Mergulhos Embarcados

O mergulho embarcado proporciona a oportunidade de conhecer locais de mergulho que não poderiam ser acessados da costa, tais como: ilhas, parcéis, recifes de coral e naufrágios, criando a oportunidade de encontrarmos águas mais claras, bem como ecossistemas diferenciados.

Esta modalidade apresenta várias vantagens: menor probabilidade de longas natações à superfície, possibilidade de resgate dos mergulhadores em situações adversas, menor desgaste do equipamento e acesso mais fácil ao local de mergulho.

Barcos de mergulho podem ser vistos como um fórum de debates permanente, pois se tem a oportunidade de se conhecer mergulhadores das mais diferentes origens, formações e níveis de experiência. Este convívio é extremamente benéfico pois muito pode ser aprendido conversando e observando outros mergulhadores.

Embarcações destinadas a pratica do mergulho, variam em tamanho, conforto e acessibilidade. Todavia, alguns procedimentos básicos são adequados para todas as embarcações. Esses procedimentos chamados comumente de etiqueta de bordo, foram desenvolvidos por supervisores, instrutores e mestres de embarcações, são baseados nos princípios de respeito e cortesia. A chave do sucesso de uma operação embarcada é o desenvolvimento das noções de organização e de cooperação. Se esses princípios forem compreendidos e aceitos, você se sentirá à vontade em qualquer barco de mergulho, em qualquer parte do mundo.

Mas mesmo com todas as vantagens que o mergulho embarcado tem a oferecer, um mergulhador não familiarizado com os conceitos acima pode sofrer embaraços. O espaço restrito, a possibilidade de enjôo, a instabilidade a bordo e das condições do mar, são fatores que precisam ser compreendidos. As recomendações desse capitulo tem o objetivo de tornar a experiência do mergulho embarcado mais segura e prazerosa.

O dia anterior

A preparação do mergulho começa no mínimo na noite anterior, geralmente com uma visita a operadora, para preencher a papelada, conhecer o destino provável da embarcação, obter informações antecipadas sobre o local de mergulho e confirmar as necessidades e disponibilidades de equipamentos de aluguel. No caso de dúvida sobre as condições do seu regulador e do seu colete equilibrador, peça a operadora que os verifique, para evitar problemas como vazamentos indesejáveis.

Pôr mais que operadoras de mergulho e alguns mergulhadores possuam kits de reparo e reposição à bordo, é impossível ter peças para todos os propósitos e equipamentos, por isso verifique o equipamento para não arriscar o seu mergulho. Estes procedimentos lhe trarão mais conforto e segurança, além de facilitarem a operação.

A arrumação da bolsa de mergulho após a vistoria do equipamento deve ter as seguintes características: nadadeiras devem estar no fundo ou nas laterais, pois assim posicionadas poderão proteger outros equipamentos, além de serem um dos últimos itens retirados. A mascara pode ser colocada dentro das nadadeiras, o que protege a mesma e economiza espaço. A roupa de mergulho e seus acessórios seriam os próximos itens.

O regulador ficaria sobre a roupa e debaixo do colete equilibrador. Os demais acessórios podem ser colocados nos bolsos separados. Lembre-se que no caso de possuir seu próprio cinto de lastro, ele jamais deverá ser transportado dentro da sacola, a menos que você queira arriscar alguma peça do seu equipamento. Transporte-o na mão ou mesmo na cintura. Tais cuidados possibilitam que esses equipamentos fiquem protegidos de possíveis choques, bem como fiquem posicionados na ordem correta de retirada.

A noite anterior pode determinar o sucesso do seu mergulho. Evite refeições pesadas, que prejudiquem o sono, e tragam desconforto estomacal. Excesso de álcool é receita certa para enjoar no dia seguinte, além de propiciar doença descompressiva, já que o álcool causa desidratação. Se você for propenso a enjôos, a noite anterior é a hora de tomar a medicação, pois com o espaço de 8 a 12 horas antes do mergulho, a medicação contra enjôo age, sem que efeitos colaterais como sonolência, queda de pressão e diminuição de percepção, estejam presentes.

