Marsa Alam

A primeira vez que eu ouvi falar em Marsa Alam, foi através de uma bióloga marinha que trabalhava no hotel em que eu estava hospedada nas Ilhas Maldivas. Ao conversarmos sobre mergulho, ela me disse que esse lugar ainda é pouco conhecido e explorado, e que seus corais eram maravilhosos e cheios de vida, além da diversidade da vida marinha encontrada por lá.

Desde então, coloquei Marsa Alam na minha lista de lugares que eu deveria mergulhar, e em novembro de 2014, resolvi passar 10 dias curtindo esse paraíso no meio do nada.

Marsa Alam está localizada em uma região remota do Egito, mas isso vem mudando nos últimos anos desde que seu aeroporto internacional foi construído em 2001. Localizada à 735 Km da capital do país, Cairo, onde as cidades grandes mais próximas são Hurghada (284 Km) e Luxor (237 Km), Marsa Alam está entre o Mar Vermelho e o deserto.

Um lugar calmo para relaxar em praias paradisíacas, mergulhar, fazer snorkeling e viagens de barco e ser paparicado em um spa. A partir de lá, saem os famosos barcos Live aboards / Safaris – os quais ficam dias em alto mar, e voltado para mergulhadores. Além de tudo isso, é um lugar ensolarado o ano todo, um destino bem barato, especialmente para os europeus.

Antes que me perguntem, não, não há pirâmides em Marsa Alam, mas sim, há camelos – frequentemente vistos nas praias e sendo transportados em caminhões nas estradas da região.

Pela extensa costa de Marsa Alam, há diversos resorts à sua escolha, mas a área mais comum para se hospedar é em Port Ghalib, onde há um pouco mais de civilização, com restaurantes, mercadinhos, hospital, e claro, o porto de lá. Os hotéis mais afastados do porto são localizados em áreas ainda mais remotas, e se você está planejando fazer mergulho ou passear de barco, um transfer será necessário. Alguns resorts estão localizados de 1 à 2 horas de carro, inclusive.

Marsa Alam é um verdadeiro paraíso para famílias, casais, mergulhadores e snorkelers; águas cristalinas e turquesas, com coloridos corais, onde inúmeras espécies de peixes, moréias, arraias, golfinhos, os raros “dugongs”, diferentes espécies de tartarugas e tubarões podem ser vistos. No entanto, um paraíso como esse deve ser preservado, e devo dizer que fiquei muito decepcionada em ver tanto lixo espalhado pelo lugar. Enquanto eu mergulhava, cheguei a tirar sacos e garrafas de plástico que estavam debaixo da água, uma pena.

Seria provavelmente uma boa idéia conscientizar a população local, assim como os turistas, ou talvez, até mesmo implementar no Mar Vermelho um dos projetos de organização e preservação ambiental, antes que esse problema se agrave.

Considerando visitar Marsa Alam, especialmente para quem deseja mergulhar, aqui vão algumas dicas que podem lhe ajudar bastante a planejar sua viagem de acordo com suas preferências:

A chegada

Decidi ir de Munique, na Alemanha, para Hurghada, já que há vôos diretos e que duram 4:30h apenas. Até o momento, ainda não há vôos direto de Munique para Marsa Alam, e as opções com conexão levam praticamente o dia todo.

Ao chegar a Hurghada tínhamos um transfer organizado pelo nosso centro de mergulho nos esperando. Demorou um pouco mais de 2h para chegar ao nosso hotel, mas devo avisar que os egípcios possuem um jeito bem peculiar de dirigir, definitivamente não é o meu favorito, mas chegamos bem no hotel.

Hospedagem

Após meses decidindo onde eu e meu esposo ficaríamos hospedados, escolhemos o resort Marina Lodge at Port Ghalib, pois o preço era bem justo para uma opção all-inclusive, e os barcos do centro de mergulho que escolhemos saíam diretamente da porta do hotel.

O quarto era bem espaçoso, limpo e silencioso, o staff era bem simpático e prestativo, um dos garçons do restaurante sugeriu um chá para melhorar minha terrível dor de garganta, fiquei extremamente grata. A Internet foi um problema – o mesmo em todos os resorts da região – custava U$ 7 por hora, claro que não paguei, então decidi comprar um SIM card com alguns gigas de Internet.

A comida era mais ou menos, mas me parece que isso é algo comum na região. No entanto, não estava buscando luxo, principalmente, porque passamos a maior parte do nosso tempo no mar mergulhando.

