GPS para a segurança dos mergulhadores

Nautilus Lifeline sendo usado pela mergulhadora

O já tão famoso GPS já não é mais novidade pra ninguém, pois hoje, ele é encontrado em qualquer esquina, como nos táxis, carros, aviões e em tudo quanto é parte.

O GPS já é utilizado por muitos, onde além de contribuir na segurança dos transportes por exemplo, facilita a vida dos “perdidos” como eu, um carioca morando em São Paulo, que com tantas ruas e avenidas, é impossível conhecer toda a cidade e andar sem se perder.

Apesar de tudo isso, nós mergulhadores, sempre cogitávamos em ter um GPS que nos ajudasse na orientação durante o mergulho. Hoje, isso ainda não é possível em razão de alguns fatores naturais que implicam quanto ao funcionamento do GPS embaixo d´água, no entanto, já encontramos no mercado dois tipos de GPS´s que podem trazer mais segurança aos mergulhadores.

As novidades chamam-se Spot Satellite Messenger e Nautilus Lifeline GPS+ , fabricados por diferentes empresas e sendo equipamentos pequenos, leves, portáveis e de custo baixo.

Nautilus Lifeline

Basicamente este equipamento foi desenvolvido para ser usado com três características:

  • Rádio Marítimo
  • Transmissor de Coordenadas
  • Alerta de Emergência

Como rádio, ele permite que você fale através do canal 16 VHF, que é o canal marítimo para comunicações de emergência e adotado em todo o mundo. Através desta frequência, você pode chamar por socorro, por exemplo.

Como GPS, ele informa sua localização através das coordenadas, que podem ser transmitidas em uma situação emergencial, provendo sua localização à terceiros.

Já a opção DSC Button, envia um alerta sonoro pelo canal 16 VHF para chamar a atenção da tripulação e/ou de alguma embarcação nas proximidades, caso algo dê errado durante o mergulho e você retorne à superfície. O alcance fora d´água chega a 6km e o equipamento precisa ser acionado na superfície pelo mergulhador.

Essa última opção, será muito útil para mergulhadores técnicos, que por muitas vezes realizam descompressão à deriva, e caso saiam muito distante da embarcação, poderão avisar a tripulação que algo ocorreu.

Quanto a resistência, ele pode ser usado até os 108m de profundidade, atendendo muito bem as necessidades dos mergulhadores.

Segundo o fabricante, provavelmente deve ser comercializado um outro modelo que poderá ser acionado de forma automática, quando houver contato com a água.

Mais informações sobre este equipamento podem ser obtidas através do site www.nautiluslifeline.com

SpotSpot Satellite Messenger

Existem alguns satélites denominados Spot que ficam rodeando a terra com o intuito de repassar dados gerais como telemetria, condições meteorológicas, obtenção de imagens e coisas do tipo.

Essa rede é utilizada em todo o mundo para as mais variadas situações, e através desses satélites, foi desenvolvido um equipamento denominado Spot Satellite Messenger, cujo objetivo, é informar a localização de uma pessoa que necessita de ajuda e/ou socorro.

Paga-se uma taxa pequena por ano, e ele traz os seguintes benefícios:

  • Alerta de SOS – Para resgate emergencial.
  • Alerta de Ajuda – Para solicitar algum tipo de ajuda.
  • Confirmação de OK – Para informar à uma determinada pessoa ou grupo, que está tudo ok com o portador do aparelho.
  • Possibilidade de envio de mensagens como os famosos torpedos de celulares.
  • Opção de siga-me – Permite o acompanhamento do seu trajeto, recurso muito utilizado pelos praticantes de caminhadas.

Infelizmente este equipamento não pode ser levado no mergulho, no entanto, pode-se levá-lo no barco e usá-lo como um EPIRB para eventual emergência e solicitar o resgate e ajuda à terceiros.

Conclusão

Sem dúvida, esses equipamentos estão disponíveis para nunca serem utilizados em situações emergenciais, em todo caso, é mais do que aconselhável que as pessoas detenham uma unidade dessas para ampliar o nível de segurança, independente de onde estiver.

Se pararmos pra pensar quantas vezes escutamos que pessoas se perderam na floresta e outros que tiveram problemas com o motor da embarcação e ficaram à deriva esperando por socorro, veremos que essas situações não são tão raras.

Nós mergulhadores, que investimos tanto em equipamentos de mergulho e na segurança dos mesmos, devemos (ou deveríamos) nos atentar à estes acessórios, pois sem dúvida, eles podem fazer a diferença algum dia em nossas vidas, e na hora do problema, R$ 300, 400 ou 500, certamente serão pouco diante de um problema.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.