Essas recomendações também são verdadeiras para descongestionantes. Jamais faça uso deste tipo de medicação de ação rápida, pois há uma grande chance de ocorrer um bloqueio reverso (efeito ricocheteio). Em caso de necessidade, use descongestionantes de ação prolongada. Evite fazer uso de qualquer medicação na hora do mergulho, essas terão pouca chance de agir e os efeitos colaterais estarão presentes.

O dia do mergulho

Não tome um café da manhã exagerado em cafeína, sucos cítricos e gorduras, principalmente se você já sofre de acidez estomacal. Mas também não saia de estômago vazio. Pão, manteiga, geléia e uma xícara de café com leite é a receita ideal.

Procure chegar ao local de embarque 30 minutos antes do horário da saída. Esse cuidado facilita a operação de embarque, lhe dá algum tempo para providências de última hora e evita atrasos.

O embarque

Uma vez a bordo ache o seu canto. Muitos barcos tem os lugares numerados e pré determinados. Localize os seus cilindros e ponha sua bolsa de equipamentos o mais próximo possível deles, facilitando o acesso a mesma sem necessidade de locomoção, e não atrapalhando o espaço geral. Todos os seus outros pertences tais como roupas, lanche, óculos, material fotográfico, devem ser separados e armazenados em local seco. Peça orientação da tripulação sobre onde colocar esses itens.

Comece montando seu colete e regulador. Pressurize o sistema e verifique o funcionamento do regulador, inflador do colete (oral e automático), manômetro e octopus. Lembre-se que esta é a sua última chance de corrigir qualquer problema ou solicitar algum item para aluguel. Pôr último, verifique que o equipamento esteja bem seguro para que não venha a cair durante a navegação danificando-se ou até mesmo ferindo alguém. Não se esqueça de preparar seu cinto de lastro com um número par de peças divididas lateralmente, deixando espaço nas costas e acomodá-lo junto ao seu equipamento, fora da área de passagem.

Preste atenção no briefing do divesupervisor: tempo de navegação, áreas da embarcação onde não é permitido o acesso, localização da lixeira, refrigerantes e regras no uso do sanitário. Não esqueça que a descarga só deve ser acionada com o barco navegando. Caso haja chuveiro disponível a bordo, use a água com moderação.

Durante a manobra para zarpar, evite circular pêlos bordos e proa ou nas demais áreas que atrapalhem o trabalho da tripulação.

A navegação

Utilize o tempo de navegação para estabelecer contato com outros mergulhadores pois você terá a oportunidade de conversar e trocar experiências. Seja cortês e cooperativo com todos. Como já foi dito a condição de camaradagem é de vital importância para a atividade. Caso você não vá mergulhar com um dupla que conheça, determine quem será seu companheiro e qual o seu grau de experiência, bem como seus objetivos nesse mergulho. Familiarize-se com o equipamento do seu dupla e deixe que ele faça o mesmo. Revise os sinais manuais, os procedimentos de separação de duplas e emergências pôr falta de ar.

Caso seu dupla sinta-se ofendido em discutir estes procedimentos ou não queira perder tempo com eles, considere uma troca de parceiros. Se ele não tiver interesse ou tempo para conversar sobre esses temas, como você imagina que será sua performance durante o mergulho? Essas atitudes realizadas de forma descontraída e informal vão contribuir e muito para o sucesso e segurança do mergulho. Antes de tudo, evite a situação que o divesupervisor pergunta: “Quem ainda não tem dupla? Vocês dois, ok. Mergulhem juntos !”.

Caso você enjoe com facilidade procure se acomodar no nível mais baixo da embarcação o mais próximo ao centro, pois a pendulação é menor. Procure uma área arejada longe do barulho e da fumaça do motor, geralmente na posição deitada, até mesmo dormindo. Caso você prefira ficar acordado, evite fixar os olhos.

Na chegada ao local de mergulho libere a proa para a tripulação e jamais entre na água com o motor da embarcação em funcionamento, a menos que você tenha o consentimento da tripulação.

