Indonésia – Bali e Komodo Island

Foto: Tamara Garcia - Celta Divers

Trabalhei há mais de um ano ao lado de meu marido com operações semanais para a pedra mágica, a Laje de Santos, considerado por muitos, como um dos melhores pontos de mergulho no Brasil.

Tempos depois morando na Austrália e com o visto para vencer, eu e meu marido tínhamos aproximadamente 20 dias para curtir férias depois de seis meses de muito estudo e foco.

Precisávamos definitivamente relaxar, e por que não na Indonésia ?

A Indonésia é um dos melhores lugares do mundo para mergulhar, com budget acessível e sem muitas regras para conseguir visto.

Foto: Tamara Garcia - Celta Divers
Foto: Tamara Garcia – Celta Divers

Bali

Chegamos a Bali e ficamos hospedados em Sanur por sete dias, na pousada Villa Linda Sanur. A pousada é aconchegante, com um belo café da manhã e muita simpatia dos funcionários, sempre preocupados se estávamos sendo bem acolhidos. Lá estávamos próximos à praia e aos principais pontos turísticos. Há um mercado local, com variedade de restaurantes e bares, e também suvenir.

Alugamos uma motocicleta, aquelas automáticas fáceis de pilotar estilo scooter 100 cilindradas, e o que mais precisa ali é atenção, já que o transito é caótico e há motocicletas por todos os lados, com pessoas de todas as idades, muitas crianças e idosos pilotando, inclusive.

Conseguimos chegar aos principais pontos que gostaríamos:

Uluwatu

Ponto de surf maravilhosamente esculpido por Deus e por homens, já que para chegar até o ponto de surf, precisamos descer entre o comércio local, restaurantes e lojas de surf. Ainda ali, há também, o Templo Pecato, considerado um dos templos mais antigos em Bali, em meio a um cenário espetacular.

O Templo de Uluwatu fica no topo de um penhasco acidentado, onde é possível observar um incrível pôr do sol sobre o oceano. À noite, é recomendável desfrutar de uma deliciosa refeição em um dos restaurantes (ou “warungs”) no topo do penhasco e assistir a lua emergir sobre o oceano.

Padang Padang

Cenário do filme “Comer, Rezar e Amar”, é a área menos habitada da ilha. A praia é uma graça, com pequena de extensão, água verde, morna e cristalina. Ótimo para quem tem crianças e ainda consegue desfrutar de um mergulho snorkel, com chances grandes de ver polvos, estrelas do mar e muitas espécies diferentes de peixes, como Tang Azul, mais popularmente conhecido como a Dory, do filme Procurando Nemo.

Foto: Tamara Garcia - Celta Divers
Foto: Tamara Garcia – Celta Divers

Tulamben

No caminho foi legal conferir que boa parte desta ilha é tomada pelas plantações de arroz e suas típicas terraças acumuladoras de líquidos e nutrientes, método propício para cultivos em terrenos acidentados, e também, a vista de um dos vulcões nas proximidades. Chegando lá ficamos maravilhados com a beleza e a simplicidade dos guias. É nessa região que fica localizado um dos mais famosos naufrágios, o USAT Liberty, afundado por um submarino japonês. Era um navio cargueiro que transportava armas dos Estados Unidos no ano de 1942 e está muito próximo da costa.

Até de snorkel é possível ver pedaços do naufrágio, mas a coisa fica interessante mesmo entre 5 e 15m, chegando até 30m. É realmente impressionante a quantidade de vida que se formou nos destroços desse navio.

Nos deparamos com paredões de peixes, moréias, caranguejos, camarões, os famosos Nemos em suas maravilhosas anêmonas, além de arraias e uma belíssima tartaruga que deu um show, dançando em frente as nossas máscaras.

Mergulho com mais de 1h de duração por cilindro. Saímos de lá com a sensação de quero mais.

