Equipamento Fotográfico – Manutenção e Cuidados

Foto: Clécio Mayrink

Todos nós sabemos como é importante lavar o equipamento ao retornar do mergulho. Se a água do mar desgasta o equipamento, imagina o que acontece com o seu equipamento fotográfico que é mais sensível a impactos, pressão e a água do mar.

É muito importante que você mantenha o seu equipamento sempre o mais limpo possível, para aumentar a vida útil do mesmo. Alguns procedimentos básicos podem ser realizados para que uma surpresa não aconteça durante uma viagem ou até mesmo, quando se está preparando para descer.

Montagem da câmera

Ao montar a lente e os cabos do flash na câmera, verifique se o encaixe está perfeitamente correto, principalmente se utilizar tubos de extensão. Caso você mergulhe por dias seguidos, o procedimento deverá ser realizado todos os dias, para garantir a segurança da câmera e dos seus acessórios.

A cada mergulho, a água salgada deixa minúsculos cristais de sal que podem facilitar o ressecamento dos o-rings. Este processo chama-se cristalização do sal, sendo o ideal após cada mergulho, deixar o equipamento em uma bacia com água doce, para evitar que se formem esses cristais, pois estes minúsculos cristais de sal, são cortantes, e podem vir a danificar os o-ring’s.

Limpeza do material

Antes de sair para o mergulho, deve-se verificar o estado do equipamento no que diz respeito aos cabos, pilhas, câmera, lentes e o-rings. Veja abaixo:

Lentes – Faça uma limpeza com um pincel de lente caso necessário, para remover poeira e pó, tomando-se cuidado para não arranhá-la. Caso haja alguma sujeira, retire esta com um pequeno pedaço de algodão limpo ou papel de limpeza de lentes, ou ainda, um cotonete molhado com o líquido específico para lentes.

Caso uma das lentes apresente algum tipo de oleosidade, encha 2/3 de um recipiente de filme fotográfico com água limpa e 2 gotas de detergente, agite para que se misturem e molhe um pedaço de algodão para passá-lo na lente.

Com um pequeno de pedaço de pano limpo, remova os resíduos até secar o fluído, não esquecendo de realizar esta limpeza com a lente virada para baixo, para que o líquido não passe para o interior da lente.

Tome cuidado para não remover a camada superficial protetora da lente, que não poderá ser recuperada. Lentes 28, 35 e 80mm da linha Nikonos podem ser limpas com álcool.

O-ring – Verifique se os o-rings estão em perfeito estado. Caso algum tenha alguma rachadura e/ou marca, troque-o imediatamente.

Baterias – Veja o estado em que se encontram. Baterias já utilizadas e/ou de baixa qualidade, podem estourar e danificar as partes eletrônicas de sua câmera e flash.

Lavagem – Ao chegar, deixe todo o material de molho em água doce por 1 ou 2 horas em um tanque, balde, ou recipiente limpo, estando todo equipamento montado, inclusive flash e lentes. Mexa também nos controles da câmera para evitar que os cristais aderem aos o-rings, pois com a movimentação da água, facilita a remoção destes.

Ao retirar os o-ring’s, empurre-os de cada lado e no mesmo sentido para que uma parte salte e você possa puxá-lo. Nunca utilize acessórios pontiagudos para removê-los. Após a sua remoção, limpe a área onde eles se encaixam, com um pano úmido para remover a água salgada e cristais que possam ter ficado entre o o-ring e o compartimento da câmera.

É aconselhável deixar os o-ring’s de molho em uma bacia com água doce para limpá-los com maior eficiência. Feito isto faça a lubrificação adequada não excedendo na quantidade de silicone, pois este, poderá facilitar a adesão de poeira e areia, prejudicando a vedação. O-rings internos devem ser trocados anualmente, pois a borracha tem uma vida útil pequena.

Braços Extensores – Nos extensores metálicos, você pode utilizar o spray WD-40 para ajudar na movimentação das dobradiças.

Realizando esses procedimentos e uma inspeção anual, você terá um equipamento mais protegido e com menores chances de ter surpresas desagradáveis.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.