Mergulho de Praia e alguns cuidados

Foto: Clécio Mayrink

A grande maioria dos mergulhadores autônomos acaba realizando seus mergulhos utilizando embarcações como apoio, mas no passado, em razão das dificuldades que tínhamos em mergulhar e da falta de operadoras, mergulhávamos muito saindo de praia.

Logicamente, não é o tipo de mergulho fácil de ser feito, mas na falta de uma embarcação e havendo essa possibilidade, o mergulho de praia muitas vezes pode reservar boas surpresas.

A costa brasileira possui muitas praias com boas condições para esse tipo de mergulho, e tomando as devidas precauções e com experiência razoável, é possível realizar bons mergulhos por aí.

Cuidados

Como no mergulho de praia não há uma embarcação dando suporte ao mergulhador, é preciso tomar alguns cuidados para evitar possíveis problemas.

O maior risco neste tipo de mergulho é ser levado por uma corrente e não conseguir retornar até a praia. Sendo assim, o mergulhador deve estar atento alguns pontos.

Embarcações

Tome cuidado com a possibilidade de trânsito de embarcações no local do mergulho.

O uso de uma boia de sinalização servirá de alerta aos pilotos das embarcações, pois ele terá maiores chances de tomar conhecimento de que há mergulhadores na água. Ao retornar à superfície, preste atenção e tenha a certeza de que não esteja ouvindo o som de motores de embarcações nas proximidades.

Suba sempre olhando para cima.

Prainha em Arraial do Cabo – RJ – Foto: Clécio Mayrink

Correntes

Outro aspecto importante nesse tipo de mergulho são as correntes e mudanças repentinas de marés. Procure mergulhar no horário do “estofo de maré”, momento em que a maré se mantém estável entre as variações.

Se existir a possibilidade de correntes fortes no local, não mergulhe, pois você poderá ter dificuldades para retornar e, sem uma embarcação de apoio, tudo ficará mais complicado.

Menos é mais

Procure levar o mínimo de objetos. Isso diminui o arrasto na água e causará menos fadiga.

Sinalizadores

É imprescindível levar sinalizadores. Dive Alert, Marking Bag, Deco Marker, lanterna e até mesmo um CD de música, são recomendáveis. Sinalizadores são obrigatórios nesse tipo de mergulho e poderá ajudá-lo em uma situação inesperada para pedir ajuda.

Bússola

O uso de bússola pode ajudar durante a navegação subaquática, principalmente para retornar até a praia. Para isso, você deve ter a prática quanto a sua utilização e ter atenção nos graus de direção a serem tomados.

Um erro na navegação e você poderá parar em um local errado.

Avise os familiares

Antes de sair para mergulhar, combine um horário de retorno com seus familiares. Deixe avisado onde irá mergulhar e retorne conforme o horário combinado, pois se você tiver algum tipo de problema, alguém saberá onde você foi mergulhar e que horas deveria retornar, facilitando o acionamento de um resgate, se necessário.

Distância da Praia

Evite se distanciar muito da praia. O melhor mergulho de praia normalmente é o mergulho realizado na “zona costeira”, ou seja, nadando paralelo as pedras da costa, pois havendo qualquer tipo de problema, você poderá rapidamente subir nas pedras e sair da água.

Se o mergulho é realizando em direção para mar adentro, você deve redobrar a atenção e deixar uma quantidade maior de gás para o retorno.

Saiba o seu limite

Cada mergulhador tem o seu limite. Procure mergulhar dentro do limites de segurança.

Se o seu dupla possui uma condição física melhor que a sua, o mergulho deve ser feito baseando-se na sua condição.

Não vá além dos seus limites, pois o retorno será mais difícil e complicado, e o que deveria ser um lazer, poderá se tornar em acidente indesejado.

Lastro X Vida Marinha

No mergulho de praia normalmente precisamos mergulhar com mais lastro em razão da baixa profundidade no início e quando o cilindro estiver mais vazio. Com isso, o mergulhador estará com sua flutuabilidade mais positiva.

Justamente por estar levando mais lastro, fique atento a flutuabilidade para não esbarrar e danificar a vida marinha local, afinal de contas, estamos lá para apreciá-la.

Praia da Ferradura em Búzios – Foto: Clécio Mayrink
Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983, no autônomo em 1986 pela CMAS e Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount pela IANTD. Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP), atuando em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior. Também atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.