Marsa Alam é uma parada obrigatória para mergulhadores, principalmente por causa de seus famosos pontos de mergulho, mas é um lugar mais para ficar hospedado na condição all-inclusive, e não muito direcionado à mochileiros. Adorei ter ficado em Port Ghalib, e os mergulhos foram um sonho, um paraíso…

O Centro de mergulho

Ao buscar por um centro de mergulho em Marsa Alam na Internet – em Inglês – verá que o nome Emperor Divers sempre aparece no topo, e as opções por lá são meio limitadas. Demoramos para decidir o centro de mergulho, mas depois de tanta pesquisa, acabamos ficando mesmo com o Emperor Divers. Não é a opção mais barata, e achei que faltou um pouco daquela sensação de se sentir em “família” que normalmente encontro em centros de mergulho menores.

No entanto, eles são bons, com barcos ótimos, um staff simpático e prestativo, e oferecem um ótimo “house reef” – recifes para mergulhar. Como eles possuem uma sede no hotel que ficamos, foi bem prático para pegar o barco à passos de onde tomamos café da manhã. Há também, outras opções de centro de mergulho em Marsa Alam e ouvi muita gente recomendando o Extra Divers. A verdade é que é necessário saber onde se hospedará, pois alguns resorts ficam longe dos centros de mergulho e é preciso um transfer para ir até o porto.

Os Mergulhos

Águas turquesas, uma vida marinha rica, corais saudáveis e coloridos, naufrágios, mergulhos em correnteza – drift – cavernas e cânions; imagine tudo isso em um só lugar. Sem dúvidas, um paraíso para quem ama mergulhar. Bom, para a felicidade dos mergulhadores esse lugar existe.

Marsa Alam oferece inúmeros pontos de mergulho, onde muitos são estilo shore diving – pela costa – alguns acessíveis há no máximo 2h de barco, e outros, somente com um Liveaboard – embarcações para mergulhadores. Há pontos de mergulho para todos os níveis, de iniciantes até os mais avançados e experientes. Se estiver considerando aprender a mergulhar, aqui é um lugar maravilhoso para fazer isso. No entanto, se você estiver à fim somente de fazer snorkeling, não se preocupe, aqui também é um paraíso pra você.

A vida marinha

A vida marinha do Mar Vermelho é sem dúvida abundante e diversa, desde pequenos camarões limpadores até o maior peixe do mundo, o inofensivo tubarão-baleia. Esteja você procurando ver animais pequenos ou grandes, aqui é o lugar
Para que eu pudesse dar conta de aprender os nomes dos animais, usei um pequeno guia da vida marinha no Mar Vermelho. Normalmente disponível em diversas línguas, baratinho e prático. Certamente me ajudou à entender do que o guia estava falando, à identificar o que eu via, e claro, à apresentar algumas espécies à vocês.

 

Os Corais

De todas as cores e texturas, seja mergulhando ou fazendo snorkeling, em Marsa Alam você verá Corais de Fogo, Anêmonas, Salada e uma lista enorme de mais de 40 espécies.

Estrelas do mar, caranguejos, lagostas, camarões limpadores, águas-vivas, lulas, polvos, entre outros. A família de invertebrados do Mar Vermelho é longa, e muito interessante.

Existem tantas espécies de peixes no Mar Vermelho, que a maioria eu não tinha idéia que existiam. Dos pequenos peixes-palhaços – famoso Nemo – até o grande Napoleão e Barracuda. Diferentes como o peixe crocodilo, peixe fantasma e peixe sapo. Ao final da viagem, você terá o seu favorito e por algum motivo me apaixonei pelos Schooling Bannerfishes. Talvez, pelo jeito engraçado que eles olhavam para mim.

Já as arraias, a mais comum, é a de pontos azuis, e em um dos meus mergulhos contei 10. Tendo sorte, também verá uma Manta Ray ou uma Spotted Eagle Ray. Tive a sorte de ver esta última.

Para vocês em busca de ver os grandes peixes, em Marsa Alam você verá. Há tartarugas marinhas gigantes, golfinhos, os raros Dugongs – vacas marinhas – moréias, tubarões-baleia, e outras espécies de tubarões como o tubarão martelo e o tubarão galha branca, que tive a oportunidade de vê-lo nadando bem próximo.

Obviamente, para ver todos eles, dependerá muito da época do ano que você pretende mergulhar por lá, e também do fator sorte. Infelizmente não vi golfinhos, Dugongs, nem o tubarão baleia e martelo, sendo mais uma razão para voltar…

Cavernas e Naufrágios

Se aventura é o que você busca, por lá, há diversas cavernas, sendo que a maioria está há no máximo 10m de profundidade. Também há o famoso naufrágio Hamada, localizado aos 18m de profundidade. Esse navio afundou em 1993 e possui 63m de comprimento, sendo hoje, a casa de muitas espécies marinhas e um ponto de mergulho lindo.

