Divemaster X Postura X Atitude

Normalmente encontramos perfis diferenciados de mergulhadores nas operadoras de mergulho, e numa determinada ocasião, parei de fazer o que estava fazendo para ajudar alguns mergulhadores com menos experiência, e que em dado momento tinham algumas dificuldades na montagem dos equipamentos.

Comecei a observar então o atendimento dos divemasters das embarcações até chegar à conclusão de que a coisa está muito ruim e preocupante.

Com essa leva de cursos de mergulho do tipo “básico ao instrutor”, esbarramos com várias pessoas despreparadas para atuar de forma profissional e apropriada à atividade, e como sempre digo, tudo vai bem até a hora em que algo acontece…

O Divemaster

Diria que um divemaster (também conhecido popularmente como “DM”) é o principal responsável pelos mergulhadores, isso no antes, durante e pós mergulho, e devido à sua função, a especialidade de divemaster deveria ser melhor trabalhada durante o andamento do curso dessa especialidade.

Para ser um divemaster, este deve (ou deveria) deter um grande conhecimento em mergulho, ter conhecimentos técnicos teóricos e ser um mergulhador altamente “safo”, que no linguajar popular, seria um cara que consegue se livrar dos problemas sozinho e/ou não traz problemas.

Durante uma operação de mergulho, um divemaster deve observar cada mergulhador, pois o modo de comportamento de cada um deles, denuncia muitas vezes o perfil em que ele se encaixa.

Só na montagem dos equipamentos, muitas vezes já é possível identificar que o sujeito é calmo, estressado, possui pouca experiência e habilidade.

Saber o nível de experiência que cada mergulhador embarcado possui, observar, ajudá-los no momento da montagem dos equipamentos e estar atendo durante todo o momento da operação, são pontos fundamentais de um bom divemaster.

Quem acredita que e um divemaster serve apenas para checar se o registro está aberto e jogar o mergulhador na água, está completamente enganado.

Um “DM” deve estar atento e prevendo problemas, atuando de forma rápida, exemplar e eficaz antes que o problema ocorra.

Um cliente bem atendido, é um cliente que está sob supervisão e ciente de que está com uma pessoa sempre à sua disposição para ajudá-lo. Exemplo disso, foi uma mergulhadora passando mal com enjôo, e um divemaster sentou ao lado para prover a atenção devida, medicamento e água. Psicologicamente isso faz diferença.

Um cliente certamente retorna “à casa” (leia-se operadora), por saber que existem pessoas preocupadas e que lhe dão atenção especial ao mergulho, e que estão aptas para um pronto atendimento rápido se necessário.

Postura na embarcação

Um divemaster deve ser educado, comunicativo, atencioso e atento.

Nada de colocar o pessoal no barco e ir dormir… ou pior, chegar a roncar durante um pesado sono de chegar a quase babar no meio da embarcação e na frente dos mergulhadores clientes. É gente, presenciei essa cena recentemente…

Atitude

Estava gerando algumas imagens em um determinado mergulho, quando me dei conta de uma cena surreal…

Um dos mergulhadores de um grupo, ficou sem ar por esgotamento durante a imersão e passou a receber o gás do divemaster via octopus, que ao final do mergulho, quase ficou sem gás também. Nadavam de forma corrida para chegar até a embarcação, quando o correto, era terem ido à superfície em segurança e calmamente sem a necessidade do stress e corre-corre do tipo “vamos rápido que dá tempo de chegar no barco”.

No mesmo dia, alguns mergulhadores recém formados se perderam, foram pegos por uma corrente e derivaram. Eram pessoas com pouca experiência e mergulhando em um local com águas não tão abrigadas. Fica a pergunta: Porque o divemaster não estava com eles ?

Divemaster é para supervisionar e não somente para mergulhar…

Divemaster exemplo

Um exímio divemaster:

  • Tenta antecipar os problemas;
  • Observa os mergulhadores;
  • Ajuda na montagem dos equipamentos;
  • Checa o equipamento dos mergulhadores;
  • Não dorme durante a operação de mergulho;
  • Conversa com os clientes sobre o local fornecendo mais detalhes;
  • Tenta ser uma pessoa pró-ativa e comunicativa;
  • Supervisiona os mergulhadores durante o mergulho;
  • Mergulha também com o intuito de guia os mergulhadores e mostrar as belezas naturais do local, afinal de contas, é disso que vive o mergulho;
  • Divemaster é pago para guiar e prover segurança adicional aos mergulhadores, e jamais cantar a mergulhadora que está lá para se divertir e ter que aturar conversa fiada e papo pra boi dormir…

Contrário ao que muitos pensam, um divemaster não é simplesmente um carregador de cilindros, sua posição requer muito além disso e é uma chave importantíssima no processo de segurança em uma operação de mergulho.

Um DM deve ter em mente que um serviço mal prestado, além de poder acarretar em acidentes, pode ir contra os negócios, afugentando a clientela sem que este perceba.

Se você é um divemaster, reavalie toda a sua atuação, converse com profissionais experientes do mercado e veja se realmente encontra-se na área que gosta.

Agora, se você é certificado como divemaster e o seu negócio é mergulhar de graça, dormir no barco e “cantar” as mergulhadoras, por favor, troque de ramo ou mude sua postura antes que o operador perca seus cliente ou algo pior aconteça…

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.