Duane – Um belo naufrágio artificial na Flórida

Mergulhador explorando o naufrágio - Foto: Clécio Mayrink

A costa da Florida nos Estados Unidos, é repleta de naufrágios artificiais com os mais variados tipos e formatos. De pequenas embarcações aos grandes navios.

Encontramos torres de petróleo, aeronaves e outros objetos diferentes e que foram afundados propositalmente para a criação recifes artificiais e atrair o turista de mergulho, gerando milhões em receita e impostos, fazendo com que as pessoas de todo o mundo viagem pra lá e gastem seu dinheiro com mergulho, hospedagem, alimentação, além é claro, com compras.

Em uma das visitas ao DEMA, a maior feira de mergulho do mundo, tive a oportunidade de visitar o sul da Flórida e fazer alguns mergulhos, e um deles foi no naufrágio Duane, um dos mais importantes e conhecidos da região de Key Largo.

Águas transparentes de Key Largo – Foto: Clécio Mayrink

Mergulho

O Duane era um navio do tipo Cuter de Guerra e foi afundado em 1987 propositalmente, tendo como proprietário a própria Marinha dos Estados Unidos. Com 104m de comprimento, é um grande e excelente naufrágio para ser visitado pelos mergulhadores.

Na superfície há três grandes boias amarradas ao naufrágio para que as embarcações de mergulho possam amarrar o cabo e permitir a descida dos mergulhadores. Uma das boias é fixada na popa do naufrágio, outra no meio e a terceira na proa, ficando fácil saber onde o mergulhador irá chegar.

A água é azul transparente, chegando alcançar os 30 ou 40m de visibilidade. A temperatura em torno dos 26/27°C, bastando uma roupa de neoprene simples. O navio encontra-se de pé e em posição de navegação, com vida marinha colorida e abundante.

Na ocasião vimos grandes cardumes de enormes barracudas nadando ao redor do navio. Muitos peixes olho de cão davam um colorido avermelhado nas partes internas do naufrágio.

Alcançamos a profundidade máxima de 40m, mas o melhor do mergulho gira em torno dos 30/35, pela área do deck, onde fica a cabine de comando.

É possível realizar algumas penetrações, mas o ideal para isso seria descer com cilindros duplos ou usando a configuração sidemount, para um mergulho mais completo e tranquilo. O mergulho passa rápido com cilindros S80 e a vontade de ficar mais era inevitável.

Sem dúvida esse mergulho ficou na memória como sendo um dos melhores que fizemos naquela região.

Raro encontro com um tubarão branco

A costa da Flórida possui vida marinha em abundância e passível de grandes encontros. Em 2014 um grupo de mergulhadores iniciava a descida até o Duane, quando repentinamente surgiu um tubarão branco no azulão. Não era dos grandes e o animal foi se aproximando muito lentamente para ver os mergulhadores.

Diante do “problema”, os mergulhadores entraram no Duane e realizaram todo o mergulho pelo interior do naufrágio. Como é um naufrágio preparado para o mergulho, é possível fazer a penetração com baixo riscos.

Ao saírem do naufrágio, o tubarão branco já havia ido embora e não deu mais as caras. Sem dúvida foi um encontro raro, mas não é impossível de acontecer. O vídeo com o encontro está disponível no You Tube.

Típica embarcação de mergulho americana – Foto: Clécio Mayrink

Dicas

Para mergulhar no Duane é altamente recomendável que vá até o local usando uma operadora de mergulho. Caso vá com alguma embarcação particular, visite o local com alguém que conheça o mar na região e mergulhe por lá. As correntes no sul da Flórida são muito fortes e você pode ser levado para longe, caso mergulhe fora do horário recomendado para o dia.

Digo isso porque eu mesmo quase “desapareci do mapa” (leia aqui o relato) ao visitar o Duane pela primeira vez, indo com um grupo de amigos em um barco particular. Um deles possuía uma embarcação por lá, mas não mergulhava.

As operadoras trabalham com horários precisos com o estofo da maré, e se não seguir exatamente a tabela, literalmente você pode dançar.

Como o fundo chega aos 40m, recomenda-se cautela com o gerenciamento de gás. Você deve ficar atento a possibilidade de correntes e regressar pelo mesmo cabo utilizado na descida até o naufrágio.

Procure agendar a saída com antecedência. A procura costuma ser grande para visitar os naufrágios da região.

Aproveitando que você está no sul da Flórida, conheça o Museu da História do Mergulho que é bem interessante.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.