Mergulho Técnico: Responsabilidade e Treinamento

Vejo várias pessoas realizando cursos de mergulho técnicos por aí, e em alguns casos, o mergulhador não estão apto para este tipo de atividade, principalmente, pela falta experiência no mergulho recreacional.

Obviamente, de nada adianta um mergulhador possuir 100 mergulhos em uma mesmo local, onde muito em breve, este já estará familiarizado com o ambiente. Mergulhando em um local distante, o mergulhador nunca terá total idéia dos possíveis problemas que poderá enfrentar.

Digo isso, pois mergulhadores acostumados a cair em águas claras e quentes, terão dificuldades por exemplo, em mergulhar em outros locais como a região sudeste do Brasil, por exemplo, onde encontramos condições bem diferenciadas, como água fria e visibilidade muito reduzida, se compararmos com as águas do nordeste.

Um mergulho efetuado aos 100m de profundidade com água quente e visibilidade de 40m, é muito menos complicado que um mergulho em um naufrágio aos 50-60m com água aos 12º, visibilidade de 1 a 2m e corrente no fundo.

Em determinadas circunstâncias, com algumas redes de arrasto prontas para pegar de surpresa o mergulhador desatento e inexperiente.

Tenha em mente que um bom mergulhador técnico é aquele que está sempre tentando aprimorar suas habilidades e conhecimentos na atividade, desde que tenha o devido treinamento, e acima de tudo, não tentando fazer os mergulhos mais radicais dos radicais.

Mesmo que você tenha acabado de obter um certificado Full Trimix ou Full Cave, não quer dizer que você esteja totalmente apto para mergulhos tão profundos ou tão distantes dentro de cavernas. Experiência é adquirida com muito treino e gradativamente.

Além disso, na na minha concepção, é inconcebíbel que um mergulhador recreacional com pouca experiência se proponha a realizar um mergulho considerado técnico, com dupla, misturas de gases como trimix, e toda a “tranqueira” necessária para tal. Ele coloca não só a sua própria vida como a do seu dupla em jogo. Se algo ocorrer, você se responsabilizará ?

É claro que não…

Treine adequadamente, e se você já possui treinamento, mergulhe muito e procure sempre conhecer novos locais.

Se deseja crescer no mergulho técnico, experimente condições adversas. Um mergulhador que sempre mergulha de dupla e demais equipamentos, seja em Paraty, Pedreira em Sorocaba ou até mesmo na Laje de Santos, estará se aprimorando mais do que um mergulhador que cai de vez em quando com sua dupla e seu material técnico.

Se for ingressar no mergulho técnico, não se deixe levar por falsas afirmações ou facilidades em realizar um curso.

Pare e pense se está pronto para o mergulho técnico e tenha um objetivo para o mesmo. Faça um curso com profissionais da área e nunca realize um mergulho técnico se não estiver apto para tal

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.