GoPro com iluminação

Foto: Clécio Mayrink

Como estou sempre inventando coisas, não podia deixar que a GoPro passasse sem pensar em algo…

Isso ocorreu em dezembro (2010) passado, quando houve a necessidade de ir ao Rio de Janeiro com uma grande quantidade de equipamentos de filmagem de superfície, para um projeto específico, e como as condições de mergulho estavam ótimas, não poderia deixar de tirar um tempinho e mergulhar com os amigos.

O grande problema era, como levar a caixa estanque de uma câmera profissional, onde o conjunto todo pesa algo em torno dos 12kg, além de todos os equipamentos de gravação de superfície que precisava para o projeto ?

Obviamente isso não estava nos meus planos e meu olhar se voltou para a GoPro, que como todos sabemos, não gera imagens com teor profissional, no entanto, mergulhar sem uma câmera é pedir para que um tubarão baleia apareça durante o mergulho e eu queira me matar por estar sem uma câmera em mãos, e acredite, isso acontece !

Lembro de dois amigos que enquanto navegavam rumo ao arquipélago das Maricás, no Rio de Janeiro, deram de cara com um tubarão baleia nadando tranquilamente na superfície em pleno mar carioca !

Naquele momento estavam sem câmera e não registram o fato. Alguns até não acreditaram na história, mas coincidentemente um tubarão baleia apareceu em Arraial do Cabo alguns dias após o relato deles, e logicamente, todos passaram a acreditar que era o mesmo tubarão que andou dando as caras por lá.

Lembrando dessa história, avaliei a possibilidade de fazer uma adaptação para viagens rápidas, que não fosse possível carregar grande quantidade de equipamentos de vídeo, e com isso, surgiu a GoPro com iluminação !

GoPro-Iluminacao4Projeto

Basicamente, todo vídeo requer uma luz artificial para a captação de imagens, e no caso da GoPro isso não é diferente. Ela é uma câmera que precisa de muita luz para captar imagens com boa qualidade.

Decidi então construir uma base para a fixação da câmera GoPro e da iluminação, para que permitisse o uso de ambas em perfeita sincronia, com mais estabilização e com tamanho bem reduzido, facilitando carregamento em viagens onde o peso e tamanho venha à ser um problema.

No meu caso, usei uma antiga base feita com um tipo de alumínio especial, que vêm com um braço de flash e produzido pela empresa Fantasea, pois como o braço do flash já possuía um encaixe específico para essa base de alumínio, isso iria diminuir algumas etapas GoPro-Iluminacao2do desenvolvimento.

Construindo

Antes de mais nada, se você não conseguir adquirir a base mencionada acima, é possível obter uma simples e pequena barra de alumínio ou em inox (mais difícil de trabalhar e mais cara), e dar uma pintura preta para um toque especial na cor.

GoPro-Iluminacao3Feito isso, faça dois furos e prenda uma das bases de fixação da caixa da GoPro que vêm no kit, usando 2 parafusos com arruela e porca em inox.

Além da barra, muito provavelmente será preciso adquirir uma base de braços articulados. Tendo em mãos, faça a fixação do mesmo na barra, utilizando 2 parafusos com arruelas e porcas.

Nos dois casos, dê preferência pela utilização de porcas com teflon (retenção), para que ocorra um desrosqueamento acidental da porca durante o mergulho e você venha à ter problemas ou até mesmo, perder algum equipamento.

Uma solução que passei a utilizar, é o cabo extensor que fixa a câmera ao colete BC. Esse simples cabo trará mais segurança e facilidade durante o uso.

Feita a fixação, agora é aproveitar sua “micro” câmera e sair por aí gravando ou tirando fotos.

GoPro-Iluminacao5Resultados

A GoPro possui algumas limitações e realiza alguns ajustes de luz de forma automática durante a geração do vídeo. No primeiro vídeo sub realizado, num determinado momento ela gerou um trecho da imagem na cor alaranjada, e isso não é um defeito ou problema da câmera, mas sim, um filtro automatizado que a própria câmera aciona em razão da baixa quantidade de luz em conjunto ao ambiente natural. Caso isso ocorra, é normal e não se assuste.

Devemos ter em mente que a GoPro não é o suprasumo em câmera, mas sim, um quebra galho para a captação de imagens submarinas. Para uma pequena câmera como essa, ela pode ajudar a trazer algumas imagens para documentar algo que apareceu inesperadamente.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.