Entrevista: Dr. Fabrizio Romano

Médico Otorrinolaringologista formado pela faculdade de Medicina da USP em 1997, fez residência médica em Otorrinolaringologia pelo HC-FMUSP em 2001 e Doutorado em Otorrinolaringologia pela FMUSP em 2005. No mergulho, é certificado como Rescue Diver pela PADI, e abaixo, ele tira algumas dúvidas mais comuns entre os mergulhadores.

Você recomenda algum exame aos interessados na prática do mergulho, antes de iniciar um curso ?
Uma avaliação com o otorrinolaringologista é sempre interessante, quase sempre acompanhada de uma nasofibroscopia para avaliar as tubas auditivas. Se necessário, ele poderá solicitar outros exames.

Porque um mergulhador não pode mergulhar estando resfriado ?
O edema causado pelo resfriado dificulta a abertura das tubas auditivas e a equalização da orelha média, podendo provocar barotraumas. O edema nos ostios de drenagem dos seios paranasais, também podem provocar dor facial durante as variações de pressão.

Uma pessoa que frequentemente têm coriza, deve investigar a causa ?
Sim, pois ela pode apresentar um quadro de rinopatia alérgica, que diminui muito a qualidade de vida e é de fácil tratamento.

Quem possui sinusite, pode mergulhar ?
A sinusite atrapalha muito o mergulho, então, o ideal é tratar primeiro.

Existe alguma forma eficaz para o tratamento da sinusite ?
Com certeza !  As sinusites agudas são de fácil resolução, as crônicas, um pouco mais difíceis, mas todas têm tratamento.

Porque o uso regular de descongestionantes não é recomendado aos mergulhadores ?
Os descongestionantes causam uma série de efeitos colaterais, como boca seca, retenção urinária, insônia, taquicardia, etc. Além disso, no caso dos descongestionantes tópicos, se o efeito passar durante o mergulho, o mergulhador pode ter dificuldade em voltar para a superfície, e é o que chamamos de “bloqueio reverso”.

As pessoas com desvio de septo nasal podem mergulhar normalmente ?
Normalmente sim, mas desvios posteriores podem atrapalhar a equalização. Cada caso deve ser avaliado individualmente.

A correção desse desvio de septo fará alguma diferença ao mergulhador ?
Em alguns casos sim, principalmente melhorando a respiração nasal.

Uma cirurgia dessas é dolorosa ?   Quanto tempo dura e qual é o tempo necessário para que a pessoa possa voltar a mergulhar ?
Não é dolorosa e a recuperação é rápida, e sem a necessidade de tamponamentos. Para retornar ao trabalho, 4 dias de repouso, e ao redor de 3 semanas para mergulhar.

Se um mergulhador tiver muita dificuldade em compensar, ele deve procurar um médico para verificar se há algum problema com os ouvidos ?
Sim, mas quase sempre o problema é na parte nasal das tubas auditivas e não no ouvido.

É verdade que o uso de um capuz apertado, pode provocar lesões no ouvido ou prejudicar a compensação no mergulhador ?
Sim, pois se cria uma cavidade de ar entre o capuz e o conduto auditivo externo. Deve sempre haver uma pequena entrada de água para evitar esse problema.

Porque alguns mergulhadores utilizam álcool no ouvido ?   Isso é recomendável ?
O álcool ajuda a secar o conduto auditivo externo e evitar otites externas, porém, nunca deve ser utilizado por pessoas com otites, perfuração timpânica ou que possuam algum tipo de dor ou perda de audição durante o mergulho.

Se um mergulhador estiver com uma pequena inflamação na garganta durante uma viagem internacional, além do incômodo, haveria algum empecilho em continuar a realizar os mergulhos até a visita a um médico ?
O ar comprimido pode piorar um pouco a irritação da garganta, mas desde que não existam sintomas nasais ou um quadro infeccioso mais intenso, como febre, etc., não há muito problema.

Se numa eventual situação, um mergulhador notar que ao retornar à embarcação, perceber que está com o nariz ou ouvido sangrando, que procedimento ela deve tomar ?
O nariz pode sangrar por pequenos traumas causados pela máscara. Se o sangramento parar logo e o mergulhador não tiver tido dor ou dificuldade para equalizar durante o mergulho, não há grande preocupação. Sangramento no ouvido quase sempre indica ruptura da membrana timpânica, e os mergulhos devem ser suspensos até que o mergulhador seja examinado por um médico.

Onde está localizada sua clínica ?
Estamos localizados na Rua Tenente Negrão, 140, CJ 91 – Itaim. Telefone: (11) 3167-6556. O endereço do site é www.otorrino.in

Redação
Se você possui mais informações sobre o assunto acima, entre em contato com a nossa equipe e ajude a tornar este site ainda mais completo. Isso ajudará os mergulhadores e todos aqueles que estiverem buscando por mais informações.