Manchas na máscara de mergulho

A área de contato com o rosto nas máscaras de mergulho, tendem a terem manchas mais escuras.

Algumas vezes encontramos máscaras de mergulho com algumas manchas no silicone, principalmente, nos modelos com silicone transparente ou mais claro.

Em casos mais raros, até máscaras inteiras manchadas e com uma cor mais escura que a tonalidade original. Isso acontece devido ao contato da máscara com o suor do rosto, que com o tempo, consegue desbotar a tonalidade original do silicone.

Como sabemos, máscaras de silicone são bem mais resistentes contra o sol do que os modelos mais antigos e fabricados puramente em borracha. Hoje até encontramos máscaras fabricadas com borracha sintética, que é a borracha com a adição de alguns componentes químicos para ampliar a durabilidade dessa borracha, mas ainda assim, são menos resistentes que os modelos fabricados em silicone.

Basicamente a origem dessas manchas se relaciona com o contato direto com componentes químicos, como o próprio suor do mergulhador e elementos químicos à base de óleo, como é o caso do protetor solar.

Já é comprovado que esses protetores acabam facilitando a aparição de manchas no corpo da máscara de mergulho e infelizmente não há como contornar esse tipo de problema.

A melhor forma para tentar diminuir a aparição de manchas, é tentar remover o máximo possível do protetor solar que esteja no rosto do mergulhador, para diminuir o contato direto do corpo da máscara com o elemento químico.

Jamais o mergulhador deve sair para mergulhar sem o uso do protetor solar, mas para manter seu equipamento em melhores condições, infelizmente será necessário remover o protetor antes de utilizar a máscara.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.