Cilindros de Mergulho: Mas o que é a SLC ?

Cilindros de mergulho sendo fabricados

SLC é a sigla de Sustained Load Cracking, que em português significa Ruptura ou Trinca por Esforço Sustentado.

É um fenômeno metalúrgico que ocorre ocasionalmente em cilindros, assim como em outros tipos de vasos de pressão fabricados com a liga de alumínio 6351-T6. Os componentes estruturais sob stress constante tendem a apresentar fissuras.

Cilindros que foram danificados mecanicamente, como por exemplo, sofrendo quedas, ou que tiveram um maior giro de recargas, são mais suscetíveis a apresentar a SLC.

Vale ressaltar que a SLC não é um defeito de fabricação, é sim, um fenômeno inerente ao metal.

As trincas geradas pela SLC aparecem muito lentamente. A Luxfer após extensa investigação em laboratório, determinou que tal fenômeno leva no mínimo oito anos para ocasionar um acidente, então podemos afirmar que um inspetor bem treinado e equipado, irá detectar o problema durante o processo de inspeção anual muito antes de ocorrer qualquer acidente.

De uma população total de aproximadamente 1.073.000 de cilindros de mergulho fabricados pela Luxfer com a liga 6351, apenas 1.5% apresentaram SLC. Se considerarmos todo o universo desses cilindros, ou seja, de todos os fabricantes, o total da população seria de 6.1 milhões de cilindros fabricados com essa liga. Então, o percentual de incidência da SLC é de 0.37%.

Parecem números perfeitamente aceitáveis mas, essa pesquisa somente levou em consideração os acidentes registrados e determinados ou mesmo suspeitos, como sendo ocasionados pela SLC (23 ocorrências no total, sendo que 14 em cilindros de mergulho) e as notificações remetidas ao DOT, sobre as unidades retiradas de serviço por suspeita de SLC.

Fato é, que temos conhecimento de pelo menos mais três acidentes não registrados, dois em Portugal e um no Brasil, cujas causas não foram devidamente investigadas. Sem considerar as unidades retiradas de serviço por suspeita de SLC, pois a condição não foi reportada, além de outras mais, também retiradas de serviço por terem sido reprovadas em testes hidrostáticos ou em inspeções anuais por motivo de corrosão. Então podemos supor que vemos apenas a ponta do “iceberg”.

Lembramos que muitos técnicos e engenheiros em todo o mundo, creditam o aparecimento da SLC aos testes hidrostáticos, ainda que nada tenha sido comprovado cientificamente.

Acidentes registrados com cilindros fabricados com a liga 6351 até 2010

Ano / Local / Fabricante
10/1988 / Austrália
05/1994 / Miami – Flórida – EUA / Luxfer
01/1998 / Austrália – CIG
02/1998 / Riviera Beach – Flórida – EUA / Walter Kidde
08/1998 / Nova Zelândia / Luxfer
12/1998 / Tampa – Flórida – EUA
04/1999 / Columbia Britânica
03/2000 / Key Largo – Flórida – EUA / Walter Kidde
05/2000 / Japão / CIG
07/2000 / Luraville – Flórida – EUA / Luxfer
07/2004 / Havaí – Flórida – EUA / Walter Kidde
09/2004 / Videlia – Califórnia – EUA / Walter Kidde
01/2005 / Austrália / CIG
06/2007 / Tiverton

Para saber se algum cilindro é ou não fabricado a partir da liga 6351 basta consultar a tabela abaixo, que especifica os cilindros de mergulho que, segundo o DOT, foram fabricados a partir da liga de alumínio 6351-T6:

  • Todos os tanques de DOT-3AL fabricados sob uma das seguintes isenções ou das licenças especiais: 6498, 7042, 8107, 8207, 8364 e 8422;
     
  • Todos os cilindros em composite fabricados sob uma das seguintes isenções: 7235, 8023 e 8115;
     
  • Todos os cilindros de mergulho de Walter Kidde DOT-3AL;
     
  • Todos os cilindros de mergulho Cliff Impact DOT-3AL fabricados antes de julho 1990;
     
  • Todo os S80 fabricados pela Luxfer antes de maio 1987;
     
  • Todo os S80 fabricados pela Luxfer antes de janeiro 1988;
     
  • Todos os S72 e S100 fabricados pela Luxfer antes de agosto 1987;
     
  • Todos os S50 e S92 fabricados pela Luxfer antes de abril 1988;
     
  • Todos os S30 e S63 fabricados pela Luxfer antes de maio 1988;
     
  • Todos os S40 fabricados pela Luxfer antes de junho 1988;
     
  • Todos cilindros de mergulho restantes fabricados nos Estados Unidos antes de fevereiro 1990 (exceto Catalina);
     
  • Todos os cilindros de mergulho em alumínio não fabricados nos Estados Unidos.
Enio Couteiro

Mergulha há mais de 30 anos e é inspetor especialista em cilindros de mergulho com certificação da PSI dos Estados Unidos, sendo um dos profissionais mais reconhecidos do mercado, em razão do seu vasto conhecimento técnico e tempo de atuação no mercado nacional do mergulho.