Os melhores pontos de mergulho

Marsa Alam ainda é uma região pouco explorada no país, o que significa que é menos visitada por mergulhadores que… por exemplo, a famosa Sharm-El-Sheik (onde eu também quero mergulhar). Então se você estiver pensando em aprender à mergulhar, Marsa Alam é um lugar perfeito para isso.

Ras El Torfa

Este ponto foi onde fiz o meu primeiro mergulho no Mar Vermelho, e fiquei impressionada como o local é colorido. Além da grande variedade de peixes, assim, como corais também. Nossa guia disse que esse é o seu ponto de mergulho favorito em Marsa Alam , e que há uma tartaruga macho vivendo no local e sempre passa para dar uma olhadinha nos visitantes. Infelizmente ele decidiu não aparecer para nos dar as boas vindas nesse dia.

Naufrágio Hamada

Esse foi o meu mergulho mais esperado e certamente não decepcionou. O Naufrágio Hamada está à 2h de carro de Port Ghalib, centro de Marsa Alam e saindo de praia. É uma praia paradisíaca em uma área completamente remota, onde só há um lugar para mergulhadores colocarem seus equipamentos. No entanto, tudo o que posso dizer é que mergulhar por lá valeu o tempo e cada centavo gasto. O navio é simplesmente lindo, e você se encantará com a vida marinha encontrada ao seu redor.

O Naufrágio Hamada era um navio de carga que encalhou nas águas rasas, naufragando em 1993. Carregava toneladas de bolinhas minúsculas de plástico, as quais ainda são encontradas até hoje espalhadas pela areia da praia. A boa notícia, é que o naufrágio encontra-se aos 18m de profundidade, sendo de um ponto sem restrição aos mergulhadores.

Além do navio, a grande quantidade de vida marinha, assim como grandes barracudas, peixe-leão, polvo, peixe-escorpião, peixe-crocodilo, e diversas outras espécies de peixes e seres marinhos.

Uma informação importante, é que o local é uma área remota, não havendo banheiros. Sim, isso mesmo, nada de banheiros, restaurantes e absolutamente nada. Em termos de comida, o centro de mergulho oferece almoço, lanches e bebidas, e claro, dá pra levar sua própria comida.

Abu Dabbab

Um dos animais que eu estava louca para ver durante a minha viagem de mergulho para o Egito, era o Dugongo, e esse ponto de mergulho é famoso por causa da presença deles, mas no entanto, para minha tristeza e decepção, não vi nenhum aqui e nem nos outros pontos de mergulho.

O que mais vi, foram tartarugas e os lindos corais e peixes de costume. Além da minha decepção em relação ao Dugongo, também me incomodei com a quantidade de pessoas fazendo snorkeling. Não me leve à mal, eu também faço e adoro snorkeling, o que estou tentando dizer é que haviam tantas pessoas na água nesse dia, que se eu fosse um Dugongo não gostaria de estar por lá…

De qualquer forma, me diverti mergulhando com todas as tartarugas ao redor. Só foi um pouco difícil sair da água com meu equipamento em razão das ondas. A saída é feita pela praia.

Marsa Shouni Kebir

Um lugar maravilhoso para mergulhar. Devo dizer que esse lugar me fez sorrir várias vezes debaixo d’água, tanto por causa da beleza, como também, pela sorte em ver 2 moréias nadando, pois normalmente ficam escondidas entre os corais

Ras Trombi

Um ponto de mergulho bem especial para mergulhadores que fazem day trips, porque normalmente, só barcos Liveaboard passam por lá, já que fica longe de Marsa Alam. No entanto, nesse dia tivemos a sorte de não ter ventos e nosso barco chegou até lá, e realizamos três mergulhos.

Ras Trombi é um lugar lindo na superfície e debaixo d’água. É praticamente intocado, o que o faz tão especial.

Recife de Elphinstone

Agora estamos falando de um ponto de mergulho que está entre os 50 melhores do Mundo. Normalmente são encontrados tubarões martelo e o tubarão galha branca.

O único problema do Elphinstone é que antes de chegar a Marsa Alam, não tinha idéia das histórias que eu ia ouvir sobre esse lugar. Muitas pessoas falavam em como era perigoso e insano… certo, é mesmo, mas vamos deixar o drama de lado. A maioria das histórias eram exageros.

Elphinstone fica no meio do nada, é um mergulho profundo onde é difícil controlar sua profundidade porque você provavelmente estará mais preocupado com a corrente. Se você gosta de mergulhar com correnteza, aqui é o seu lugar.

