Máscara Full Face Cyclop Sea Sub

Foto: Clécio Mayrink

A onda das máscaras Full Face para snorkeling alcançou todos os cantos do mundo, devido à facilidade no uso e sua simplicidade. Ela possui um snorkel acoplado, permitindo assim a respiração natural pelo nariz ou pela boca e, justamente por isso, elas acabaram conquistando o mercado.

Respirar pelo snorkel acaba sendo um incômodo para muitos, principalmente para quem não mergulha, e esse tipo de máscara elimina o problema. Por ser uma peça única, esse aspecto é muito bom para empresas que comercializam passeios de snorkeling nas praias, lagoas, represas ou em rios. Muitos cruzeiros famosos chegaram a adotar essas máscaras Full Face em seus passeios turísticos em praias, justamente pelas facilidades.

Modelo redesenhado

Sabemos que os primeiros modelos apresentaram problemas e, segundo algumas entidades, chegaram a provocar acidentes graves. Com o tempo foi constatado que o grande volume interno do antigo modelo comercializado por diversos fabricantes, permitia o acúmulo de CO2 em seu interior e dificultava a respiração. A máscara era de difícil remoção e não tinha regulagem rápida das tiras. Diante desse problema, um renomado fabricante de máscaras refez o projeto e lançou um novo modelo de máscara Full Face com características muito superiores aos demais modelos antigos. Além de possuir um volume interno muito menor que minimiza o problema do CO2, possui tiras desacopláveis e de fácil regulagem, que era o outro grande problema nos antigos modelos.

No Brasil, o novo modelo de máscara Full Face com snorkel integrado é comercializado pela Sea Sub sob o nome Cyclop.

Ela é produzida em silicone hipoalergênico extremamente macio.

Na parte inferior da nova máscara há uma válvula de purga que drena o acúmulo de água que venha entrar durante a imersão.

A máscara é fixada na cabeça do mergulhador por uma tira padrão de máscaras Full Face. No entanto, a Cyclop possui um sistema de Quick Release, permitindo ao mergulhador soltar e remover a máscara rapidamente. Além disso, é possível ajustar as tiras com facilidade por causa das fivelas de regulagem rápida, bastando apenas puxar as cintas para apertar ou soltar.

Um dos grandes aspectos do novo modelo é o novo formato da lente fabricando em policarbonato, que é extremamente resistente a impactos. Ela possui um campo visual muito melhor que o antigo modelo chegando alcançar os 180°, melhorando sensivelmente a visualização do usuário durante o mergulho.

Foto: Clécio Mayrink

Teste em campo

Recebemos um modelo para conhecer o produto e usamos para ver o desempenho.

O produto veio desmontado, ou seja, é necessário encaixar o snorkel na máscara e travá-lo, facilitando o transporte da máscara na bagagem.

O silicone que molda o rosto é de boa qualidade, muito macio e confortável. Em todo o mergulho não houve vazamentos. É preciso estar atento na hora da compra, pois são 3 tamanhos e o comprador deve adquirir o produto condizente com o tamanho do rosto.

Não tivemos problemas de a máscara embaçar, e o novo formato da lente de fato permite uma visualização muito superior aos modelos antigos. O campo visual é realmente enorme, gerando um conforto aos menos experientes, pois se obtém uma visão muito abrangente.

A remoção da máscara é feita rapidamente, bastando apenas pressionar os botões inferiores para soltar a tira.

Provoquei um alagamento da máscara para avaliar o esgotamento da água de seu interior, e funcionou sem problemas, bastando apenas respirar normalmente.

Foto: Clécio Mayrink

Teste de Esforço

O diâmetro interno do snorkel é consideravelmente satisfatório e permitiu uma respiração com fluidez. A diminuição do volume interno chega a ser gritante em relação ao antigo modelo.

Decidi realizar alguns tiros de natação, para provocar um fluxo maior da respiração e verificar se haveria algum tipo de problema, mas nada de errado foi constatado. Diferentemente dos antigos modelos de Full Face encontrados no mercado, ela não apresentou lente embaçada, apesar do teste ter sido realizado em uma piscina aquecida a 30°C, onde normalmente acaba deixando muitas máscaras embaçadas e provoca um grande cansaço pelo excesso de temperatura incidente no corpo.

Vale ressaltar, que praticantes de natação normalmente treinam em piscina aquecida a 25°C, pois o excesso de temperatura nesses casos pode provocar várias reações ao nadador, dentre elas, o cansaço e o mal estar.

Conclusões

Comparando a Cyclop com o antigo modelo, as diferenças são absurdamente grandes, tanto em conforto quanto na qualidade ótica.

O usuário consegue ter uma boa experiência e acredito que o novo modelo também seja muito interessante para empresas que comercializam serviços como aluguéis de equipamentos de snorkeling, pois o cliente terá uma boa experiência e poderá curtir o mergulho.

Aos interessados em adquirir o produto, a Sea Sub tem o produto disponível no Brasil e pode ser encontrado nas melhores lojas do país ou se você preferir, pode obter mais informações através do telefone da Sea Sub que é o (11) 3832-8342.

 

Breve review

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983, no autônomo em 1986 pela CMAS e Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount. Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP), atuando em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior. Também atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.