Equipamentos para Apneia

Para realizar mergulhos em apneia, você precisará de alguns equipamentos que lhe trarão a segurança necessária para a atividade.

Vale ressaltar que independente dos equipamentos ou qualquer outra coisa, realizar um curso de mergulho em apneia é essencial para a sua segurança, e sempre ter um mergulhador ao seu lado, para lhe ajudar no caso de uma emergência. Nada substitui um dupla.

Máscaras

As máscaras de mergulho permitem o apneísta enxergar embaixo d’água, mas o mergulhador deve se atentar para alguns detalhes na hora da compra desse produto.

Toda máscara possui o chamado volume interno, isto é, o espaço de ar que fica entre o rosto do mergulhador e as lentes da máscara. Um apneísta deve sempre utilizar máscaras com o menor volume interno possível, pois isso o ajudará a economizar o oxigênio presente nos pulmões durante a imersão.

Levando em consideração que durante a descida, o mergulhador necessita soltar um pouco de ar pelo nariz para compensar a variação de pressão externa com a pressão interna da máscara, a utilização de máscaras com grande volume interno fará com que o apneísta gaste mais ar de seus pulmões, reduzindo seu tempo de apneia.

Essa técnica de soltar o ar pelo nariz é denominada Compensação de Máscara, e é necessária para evitar o chamado Barotrauma da Máscara Facial. Logo, o uso de uma máscara com reduzido volume interno é o mais do que recomendável.

As máscaras devem possuir duas lentes, e jamais uma lente apenas. Máscaras com apenas uma lente, como por exemplo, os modelos chamados “Full Frame”, não são recomendadas para apneia.

Toda máscara deve possuir nariz moldado para evitar que entre água pelas narinas e para que permita a compensação da máscara.

Um detalhe importante, é quanto à maciez da parte que fica em contato com o rosto do mergulhador. Hoje encontramos no mercado, máscaras fabricadas em borracha e silicone, sendo as de silicone, o modelo mais encontrado nas lojas. Lembre-se que normalmente um apneísta fica muitas horas na água, e a utilização de uma máscara que tenha um contato macio com a pele do mergulhador, proverá mais conforto a ele.

Quanto à cinta de fixação da máscara ao rosto do mergulhador, também deve ser macia e você deve dar preferência as máscaras com boa e fácil regulagem das tiras, para que você consiga realizar uma eventual regulagem, mesmo estando dentro d’água.

Quanto às lentes da máscara, elas devem ser feitas de vidro temperado, devido à translucidez e resistência. No mercado encontramos alguns modelos de máscara com lentes em acrílico transparente, porém, não é uma boa recomendação, pois essas lentes em acrílico normalmente apresentam imagens deformadas e não tão claras nas laterais, além de arranharem com muita facilidade.

Snorkel

Apesar de aparentar ser um equipamento simples, não é bem assim.

Um bom snorkel precisa:

  • Ser leve
     
  • Ter um bom clip para fixação dele à máscara de mergulho, para evitar que se perca ele durante a imersão. Não é raro que alguns apneístas soltem o bocal do snorkel enquanto submersos.
     
  • Ter um bocal bem macio e que fique bem ajustado à boca, para que não machuque os lábios do mergulhador após longas horas de uso. Existem bocais em borracha e silicone, porém, o mais confortável e durável, são os bocais fabricados em silicone.

No mercado encontramos alguns modelos de snorkel com válvulas de purga. Essas válvulas facilitam a expulsão da água do interior do snorkel após o regresso à superfície. No caso de atletas apneístas, esse tipo de snorkel não é recomendado, pois normalmente eles possuem um diâmetro maior, o que ocasiona maior arrasto durante a imersão. Na verdade, quanto mais simples a coisa, melhor.

Nadadeiras

Hoje em dia encontramos diversos tipos de nadadeiras no mercado, e no caso da apneia, as nadadeiras mais recomendadas são as que possuem pala longa, que é a parte da nadadeira que fica à frente do pé do mergulhador e que é a responsável principal pela impulsão do mergulhador embaixo d´água.

Atualmente existem palas fabricadas com diferentes tipos de materiais, incluindo a fibra de carbono, que além de resistente, são extremamente leves. Esse tipo de pala melhora consideravelmente o desempenho do apneísta embaixo d´água. Mas como tudo na vida tem um preço, as nadadeiras com pala fabricadas em fibra de carbono são as mais caras.

Outro aspecto importante, é quanto à qualidade da calçadeira, que é a parte da nadadeira onde se introduz os pés, pois ela deve ser confortável para o mergulhador, e ao mesmo tempo, ter uma boa qualidade, para que tenha longa durabilidade e não rasgue com facilidade.

Grande parte das nadadeiras permite que você remova a pala da calçadeira para uma eventual substituição, ou até mesmo, para facilitar o transporte. O recomendável e remover a pala apenas para a substituição, pois além da colocação não ser uma coisa tão simples assim, essa coisa de ficar tirando e recolocando a pala a cada transporte, poderá danificar algumas partes da nadadeira e você poderá ter alguma surpresa ingrata em razão do desgaste nos encaixes da pala.