Mergulhar no Elphinstone pode ser um pouco assustador, por causa de todo o azul escuro do oceano ao seu redor, e as vezes, dá a sensação de estar em um abismo. Para mim foi bem estranho, já meu esposo, amou o local. Só posso dizer que a única coisa que gostei de mergulhar no Elphinstone foi ter visto um tubarão galha branca vindo na minha direção. Se eu não estivesse debaixo d’água, teria ficado de boca aberta… ainda assim, não pude conter um sorriso.

Os centros de mergulho pedem que você tenha no mínimo 30 mergulhos registrados. Alguns, pedem 50 para poder mergulhar nesse local.

Por causa de sua localização, há correntes fortes em Elphinstone. Por isso, dependendo das condições climáticas, especialmente em relação ao vento, a viagem de mergulho até lá muitas vezes é cancelada.

Dependendo da época do ano, não é garantido ver tubarões. Na época que fui, mês de novembro, todos que foram dias antes de mim não viram nenhum.

Dolphin House

Nunca me senti tão mal em minha vida durante uma viagem, como no dia em que fui mergulhar neste local. Estava usando antibiótico porque estava com muita dor de garganta quando cheguei no Egito. Estava enjoada o dia todo, e ventava muito, o que significa que estar em um navio com náusea não era uma boa idéia, mas ainda assim, decidi mergulhar, e como o nome do ponto de mergulho sugere, você verá golfinhos, e eu realmente queria ver um.

O negócio é que mesmo estando mal e não vendo nenhum golfinho, esse foi o ponto de mergulho mais lindo que já mergulhei até hoje, e uma caverna que visitei, me fez esquecer todo mal estar. O Dolphin House é uma área protegida, e isso aconteceu recentemente. Antes, mergulhadores e snorkelers podiam ir até a área que hoje é protegida e que normalmente se vê os golfinhos facilmente, porém, hoje em dia, só é permitido ficar ao redor dessa área e os barcos devem seguir regras.

Dicas:

  • É preciso saber que mergulhar em Marsa Alam envolve custos extras além dos mergulhos (ex: gasolina para o barco, taxas ambientais, almoço no barco, etc), ao escolher o seu centro de mergulho, se informe sobre isso;
  • Procure reservar os seus mergulhos com antecedência, porque sem dúvidas, sairá mais barato;
  • Se quiser se familiarizar com a vida marinha que você verá por lá, compre um guia com as espécies do Mar Vermelho, será bem útil;
  • Escolhi mergulhar com o Emperor Divers, mas muitas pessoas também me recomendaram o Extra Divers;
  • O house reef – recifes locais – oferecido pelo Emperor Divers e Extra Divers é maravilhoso, com muita coisa para ver. Dá para fazer guiado ou por contra própria junto com sua dupla, eu e meu esposo fizemos os dois.

Informações úteis

  • Visibilidade: varia entre 20 e 60m (entre abril e maio a visibilidade pode ser reduzida por causa dos plânctons);
  • Temperatura da água: entre 24°C (janeiro) e 30°C (julho e agosto);
  • Vento: pode ser bem forte entre os meses de novembro e fevereiro, limitando alguns pontos de mergulho como o famoso Elphinstone Reef;
  • Idioma Oficial: Árabe, mas a maioria fala inglês e alemão, ou até mesmo italiano.
  • Moeda Oficial: Libra Egípcia, no entanto dólar e euro são muito bem-vindos.
  • Visto: Se você for brasileiro é bem simples, é possível comprar o visto ao chegar no aeroporto por U$ 25 (custo em 2014), através de um sistema um pouco “estranho” e bem diferente do que estou acostumada a ver.
  • Segurança: apesar da atual situação política do país, Marsa Alam não oferece nenhum perigo relacionado à protestos ou terrorismo.

Melhor época para ver:

  • Manta Rays: abril e maio;
  • Tubarões-baleia: maio e junho;
  • Tubarões Martelo: maio até agosto;
  • Tubarão Oceânico de Ponta Branca: outubro a dezembro.

Pontos de Mergulho mais famosos: Elphinstone Reef, Abu Dabbab, Dolphin House e Hamada.

O Egito foi o terceiro país onde tive a oportunidade de mergulhar, depois da Croácia e Turquia. Algumas pessoas dizem que mergulhar no Mar Vermelho é melhor do que muitos lugares famosos como o Caribe, no entanto, como provavelmente a minha amiga Indah, que também é mergulhadora e blogueira, concorda comigo, que não há lugares melhores que outros quando se trata de mergulho, e todo lugar é diferente, e depende muito do que você quer ver. De qualquer forma, para todos os gostos, o Egito deve estar na sua lista.