Córrego da Volta: A Lagoa Azul do Ceará

Itarema - Foto: Ruver Bandeira

O Córrego da Volta é um balneário que fica situado no município de Itarema, ao norte do Ceará, e distante 215 km da capital Fortaleza.

Ele é um afluente do Rio Acaraú, que possui alguns quilômetros de extensão e com uma visibilidade incrível em suas águas, fato esse que impressiona os turistas e até mesmo os moradores locais, pode ela pode alcançar facilmente aos 15m.

O município de Itarema tem como economia local baseada na agricultura, com a produção de algodão arbóreo e herbáceo, além do caju, mandioca, milho e feijão. Na aquicultura, o destaque vai para venda de peixe, camarão e lagosta, que são exportados em grande escala para o continente europeu e asiático, além da América do Norte.

A arte do artesanato é outra importante fonte de renda e se destaca pela confecção de bijuterias, redes para dormir, além de bordados.

O turismo é também uma importante fonte de renda e os principais destaques desse setor na região, são as belas praias, portos, mangues e praças, além de uma unidade do Projeto TAMAR.

O Mergulho

O mergulho é extremamente fácil de ser realizado em razão do acesso ao local, visibilidade e baixa profundidade da área de mergulho. A profundidade chega próxima dos 12m na barragem, segundo informações dos moradores e pescadores da região, mas a maior parte do córrego tem a média de 6m de profundidade, permitindo a realização de mergulhos com grande tempo de fundo, podendo o mergulhador apreciar o local com a beleza local, sua fauna e a flora de água doce do Ceará com tranquilidade.

O local é extenso e ainda há muito que se conhecer, visto que já foi recebeu várias incursões dos mergulhadores.

O fundo do córrego abriga uma vegetação lodosa e rasteira, que em determinados locais sobe até a superfície, formando composições fotográficas bem interessantes, como por exemplos, cavernas pela qual podemos cruzar de um lado a outro, além de encontramos também muitos troncos de carnaubeira e cercas de arame, comprovando que no período de seca, existiam áreas de cercadas com possíveis pastagens, mas que durante o período chuvoso (janeiro a maio) fica totalmente submersa.

Sobre a fauna local, podem ser vistos, porém com pouca frequência, peixes como cará-tilápia, tucunarés, traíras, e durante a noite, camarões e pequenas tartarugas de água doce. Devido à claridade da água, eles acabam sendo bem ariscos e se assustam facilmente, sendo mais comum, o avistamento deles em maiores distâncias.

A ideia agora é tentar montar um grupo de mergulhadores e realizar uma exploração mais apurada do ponto, e através de informações mais detalhadas, conseguirmos encontrar a nascente do córrego que possivelmente, poderá ser mais um novo atrativo para o mergulho no Estado do Ceará.

GPS:  3° 4.206′ S / 39° 58.761′ O

Esse artigo contou com a colaboração de Rennan Almeida.

Ruver Bandeira

Natural de Fortaleza-CE, é graduado em Geografia, Especialista em Educação, Gestão Escolar, e já participou como facilitador de cursos em educação ambiental.

Além de fotógrafo subaquático, é Rescue Dive pela PADI, e iniciou sua paixão pelo mergulho e fotografia no ano de 1998, após uma viagem realizada ao arquipélago de Fernando de Noronha.

Já escreveu diversos artigos para publicações especializadas em mergulho, registrando suas viagens com o objetivo de mostrar as belezas naturais como a importância da preservação.