Cavo Artemidi – O gigante do litoral brasileiro

Foto: Clécio Mayrink

Todo mergulhador sonha em visitar um grande naufrágio, com boa visibilidade, água quente e muita vida marinha.

Seria um sonho distante ?

Não !  Tal mergulho pode ser realizado em Salvador e o nome do navio é Cavo Artemidi.

Em 25 de setembro de 1980 o Cavo Artemidi, um cargueiro com 160m de comprimento, deixou o porto de Vitória com destino a Rotterdam, levando consigo, uma carga de Ferro Gusa de uma mineradora mineira, que por coincidência, a proprietária desta mineradora foi minha companheira de mergulho durante algum tempo, mas infelizmente, não tinha mais naufragio-cavo-artemidi1informações sobre o acidente além das que serão apresentadas neste texto.

Durante a saída da Baía de Todos os Santos e sem reboque, o Cavo Artemidi foi arrastado pela forte corrente do local, batendo no Banco da Panela, o que fez com que o navio perdesse o controle do leme, acarretando um encalhe no Banco de Santo Antônio, onde se encontra até hoje.

Durante uma semana, equipes de resgate tentaram desencalhar o enorme navio, que acabou sendo declarado perdido.

O Cavo Artemidi foi construído em 1959 com o nome de Betty, para a empresa armadora Grega Lydy Naviera.

No começo dos anos 80 foram realizados trabalhos de salvatagem de alguns itens e da carga do navio.

Já tendo sofrido bastante com as tentativas de salvatagem e com a forte corrente local, o Cavo Artemidi já mostra sinais de cansaço e já se encontra bastante desfigurado de sua forma original.

Sua proa, coberta pela areia, já não atrai tanto a atenção dos mergulhadores.

Já na popa, ainda existem muitas estruturas que impressionam os visitantes e os fazem lembrar da enormidade deste naufrágio.

Navegando pela popa, até o primeiro porão, há uma infinidade de peças e estruturas a serem vistas e muita vida marinha. A visibilidade é boa, o que nos dá a real dimensão do navio. Ainda existem muitos pontos de penetração que leva os mergulhadores aos compartimentos internos, como a sala de máquinas, que ainda parece aguardar a chegada da tripulação para naufragio-cavo-artemidi2acioná-la. Ali, a maioria dos equipamentos continua em seu devido lugar, trazendo mais emoção ao mergulho.

Já há algum tempo, mergulhadores locais observam algumas falhas estruturais no naufrágio, sinal claro que as penetrações estão bastante arriscadas.

A mesma corrente que vitimou o Cavo, cobra uma dose extra de atenção de seus visitantes. É preciso procurar uma boa operadora de mergulho local para que você realize o mergulho com toda segurança.

O Cavo Artemidi encontra-se entre os 10 e 30m de profundidade, fazendo deste um ponto de mergulho, um local acessível a praticamente todos os mergulhadores, contudo, devido as suas grandes dimensões, quem aproveita mais os mergulhos são os mergulhadores técnicos que, com cilindros duplos e stages ou com rebreathers, realizam mergulhos de longa duração e com um aproveitamento maior deste enorme cargueiro.

Absoluto por muitos anos, o Cavo, como é carinhosamente chamado, teve seu reinado ameaçado pelo afundamento e descoberta do CT Paraíba no Rio de Janeiro. Um navio militar de 126 metros de comprimento, ainda inteiro, que faz a alegria dos mergulhadores técnicos brasileiros.

naufragio-cavo-artemidi3Mas ainda por muitos anos, até que se desmantele, o Cavo Artemidi é 34 metros maior que o segundo colocado (o tamanho de um rebocador como o Lupus de Recife) e com profundidades mais acessíveis, mantendo ainda o titulo de maior naufrágio na costa brasileira.

Rodrigo Coluccini
Criador e proprietário da Revista Deco Stop, foi um dos responsáveis pela divulgação em larga escala das informações sobre naufrágios no litoral brasileiro, fato antes restrito a poucos. É co-autor do manual de naufrágios da certificadora PDIC. Seu trabalho é citado em vários livros atuais sobre história maritima brasileira confirmando a importância de seu trabalho.