Lanternas HID

A lanterna HID (High Intensity Discharge), vem substituindo as que já podemos chamar de “antigas” halógenas (3000 K), devido à qualidade da luz gerada. Com temperaturas de cor bem superior (6000 a 6500 K), fornece uma luz extremamente branca e intensa.

A maioria dos fabricantes de lanternas com a tecnologia HID, disponibilizam diferentes combinações entre o tipo da lâmpada, potencia (10 ou 18 W), baterias e canister (compartimento estanque onde a bateria fica armazenada). Existem lâmpadas específicas para utilização com equipamentos de foto / filmagem subaquática, e o conjunto canister / bateria pode ser escolhido conforme sua necessidade.

Atualmente muitos mergulhadores vêem utilizando as lanternas HID, pois a forte luz branca, ilumina melhor o ambiente, realçando as cores embaixo d’água.

   HID4Funcionamento de uma HID

A lâmpada HID possui uma tecnologia similar às lâmpadas fluorescentes, gerando um arco entre dois eletrodos, no interior de um tubo transparente lacrado e preenchido com um gás pressurizado (Sódio, Vapor de Mercúrio ou Metal Hálido). Com a circulação da energia proveniente de uma fonte de energia (bateria), os eletrodos alcançam sua voltagem de trabalho, fazendo com que o gás em seu interior inicie a emissão de luz.

Para que a voltagem mínima necessária ao acendimento da lâmpada seja alcançada, existe um ignitor / controlador , chamado de Ballast, desenhado especificamente para cada tipo de lâmpada / voltagem, que irá prover a energia necessária para o correto funcionamento da mesma.

Essas lâmpadas necessitam de um tempo de “aquecimento”, até que possa alcançar o máximo de sua potência. Em alguns casos, após ser desligada, será necessário alguns minutos até que possa ser religada, pois os gases em seu interior estarão muito quentes para que seja possível uma nova ionização, exigindo um tempo para resfriamento da lâmpada.

HID1Baterias de Chumbo Ácido X Níquel Metal Hidreto (Ni-MH)

As baterias de Níquel Metal Hidreto (Ni-MH), permitem armazenar mais carga em menos espaço. Ou seja, você consegue alimentar sua lanterna pelo mesmo tempo, utilizando-se baterias de menor porte (se comparadas às baterias de chumbo ácido).

HID3Por dotarem de uma tecnologia mais recente, estas baterias possuem um custo mais elevado, e requerem um carregador específico para elas.

Cuidados especiais ao utilizar uma lanterna HID

– Não utilize a lanterna por um tempo superior ao especificado pelo fabricante. Isto pode ocasionar defeito nas baterias, e irá implicará na perda da garantia do produto.

– Cuidado com mergulhos repetitivos, utilizando a mesma bateria, pois seu tempo total de utilização pode facilmente ser excedido.

– Quando a bateria for nova, certifique-se de efetuar 3 a 4 cargas e descargas completas. Isso ajudara a aumentar a vida útil de sua bateria. É interessante colocar a lâmpada em um recipiente com água, para ajudar na dissipação do calor gerado pela lâmpada, e lembre-se: respeite os limites indicados pelo fabricante.

– O bom lembrar também que as lâmpadas HID não começam a ficar “amareladas” como as halógenas, indicando redução na carga da bateria. Elas simplesmente apagam, quando a carga disponível não for suficiente para alimentar corretamente o ballast. Uma indicação na redução da carga de sua bateria, pode ser o início de oscilações da lâmpada durante o uso. Porém, não recomendo que use isto como regra.

– Não olhe diretamente para o facho da lanterna, pois ela emite raios Ultra Violeta (UV), que podem danificar sua visão. Além da água funcionar como um dissipador de calor, filtra também esses raios.

– O tempo de “aquecimento” da lâmpada HID é de aproximadamente 4 minutos. Após ligar sua lanterna, aguarde ao menos este período antes de desligá-la. Repare que ao ligar sua lanterna HID, a lâmpada permanece oscilando por algum tempo, até que em um determinado momento há uma estabilização. Quando isto ocorre, podemos dizer que ela cumpriu seu tempo de aquecimento. O não cumprimento desta norma, pode danificar sua lâmpada e a consequente perda da garantia.

HID2Ao retornar do mergulho

Assim como todo e qualquer equipamento de mergulho, a lanterna também deve ser bem limpa após o mergulho. Lembre-se de abrir o compartimento da bateria e limpá-lo, pequenas gotas de água podem vencer os obstáculos de vedação e se alojar no local, ajudando a oxidar a bateria e a reduzir a vida útil dela e de suas conexões.

Retire o O-ring de vedação do compartimento da bateria, lave-o e lubrifique-o, em seguida guarde em local diferente de onde ele é utilizado. Não deixe o O-ring comprimido sem que a lanterna esteja sendo utilizada. Isto irá ocasionar a fadiga da borracha, fazendo com que ela não realize a vedação corretamente. Um bom local, fácil e seguro, é deixar o O-ring dentro do próprio canister.

Procure sempre por pequenos vazamentos em sua lanterna, caso encontre algum, não volte a utilizá-la, até que tenha sido reparada.

Quando precisar de manutenção…  Encaminhe ao centro técnico especializado de sua confiança ou ao próprio fabricante.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.