Colete Equilibrador (BC): Um equipamento essencial

Normalmente chamado de colete ou BC (Bouyancy Compensator), devido ao formato do modelo tradicional ser parecido com um colete de roupa. Sua principal função, é dar equilíbrio ao mergulhador de forma que este, tenha uma flutuabilidade neutra, sem ficar subindo ou descendo devido ao pouco ou excesso de lastro.

Hoje é possível encontrar diversos modelos à venda, cabendo ao mergulhador adquirir o modelo correto à sua necessidade. Podemos dizer que ele veio substituir o antigo Back Pack, que nada mais é do que uma peça de plástico ou de fibra, que ficava entre as costas do mergulhador e o cilindro.

Atualmente existem 3 tipos disponíveis no mercado:

Recreativo ou Jacket – Modelo mais visto no mercado, e na maioria das vezes, ele não possui os D-Rings, além do nylon ser menos resistente que os BC’s do tipo Técnico, por não haver necessidade de se transportar outros equipamentos normalmente utilizados no mergulho técnico. Ele é indicado para o mergulhador recreativo.

Semi-Técnico – Na verdade, não devemos chamar esse BC de Semi-Técnico, simplesmente porque ele não é técnico. Ou um BC é técnico ou não é, portanto, não existe um modelo “semi”, até porque ele não servirá para o mergulho técnico. Tome cuidado, pois alguns lojistas mal intencionados ou até por terem informações suficientes, acaba vendendo este equipamento dizendo que ele é semi-técnico, e que serve tanto para o recreacional e técnico.

A diferença entre o modelo mais tradicional, é que ele pode conter alguns D-Rings, sua célula ao invés de estar abaixo dos braços, localizam-se entre o back-pack e o cilindro, e em alguns casos, podem ser fabricados com nylon mais grosso.

Técnico (ASA) – Como o próprio nome diz, é o modelo voltado ao mergulhador técnico, possuindo características próprias para este tipo de mergulho. Talvez a grande diferença, é a utilização da chamada Asa, uma “câmara” que pode ser inflada, permitindo o controle da flutuabilidade e facilitando a natação na posição horizontal.

Normalmente a asa é usada com uma peça de metal, o Back Plate,que possui cintas nos ombros e cintura, e fica entre as costas do mergulhador e o cilindro. Através do back plate, fixa-se a asa através de 2 parafusos, onde é possível “clipar” (prender com o mosquetão) alguns acessórios para este tipo de mergulho.

Há também, os coletes estilo Transpac, que seria o próprio Back Plate, porém, sem a parte metálica. Este modelo possui cintas mais confortáveis e mais oplções de regulagens. Apesar de apresentar um conforto maior comparado ao black plate, tem um custo superior. Alguns mergulhadores não gostam deste modelo por acharem que os cilindros nas costas ficam um pouco “bambos”, mais é uma questão de gosto pessoal. Comprovadamente, os cilindros duplos tende a se movimentar e deixar o mergulhador um pouco mais instável, quando está com o corpo na posição horizontal, deixando os cilindros na posição de pé.

Em todos os casos, são encontrados diversos D-Rins para que o mergulhador técnico possa levar seus stages, lanterna HID, lift-bag e carretilhas por exemplo.

Detalhes na hora da compra

– Repare na traquéia, purga e o exaustor se são facilmente acessados.

– Veja se o tamanho está de acordo com a sua altura e largura. BC’s do tipo Transpac precisam ter o tamanho correto ao biotipo físico do mergulhador.

– Evite BC’s com reguladores, octopus e consoles incorporados. Além de caros, você acaba ficando “preso” à uma marca.

– Alguns modelos possuem lastro integrado, isto é, o mergulhador não precisa utilizar cinto de lastro pois o próprio BC já possui uma espécie de bolsa onde são colocados o lastro. Isso é uma questão pessoal, porém, aumentam o custo do BC e no caso de uma viagem aérea, você não poderá levar o lastro para não ter excesso de peso.

– Veja a qualidade do nylon, e nos modelos recreacionais, se há alguma alça na sua parte superior e atrás do pescoço, para facilitar a retirada do cilindro da água após o retorno do mergulho. Pode parecer “frescura”, mais após um longo dia de mergulho, irá facilitar a retirada do equipamento da água.

– Verifique se os quick-releases (engates rápidos) são de fácil acesso, tanto no engate quanto no desengate, e sua resistência.

Agora quanto ao tipo de BC você deve adquirir, você deve adquirir um modelo adequado à necessidade e treinamento que possui. O uso incorreto de um BC Técnico devido à falta de conhecimento e treinamento, pode levar ao mergulhador à ter problemas durante o mergulho.

Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.