Elliott Richie – Um guerreiro perdido em águas Pernambucanas

Exemplo de um vapor de rodas

A década de 1840 foi um exercício de idéias e tentativas para as nações que sonhavam em ter uma frota de navios a vapor. Inicialmente, o método de propulsão utilizado era as “Rodas de Pás”. Enormes rodas, fixadas à meia nau do navio e em ambos os bordos. Nos Estados Unidos muito tempo e dinheiro foi gasto até que o engenheiro Samuel Pook conseguisse projetar um navio que desse certo.

Deste esforço nasceu o USS Harriet Lane-nome dado em homenagem à sobrinha do presidente James Buchanan – um “Cutter” – navio de manobras rápidas utilizado em vários tipos de serviço.

Durante sua carreira, após ter sido lançado ao mar em 1857, o Harriet Lane viu muita ação: em 1858 e 1859 foi utilizado na expedição punitiva contra o Paraguai;

De volta aos Estados Unidos, encontrou a guerra civil americana e foi a primeira embarcação a fazer uso de seus canhões durante o estado de beligerância. Nesta ocasião fez parte da frota que libertou o Forte Sumter do controle do exército Confederado em abril de 1861; em agosto do mesmo ano, Harriet Lane participou de batalhas na enseada de Hatterasi, onde apoiou com artilharia o desembarque de tropas durante combates com os Fortes Hatteras e Clark.

Em 10 de setembro de 1861 foi transferido para a marinha e enviado ao rio Mississipi onde bombardeou os Fortes Jackson e St. Philip, sendo este um dos navios pertencentes a flotilha do comandante David Dixon Porter.

Móbile Bay foi seu próximo teatro de operações, onde realizou um bloqueio e de lá seguiu para Galveston, Texas, para continuar combatendo o exército Confederado. Neste ataque, a cidade de Galveston foi libertada do domínio Confederado.

Em 01 de outubro de 1863 o Major General John B. Magruder recapturou Galveston e o USS Harriet Lane foi atacado e tomado pelos Confederados. Cinco membros da tripulação e o capitão do navio, Jonathan M. Wainright foram mortos e outras 12 pessoas ficaram feridas.

Após um breve período sendo uma unidade do Exército Confederado do Texas, o navio foi vendido para um armador que o utilizou como “furador de bloqueio”. Renomeado “Lavinia”, navegou até Havana em 30 de abril de 1864, naufragando no dia 18 de janeiro de 1865, mas foi resgatado posteriormente.

Em 1867 teve sua configuração remodelada e foi renomeado como “Elliott Richie“.

Após trabalhar vários anos no serviço mercante, o “Elliott Richie”, navegava no litoral Pernambucano em 13 de maio de 1884, quando inesperadamente começou a fazer água durante uma tempestade e foi abandonado pela tripulação, vindo a naufragar mais tarde em local ignorado.

Pesquisas estão sendo realizadas quanto aos naufrágios Vapor de Baixo e Vapor dos 48, pois existe a possibilidade de um desses naufrágios ser o Elliott Richie.

Especialmente no caso do Vapor de Baixo, à pouco tempo, um mergulhador encontrou dentre seus destroços, um tijolo refratário com a nomenclatura “Atlantic”, de fabricação americana, normalmente utilizado em salas de caldeiras de navios à vapor.

Rodrigo Coluccini
Criador e proprietário da Revista Deco Stop, foi um dos responsáveis pela divulgação em larga escala das informações sobre naufrágios no litoral brasileiro, fato antes restrito a poucos. É co-autor do manual de naufrágios da certificadora PDIC. Seu trabalho é citado em vários livros atuais sobre história maritima brasileira confirmando a importância de seu trabalho.