Identificado o assassino do instrutor de mergulho do DF

Romário Alves de Sousa Silva, 21, foi identificado como autor do assassinato do instrutor de mergulho Luciano Heusnes, de 41 anos.

O crime de latrocínio ocorrido na tarde de 8 de dezembro em uma estrada de terra no Lago Sul, e agora, a polícia pede ajuda para localizar e prender o acusado, que fugiu do Centro de Detenção Provisória (CDP) três dias antes do crime e aguardava julgamento por um roubo cometido em junho deste ano.

Entenda o caso

Entre os dias 5 e 6 de dezembro, quatro pessoas fugiram do Complexo Penitenciário da Papuda (CDP), entre elas, o homem que teria se escondido nas proximidades do Paranoá até resolver praticar um crime em busca de dinheiro. As investigações estão em andamento e as informações repassadas pela corporação são escassas para não atrapalhar os próximos passos da apuração comandada pela 10ª Delegacia de Polícia (Lago Sul). No entanto, o delegado-chefe adjunto Gustavo Farias Gomes não tem dúvidas da autoria do crime e acredita que tenha participação de outras pessoas.

O delegado narra que Luciano e a namorada, a médica veterinária Patrícia Arrais, 45, estavam praticando mergulho na Ermida Dom Bosco. Quando saíam dali, foram abordados, rendidos, amarrados e jogados no mato por um desconhecido que portava uma faca e uma arma de fogo. Por razões desconhecidas, matou o Luciano a facadas na altura do pescoço e fugiu com o carro e todos os objetos.

O veículo foi localizado abandonado no mesmo dia no Paranoá. A namorada conseguiu desatar o nó e  quando ouviu o carro dando partida, correu rumo a Luciano, que ainda estava sangrando e com vida. Ela chamou socorro, mas infelizmente ele não resistiu.

Romário Alves de Sousa Silva – Procurado pela polícia – Foto: Polícia Civil do DF

Durante as apurações, a polícia conseguiu localizar os objetos levados pelo acusado, como o equipamento de mergulho, que foi encontrado escondido na região do Paranoá. O notebook e um celular foram vendidos e recuperados com receptadores, que também responderão pelo delito.

Romário deve responder por latrocínio (roubo seguido de morte) e pode ser condenado a até 30 nos de reclusão. Depois de alcançar a maioridade, ele acumula três passagens por crimes contra o patrimônio, sendo duas por roubo e uma por furto.

Por:

Redação

Se você possui algum conteúdo relacionado ao mergulho e acha que pode ser interessante dividir com outros mergulhadores ?

Clique aqui e entre em contato conosco e evie o conteúdo para a maior revista eletrônica sobre mergulho do Brasil, com acesso gratuito aos mergulhadores.