Furtos em Bonaire

Foto: Clécio Mayrink

Sou uma apaixonada por mergulho e fotografias, estava em outubro de 2015 em Bonaire pela minha quarta vez, sendo esta última, uma viagem prêmio de um concurso de fotografia submarina.

Bonaire é considerado o paraíso dos mergulhadores, ficamos livres, escolhendo os melhores pontos de praia, nos equipamos e entramos rumo as águas transparentes e de uma vida marinha fantástica !

Ultimamente, o grande problema deste paraíso é a falta de segurança, pois somos obrigados a deixar o carro com os vidros abertos e evitando levar coisas de valor, por que já sabemos que corremos o risco de furtos.

Infelizmente tive uma experiência desagradável no meu quarto dia na ilha, que num momento de falta de atenção, diante do deslumbramento da ilha, num final de tarde no ponto de mergulho conhecido como “Tolo”, após regressar do mergulho, resolvi deixar meu equipamento fotográfico no carro, para apenas entrar na água e curtir rapidamente o local. Em menos de 5 minutos, percebi que havia um casal num carro vermelho em volta da caminhonete, quando resolvi gritar e eles correram com tudo que conseguiram pegar do meu veículo.

Saí da água com todo equipamento de mergulho nas costas e gritando, mas não deu tempo, eles entraram no carro e se foram. Chegamos a correr atrás deles e ficamos por uma hora no bairro de Rincón procurando aquele carro e falando com as pessoas, e nada…

Fiquei simplesmente em estado de choque, todas as minhas fotos se foram junto com todo meu equipamento.

Fomos então delegacia, fiz o boletim de ocorrência e na manhã seguinte, voltamos a delegacia onde me deixaram esperando mais 30min, e tive que repetir tudo de novo.

No hotel, as pessoas até sabiam quem eram os ladrões, o que nos deu a impressão de que os furtos estão ocorrendo com frequência por lá.

Tomamos conhecimento que as pessoas que andam furtando por lá, levam os produtos furtados até um holandês, que repassa os equipamentos para diversos lugares na Venezuela, e acreditem, tive que ouvir da própria polícia local, que o meu equipamento já não deveria estar mais na ilha, isso em menos de 24h após o furto.

No final, tive que retornar outras três vezes à delegacia, porque o boletim de ocorrência nunca ficava pronto, e depois de muito insistir, consegui depois de 1 dia um boletim de ocorrência em holandês.

Foi difícil e complicado ter a atenção e suporte deles, onde simplesmente parece não fazer questão alguma em ajudar os turistas. Percebemos o parentesco próximo entre eles, pois todos se conhecem. Funcionários do hotel com muito medo se manifestaram e quando tocavam no assunto, era meio as escondidas para dar informações do que sabiam. Um deles chegou a nos levar até a casa dos ladrões, onde chegamos a reconhece o carro na garagem inclusive.

Pedi que a policia nos acompanhasse, mas queriam que eu montasse um flagrante, porque assim, eles não poderiam abordar os indivíduos.

Sabem que ficamos poucos dias por lá e que quando saímos da ilha nada podemos fazer… Mesmo assim tentamos, e na noite seguinte, flagramos e acabamos coagindo outras tentativas de assalto. A coisa acontece diariamente e ficou trivial.

Conversamos com pessoas de diversos outros países que também foram roubadas naqueles dias.

Foto: Clécio Mayrink
Foto: Clécio Mayrink

Conclusão

O que observamos nesta experiência ruim, é que a impunidade e conivência é grande entre polícia e ladrões, existindo uma rixa entre bonairianos e holandeses, uma disputa de poder.

De fato, aos cuidados da Holanda, Bonaire melhorou muito, mas o policiamento não existe. É algo do tipo salve-se quem puder !

É possível colocar câmeras de monitoramento por toda ilha, o que certamente iria evidenciar as ações dos ladrões, afinal de contas, não se tem como sair à nado… e como um carro some ???

Há relatos de uma brasileira proprietária de um restaurante em Bonaire, que roubaram um carro zero que ela comprou na Ilha e nunca mais foi encontrado…  como assim ???

A casa dela foi roubada mais de três vezes. Seu restaurante parou de ser roubado com a colocação de câmeras.

A ilha é pequena, podemos rodeá-la  em um único dia e ver tudo!! O que fazer para preservar este local tão especial ?

Com certeza a policia local precisa tomar alguma providência, instalar câmeras de monitoramento, afinal de contas, a ilha vive do turismo local. Pessoas de todo o mundo visitam a ilha e passam muito tempo dentro e fora d´água desfrutando as belezas naturais, mas é preciso haver segurança.

Minha intenção é compartilhar o que ocorreu comigo, na esperança de que as autoridades locais tomem conhecimento e que tomem alguma atitude, pois se nada for feito, ficará impraticável regressar à Bonaire, e ela será conhecida como um destino de furtos e roubos.

Daniela Franco Rossi
Nascida em Curitiba-PR, é formada em Licenciatura e Artes Plásticas, além de ser doutorada em Desenvolvimento Humano. Lançou um livro com fotografias do Brasil, Caribe e Europa, e atua na área de fotografia.