ao final da semana sabem que vão receber uma gorjeta bem gordinha.

– Antes de embarcar, registre na Polícia Federal os equipamentos fotográficos, equipamentos de mergulho (reguladores, computadores, etc) para evitar complicações no retorno ao Brasil. Tente fazer esse registro alguns dias antes de viajar.

Você pode ter o azar de pegar o funcionário da Polícia Federal de mau humor e talvez ele não queira registrar os equipamentos. Insista, pois esse é um direito que lhe cabe e no retorno ao Brasil esse mesmo funcionário não vai estar lá quando o fiscal solicitar as declarações.

– Se você viajar por uma companhia aérea americana deixe suas malas com os segredos abertos e não coloque cadeados, pois o security da companhia aérea pode quebrar o cadeado das malas e segredos, desde que os mesmos achem algo estranho na mala. Normalmente eles anunciam no microfone do aeroporto chamando o proprietário da mala para que o mesmo abra, caso o mesmo não escute, eles estouram o cadeado e colocam um bilhete solicitando desculpas.

– Não deixe de levar “borboletas” para sua dupla, pois é normal não serem encontradas nas duplas de alumínio em Akumal.

– Evite materiais cortantes em sua bagagem e lembre de levar as baterias despachadas com a bagagem.

– Antes de viajar procure um médico otorrino e dê uma boa olhada em seus ouvidos (orelhas), pois a variação de profundidade dentro de uma faixa bem rasa (onde sofremos a maior pressão) é normal na maioria das cavernas de Akumal. É bom tomar cuidados ao final de cada mergulho para manter os ouvidos secos para não ser prejudicados ou castigado nos mergulhos do dia seguinte.

Gisele Beal
Formada em economia, atua como gerente de projetos em Curitiba - PR. Mergulha desde 1999 e é certificada como Cave Diver pela NACD. Também possui os cursos de Rescue Diver, Tec Deep Diver, Blender e Trimix.