Mergulho Recreacional e Técnico não pode ser só treino

Foto: Clécio Mayrink

De uns anos pra cá, sempre presencio algumas pessoas comentando com amigos: “Saí para treinar… ou “fomos fazer treino”.

E me pergunto: Treinar até quando ?

Quando a pessoa irá de fato curtir um mergulho ?

Será que a pessoa realmente necessita de mais treino por falta de habilidade ou por ter realizado um curso de mergulho de baixa qualidade ?

É perceptível a queda na qualidade dos cursos de mergulho no Brasil e no exterior. A correria pra formar novos mergulhadores e a “venda” indireta de certificados, fez com que houvesse uma diminuição na qualidade dos cursos em todas as certificadoras.

São poucos os instrutores que ensinam com qualidade padrão AAA e que realmente cobram de forma rígida, a execução dos exercícios na água. Talvez por causa disso, acaba existindo a necessidade de tantos “treinos” para que um mergulhador adquira as habilidades necessárias para mergulhar de forma condizente com o certificado desejado.

Por outro lado, vejo algumas pessoas dizendo “saí para treinar”, mas nunca vejo as mesmas pessoas dizendo “saí para mergulhar e curtir o lugar”, e fico me perguntando quando este sujeito vai começar a curtir o mergulho.

O problema, é que de tanto treinar, treinar, treinar e não curtir a atividade como mergulhador, a atividade acaba se tornando uma coisa chata, onde mergulhar fica num “eterno treino”, e a pessoa nunca curte o mergulho como deveria ser, e era no passado.

É claro, que o mergulhador deve estar apto e com a habilidade necessária para o tipo de atividade a qual se pretende fazer, mas jamais ficar num eterno treino e nunca realizar o mergulho como era a pretensão inicial, afinal de contas, treinamos para nos tornarmos bons mergulhadores, e não para ser um “master ultra power advanced gold plus i” do mergulho.

Procure treinar, mas sem deixar de mergulhar para curtir o ambiente subaquático.

A atividade do mergulho não pode ser somente treino. O mergulho deve prover a ambientação subaquática e não nos obrigar a ficar num eterno treino sem prazo para término. Obviamente, os treinos melhoram as habilidades do mergulhador, mas não podemos só entrar na água para fazer viver em razão disso.

Outro cuidado que se deve ter, é com alguns raros instrutores que nunca dizem que você está preparado, e lhe obrigam a sair mais vezes para treinos. É preciso ver se realmente existe a necessidade desses treinos, e se isso nunca termina, desconfie, pois algo de errado está acontecendo.

O mergulho precisa lhe trazer prazer e não uma cobrança sem término pra acabar.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983, no autônomo em 1986 pela CMAS e Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount pela IANTD. Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP), atuando em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior. Também atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.