Limpando objetos metálicos de incrustações

Antigo canhão passando pelo processo de limpeza de eletrólise

Uma dúvida comum entre os mergulhadores que necessitam limpar algum objeto metálico de incrustações, é como realizar isso de forma correta e que o objeto fique limpo por completo.

Um dos métodos mais utilizados é a imersão do objeto em ácido muriático. O problema, é que a venda desse tipo de ácido diminuiu no mercado, ficando mais difícil e complicado encontrá-lo. Antigamente era comum a aquisição em lojas de tintas e produtos de limpeza, um produto denominado “Limpinho”, que nada mais era do que o próprio ácido muriático, mas hoje em dia, são poucas as lojas que comercializam esse produto.

Eletrólise

Muitos refrigerantes com gás irão remover a ferrugem e objetos estranhos em pequeno grau, pois a parte do CO2 em solução se transforma em H2 CO3 (Ácido Carbônico), que reverte a oxidação (redução). Refrigerantes a base de Cola contêm Ácido Fosfórico (H3 PO4), que é um ingrediente ativo e usado na indústria siderúrgica, também pode ser usados para a remoção de pequenos objetos.

Ácidos como vinagre (Ácido Acético), Ácido Clorídrico, Ácido Muriático ou Fosfórico podem ser usados ​​para a remoção de objetos estranhos ao metal, entretanto, podem ser destrutivos para antiguidades e artefatos enferrujados, e é aí que a eletrólise simples entra.

A eletrólise é um processo físico-químico que utiliza a energia elétrica de fonte de energia para forçar a ocorrência de uma reação química. Através dela, é possível tirar incrustações de objetos que ficaram por um longo tempo imersos na água do mar, de forma mais fácil e menos degradante para o objeto a ser limpo.

Para realizar a eletrólise é preciso seguir o procedimento abaixo:

Passo 1

A energia pode vir de qualquer fonte, dependendo do tamanho do projeto. Normalmente um carregador de bateria de 6 / 12v, pode produzir muita amperagem. Uma corrente de trabalho mais lenta, talvez de 200mA a 12V, é mais apropriada. Para itens maiores, mais amperagem pode ser aplicada; e mais amperagem significa eletrólise mais rápida e você deve tomar cuidado com a energia aplicada conforme o tamanho e densidade da peça, pois energia demasiada pode degradar o objeto a ser limpo.

Pegue o fio negativo ( – ) do carregador e ligue no objeto metálico a ser limpo;

Passo 2 

O uso de um metal ferroso que contenha aço inoxidável, cobre, zinco ou níquel pode causar o revestimento desses metais no cátodo, pois ele será um ânodo. O aço inoxidável contém cromo e deve ser evitado para uso no ânodo, pois gases venenosos e cromatos perigosos podem ser produzidos no eletrólito.

Este processo de eletrólise também produz pequenas quantidades de oxigênio puro e hidrogênio, portanto, o projeto deve ser realizado em uma área bem ventilada e faíscas ou chamas devem ser evitadas nas proximidades.

Mergulhe o metal ferroso de sacrifício em uma bacia com água doce e ligue o positivo ( + ) da bateria / carregador na placa nele;

Passo 3

Como a água doce é um mau condutor de eletricidade, ela precisa ser alterada com outras substâncias para que possa permitir a troca iônica eletrolítica.

Soluções ácidas ou água salgada funcionariam, mas elas são corrosivas e menos desejáveis ​​do que o uso de soluções alcalinas para um eletrólito.

Qualquer base como Bicarbonato de Sódio, Carbonato de sódio, Carbonato de Potássio (Potássio), Hipoclorito de Sódio (Água Sanitária), Hidróxido de Sódio (Lixívia ou Soda Cáustica) podem ser adicionados à água, mas pra facilitar a vida, você pode adquirir um produto denominado Barrilha Leve, normalmente encontrado em casas que comercializam produtos para tratamento de piscinas.

Então, coloque uma solução de Barrilha Leve na bacia com água, numa proporção de uma concha de feijão para cada 10 litros de água;

Passo 4

Ligue a bateria /adaptador e deixe a eletrólise atuar.

Monitore o processo a cada 10 ou 15 minutos, e verifique se os objetos estranhos estão se soltando do objeto metálico a ser limpo.

Conforme o tamanho do objeto e da voltagem utilizada, o processo pode levar de alguns minutos até várias horas.

Conclusão

Quando você achar que o objeto metálico já está bem limpo, se for possível, utilize uma escova de aço para finalizar o processo e tirar mais facilmente o que ainda não se soltou da peça. Sendo uma peça delicada, o uso de escovas de aço pode acabar danificando o objeto. É preciso tomar cuidado nessa operação.

Vale ressaltar que o processo de eletrólise irá degradar o metal de sacrifício e deverá ser descartado depois da limpeza

Uma antiga arma recuperada e limpa usando eletrólise
Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983, no autônomo em 1986 pela CMAS e Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount. Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP), atuando em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior. Também atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.