Colômbia trabalha para salvar um naufrágio com tesouros

Ilustração do galeão San José explodindo no quadro a óleo de Samuel Scott

O galeão San José fazia parte da frota do Rei Felipe V e lutou contra os ingleses durante a Guerra da Sucessão Espanhola, onde morreram cerca de 600 pessoas no naufrágio.

O navio afundou em 1708 e foi encontrado em 2015 pela marinha colombiana e pelo instituto de arqueologia do país, nas proximidades do porto de Cartagena.

O manifesto de San José mostrou que estaria carregando joias e moedas superando o valor de US$ 1 bilhão.

Até agora, imagens de sonar revelavam canhões de bronze, armas, cerâmica e outros artefatos nos destroços.

Disputa judicial

O San José foi objeto de uma disputa judicial entre o governo colombiano e a Sea Search Armada, uma empresa de resgate baseada nos Estados Unidos, que em 1981, afirmou ter localizado a área onde o navio havia naufragado.

A empresa e o governo concordaram em dividir o que fosse encontrado nos destroços, mas posteriormente o governo passou a dizer que todo o tesouro pertencia à Colômbia, uma decisão apoiada por um tribunal dos Estados Unidos em 2011.

Em uma coletiva de imprensa na última quarta-feira, o presidente Juan Manuel Santos disse que um “investidor” não identificado, financiará o resgate do galeão espanhol.

Segundo o presidente Santos, o investidor concordou com uma parceria público privada, que reunirá uma equipe de arqueólogos e engenheiros, para salvar o que for encontrado no naufrágio e colocá-lo em exibição na cidade portuária de Cartagena.

Redação
Se você possui mais informações sobre o assunto acima, entre em contato com a nossa equipe e ajude a tornar este site ainda mais completo. Isso ajudará os mergulhadores e todos aqueles que estiverem buscando mais dados.