Existe uma linha de nadadeiras especiais, denominada monofin. Normalmente quem compra esse tipo de nadadeira, participa de competições de campeonatos de mergulho em apneia. São grandes, pesadas e geram fortes dores nos pés, se o mergulhador não souber usá-las de forma correta. Disponíveis somente no exterior e com um custo elevado. No que diz respeito ao desempenho, ela gera um deslocamento muito bom e é recomendada somente para atletas.

Roupas

No caso da apneia quanto menos roupa, melhor, pois a roupa de neoprene causa um grande arrasto no deslocamento do apneísta, reduzindo bastante a velocidade de natação, além de fazer com que o apneísta tenha que se esforçar mais para encher os pulmões de ar, em razão da pressão elástica que o neoprene causa no corpo humano. Além disso, gasta-se mais energia para se deslocar. Gastando mais energia, o consumo de oxigênio é maior, e consequentemente o tempo de apneia diminui.

Quanto mais espessa a roupa de neoprene, pior.

Como fica impraticável mergulhar sem roupa, procure usar uma roupa o mais fina possível e adequada ao local onde vá praticar a apneia.

Existem algumas roupas consideradas especiais no mercado, onde segundo os fabricantes, elas produzem um atrito menor na água, devido à forma como são fabricadas, e com isso, o deslocamento do mergulhador na água seria mais rápido, mas é uma incógnita, pois há quem diga que isso não funciona e outros afirmam o contrário.

De uma forma ou de outra, a roupa de neoprene é essencial, pois além de proteger o apneísta contra o frio, ela o protegerá de um possível contato com água-viva, por exemplo. Numa eventual emergência o mergulhador poderá soltar o cinto de lastro e poder flutuar sem esforço.

Cintos de Lastro

Os cintos de lastro têm a finalidade de tirar a chamada “positividade” causada principalmente pela roupa de neoprene, pois toda roupa de neoprene deixa o mergulhador extremamente positivo, impossibilitando o afundamento.

Usando o cinto de lastro e a quantidade correta de lastro de chumbo, essa positividade da roupa é eliminada e o apneísta consegue afundar facilmente.

Normalmente encontramos cintos de lastro fabricados com as tiras em nylon ou borracha sintética, sendo esse último, mas difícil de ser encontrado por aqui.

Muitos apneístas preferem os modelos fabricados em borracha sintética, que por serem elásticos, eles se “auto-ajustam” à cintura do mergulhador sem haver a necessidade em ter que ficar ajustando o cinto durante a descida.

A variação de profundidade faz com que a roupa de neoprene sofra uma diminuição em sua espessura, e cintos fabricados em nylon acabam ficando largos e soltos na cintura, fazendo com que o apneísta tenha que ficar apertando ou soltando o cinto, o que de certa forma, acaba distraindo o mergulhador, aumenta o consumo de oxigênio e diminui o desempenho.

Um cuidado que se deve ter, é que após alguns metros abaixo da superfície, o empuxo se torna maior, e consequentemente, a aceleração do mergulhador durante a descida aumenta em direção ao fundo, principalmente pela compressão do neoprene, deixando a roupa mais fina com o aumento da profundidade. Logo, o apneísta deve utilizar a quantidade de lastro bem precisa e que o ajude somente para vencer os primeiros metros abaixo da superfície.

Profundímetros

Antigamente não eram vistos nos pulsos dos apneístas, hoje, a coisa mudou e muitos preferem utilizá-lo como instrumento necessário para o controle da profundidade. Hoje em dia os profundímetros são extremamente pequenos e não trazem problemas ao mergulhador com relação ao arrasto.

A utilização dele é muito válida, principalmente em águas extremamente claras, onde é possível perder a noção da distância. É comum o mergulhador na água clara perder a referência de distância, e quando falamos isso em profundidade, isso pode ser um fator perigoso.

Bóias de Sinalização

As bóias de sinalização são de extrema importância e protegem o apneísta contra possíveis abalroamentos por embarcações que venham a passar pelo local do mergulho.

É muito comum que um apneísta nade grandes distâncias na superfície, se distanciando muito da embarcação que o levou até o local de mergulho, e com a chegada de outra embarcação, dificilmente o marinheiro perceberá que há um apneísta na água, em virtude da distância em que o mesmo se encontra da outra embarcação, e pela possibilidade de ondulações no local.

As bóias não são caras e aumentam muito a margem de segurança do apneísta.

Lâminas de Corte ou Facas de Mergulho

Para quem deseja praticar o mergulho em apneia, principalmente em águas brasileiras, a utilização de lâminas de corte ou facas de mergulho é recomendável, pois ela aumentará a segurança do apneísta, caso ele venha a se enroscar em alguma linha de pesca, por exemplo.

Essas pequenas lâminas ou facas são fáceis de serem transportadas, não tem custo elevado, e certamente poderão livrá-lo de algum problema durante o mergulho.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.