Custo médio de US$ 80 com transporte saindo de Sanur (1:30h de viagem), alimentação e cilindros inclusos. Algumas empresas vendem o mesmo passeio por mais de US$100, então, é preciso estar atento.

Passamos por vários outros pontos como Ubud, que é quase impossível de chegar, por causa de trânsito intenso, e também, em Celuk, conhecido pelo mercado de prata.

Foto: Tamara Garcia - Celta Divers
Foto: Tamara Garcia – Celta Divers

Komodo Island

Chegando ao fim de Bali, iniciamos nosso sonho: Viajamos para Komodo Island

Na verdade, fica na ilha de Labuan Bajo, cidade de Flores. Chegamos lá e fomos recepcionados pelo Dive Master Ardo Rasta (Egi), um nativo indonésio com muita experiência e anos de trabalho com mergulho naquela região.

Fomos direto para o barco Ari Jaya, onde ficamos hospedados por 5 dias com toda alimentação e cilindros de mergulho inclusos. Barco simples, com um banheiro sem água quente. Possui quartos e nos livramos do mundo virtual, pois não há sinal de telefonia ou internet pelo trajeto. Foram 5 dias intensos com vários mergulhos por dia. O verdadeiro significado de acorda, mergulho, café da manhã, mergulho, almoça, mergulho, jantar, mergulho, banho e dormir, pois, próximo dia a rotina continuará.

Vida espetacular para quem realmente ama mergulhos, e enquanto descansa ou come, o barco ruma para diferentes pontos de mergulho.

Tivemos a possibilidade de conhecer 15 pontos distintos, com nova fauna e correntes completamente diferentes, alternando entre média, forte e muito forte, mergulho drift eventualmente necessário o uso de hook.

Foto: Tamara Garcia - Celta Divers
Foto: Tamara Garcia – Celta Divers

Dentre esses 5 dias, cada mergulho foi particularmente único, sendo um dos mais maravilhosos, o ponto de Karang Matasar, onde pudemos mergulhar com 27 arraias mantas ao mesmo tempo. Inacreditável !

Mergulhamos com tubarão galha preta e galha branca, móbulas, tartarugas, peixe-leão, ugong, caranguejo orangotango, cavalo marinho pigmeu, cardume de peixe napoleão, e uma infinidade de cores e estilos diferentes de nudibrânquios, além de um aquário multicolorido com águas extremamente mornas…  entre 27 a 30°C.

Fechamos a viagem com uma caminhada pelo Parque Nacional de Komodo e um pôr do sol maravilhoso com vista para o vulcão.

Para esta viagem é indispensável um bom guia, preferencialmente local e muita vontade de mergulhar.

Foto: Tamara Garcia - Celta Divers
Foto: Tamara Garcia – Celta Divers

Mini Roteiro

Dia 01

  • Sebayur Kecil
  • Siaba Bay – Night Dive
  • Rest Point

Dia 02

  • Siaba Kecil – Drift Dive – uso de Hook
  • Tatawa Besar – Drift Dive – uso de Hook
  • Karang Matasar – Avistagem da Black Manta Ray

Dia 03

  • Castle Rock – Sharks
  • Golden Passage
  • Komodo Reef
  • Gili Lawa Darat – Mandarim Fish (raríssimo de se encontrar)

Dia 04

  • Cristal Rock – Pigmeu Seahorse, Napoleon Fish
  • Shot Gun – Drift Dive – Uso de Hook
  • Gili Lawa la Wt – Dança de acasalamento das Manta Rays, Orang tang

Dia 5

  • Batu Balong – Infinidade de Polvos e nidibranquios
  • Pulau Penga – Ugong
  • Tracking – Rinca – Ver o pôr do sol do alto da montanha
  • Siaba Bay – Night Dive

 

Mais fotos, vídeos e artigos poderão ser visualizados na página da Celta Divers no Facebook (www.facebook.com/celtadivers)

Celso e Tamara
Celso e Tamara