GoPro – Algumas proteções e gambiarras

Foto: Clecio Mayrink

Quem já conhece a câmera GoPro, sabe da sua eficiência, e também, o quanto custa o “brinquedo”.

Particularmente acho a câmera GoPro uma câmera boa, mas com um custo muito elevado para o que é, e por isso, uma proteção a mais sempre é bem-vinda.

Há duas formas de proteger sua câmera GoPro gastando praticamente quase nada, e levando em consideração que é possível facilmente danificar a lente da câmera ou o vidro da caixa estanque dela, é sempre bom prevenir para evitar transtornos desagradáveis.

Atualmente encontramos no mercado algumas proteções plásticas para a câmera e a caixa estanque, porém, como são fabricados na China, é preciso comprar em algum site do exterior como o eBay, o que pode levar certo tempo para chegar. O custo é baixo, cerca de 1 ou 2 dólares apenas.

Mas e se você precisar de forma imediata ?

A alternativa é usar os chamados “pés de cadeira”, isso mesmo… pés de cadeira.

Um pé de cadeira emborrachado circular poderá facilmente ser encaixado na frente da lente, e ele vai proteger a lente contra possíveis impactos. Devemos lembrar, que se a lente da GoPro arranhar, à princípio, não há solução para sanar o problema.

Foto: Clecio Mayrink

No caso da caixa estanque, é possível encaixar um pé de cadeira emborrachado quadrangular, isto é, no formato de um quadrado.

Em ambos os casos, os acessórios devem ser encaixados sob pressão e sem folgas, para que fiquem fixos nos produtos. E não saiam facilmente.

Normalmente esses pés emborrachados são encontrados em lojas que comercializam produtos à base de borracha, não sendo difícil de encontrar e sob um custo inferior à R$ 1 a peça.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.