Gonçalo Coelho – Um naufrágio com história de guerra

Foto: Clécio Mayrink

Tive a oportunidade de conhecer o naufrágio Gonçalo Coelho algum tempo atrás, e este ano, tive novamente a oportunidade de mergulhar nele, dessa vez, com a equipe da Abissal Mergulho de Serrambi.

O Gonçalo Coelho é um navio do tipo LSM-1, usado no desembarque de tropas em praias. Ele simplesmente chega à praia, desce rapidamente sua rampa frontal e todos os soldados saem correndo ingressando praia à dentro. No caso do Gonçalo Coelho, ele entrou para a marinha americana em 1944 sob a nomenclatura USS LSM-119.

O navio atuou em operações em Okinawa, no Japão e posteriormente foi homenageado com a Estrela de Batalha pelo serviço na 2ª Guerra Mundial. Em 28/05/1946, foi retirado da marinha americana e vendido para uma empresa nos Estados Unidos, e posteriormente, para outra no Brasil, fazendo dele, um cargueiro de mantimentos para a ilha de Fernando de Noronha.

Tempos depois, quando já não servia para o transporte de cargas e navegação, foi comprado e afundado no dia 29/12/1999 às 13:45h, para a criação de um recife artificial, sendo um dos primeiros naufrágios artificiais criados para o mergulho no Brasil.

Mergulho

Mergulhar nas águas claras e quentes do nordeste brasileiro é sempre muito prazeroso, pois as condições normalmente são ótimas para o mergulho e o mar nordestino possui uma grandiosa vida marinha.

Era um domingo e lá estava descendo no mar pernambucano e visualizando a mancha escura ainda da superfície. Era ele, o Gonçalo Coelho de pé no fundo marinho.

O navio afundou e ficou apoiado no fundo em posição de navegação. Infelizmente seu casario principal tombou, criando uma espécie de pequeno “túnel” por onde os mergulhadores podem passar e, quem sabe, encontrar algum dos residentes frequentemente vistos por lá…  os meros.

O naufrágio permite a incursão os mergulhadores ao seu interior, possibilitando conhecer suas áreas internas de forma tranquila, pois o naufrágio fora preparado para mergulhadores, possuindo diversas portas de saídas e sendo recomendável o uso de lanternas para melhor aproveitamento do mergulho.

Aliás, a especialização em Nitrox também é recomendável para que o mergulhador possa ter mais tempo de fundo do que usando apenas ar comprimido, pois a profundidade édia do mergulho gira em torno dos 30m.

O Gonçalo Coelho está repleto de vida marinha, revelando um show em cores nos mergulhos. Peixes multicoloridos vivem no local, arraias, tartarugas, e como disse, alguns pequenos meros.

Devido ao seu comprimento, uma saída com dois mergulhos no naufrágio, já dará uma ideia da dimensão do naufrágio em si, e o mergulhador aproveitará mais do local.

Sem dúvida, um dos melhores mergulhos no litoral nordestino e que pode ser facilmente visitado por qualquer mergulhador.

Quem leva

Nossa aventura contou com a estrutura da operadora Abissal Mergulho, que proporcionou ótimos mergulhos. A empresa possui toda a estrutura para atender os mergulhadores, inclusive, mistura Nitrox.

Para hospedagem, o Serrambi Resort é uma ótima opção, pois além de possuir uma ótima estrutura, o mergulhador pode tomar seu café da manhã e caminhar alguns poucos metros até a embarcação de mergulho.

Se o mergulhador estiver com amigos ou familiares, como o regresso a terra é relativamente cedo, ele ainda poderá curtir o resto do dia na praia ou aproveitando as facilidades que o resort oferece aos hóspedes.

Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.