Entrada na água

Comece a equipar-se enquanto escuta atentamente o briefing do supervisor que deverá incluir procedimentos de entrada e saída da água, profundidade e tempo de fundo máximo, dicas que facilitem a orientação submarina, tais como tipo de fundo, presença de correnteza e etc.

Dirija-se a área de entrada , junto com o seu companheiro para que ninguém fique aguardando desnecessariamente. Quando levantar do banco, certifique-se que o cilindro esta solto, que o octopus e o console estão devidamente presos junto ao corpo, e o cinto de lastro na cintura. Coloque a máscara no pescoço, assegure-se que deixou o seu equipamento arrumado e dirija-se para a área de entrada com as nadadeiras na mão. Jamais ande pelo convés com as nadadeiras, essa e uma manobra extremamente perigosa, além de deselegante. Apoie-se sempre em algo durante o percurso. Uma vez na área de entrada ponha as nadadeiras, utilizando o “QUATRO”.

Com as nadadeiras no convés pise com o pé esquerdo sobre a pala da nadadeira direita. Calce o pé direito e fazendo o quatro ajuste a calçadeira com a mão esquerda. Repita o operação com o outro pé e lembre-se que a mão livre deve estar sempre se apoiando em algo. Caso você use nadadeiras de calçadeiras (FULL FOOT), dobre as mesmas para facilitar o procedimento. Cheque novamente a posição do octopus e do console junto ao corpo, respire no segundo estágio e só então entre na água. Não esqueça de estabelecer flutuabilidade e sinalizar ok para a tripulação.

O mergulho

A grande maioria dos mergulhos embarcados são realizados em costões de ilhas, muitas delas oceânicas, o que torna a orientação submarina uma característica decisiva para o conforto e a segurança do mergulho. A maioria dos problemas que acontecem durante esses mergulhos advém de falhas na orientação submarina, que resultam em termino do mergulho longe da embarcação, muitas vezes fora do visual do supervisor da mesma. Longas natações a superfície , principalmente em mar agitado, excesso de lastro, mau gerenciamento do suprimento de ar, tem sido um dos maiores fatores de pânico entre mergulhadores.
Planeje seu mergulho em função de uma boa orientação submarina, trabalhe seu equilíbrio hidrostático para que você tenha conforto e respire menos durante o mergulho, gerencie o consumo de ar da dupla, lembre-se que seu companheiro na maioria das vezes não tem o mesmo consumo que você. Evite subidas e decidas durante o mergulho para se localizar, essas variações de pressão podem facilitar o aparecimento de doença descompressiva.

Preste atenção na variação das ondas junto ao paredão na parte mais rasa, muitos mergulhadores não observam uma profundidade mínima durante o mergulho e são pegos pôr esse movimento e trazidos a superfície rapidamente, o que aumenta o risco de uma embolia traumática , sem falar na situação de ser jogado contra as pedras. Os mergulhos em costões são extremamente gratificantes mais exigem atenção do mergulhador.

Retorno à bordo

Como vimos, Terminar próximo a embarcação e essencial para um mergulho seguro e confortável , mas tenha atenção para não subir muito próximo ao casco, evitando choques com o mesmo, com as hélices ou mesmo com outros mergulhadores que estiverem entrando na água. A aproximação com a escada é um ponto critico, evite se agarrar, ajoelhar, pois o movimento da embarcação pode fazer com que a escada machuque o mergulhador, segurando nas laterais e permitindo que a mesma corra entre as mãos a medida que o barco balança, cruze as pernas frontalmente na posição de quatro, e mantendo a escada afastada tire as nadadeiras, e suba com todo equipamento.

Se você optar pôr desequipar, retire primeiro o cinto de lastro e passe para a borda segurando no lado oposto da fivela, mantendo sempre a escada afastada, solte o quick-release de uma das alças do colete, passe o mesmo para bordo, e com uma das mãos se apoie no fundo do cilindro, só em tão tire as nadadeiras e suba a bordo. Jamais aproxime-se da escada junto a outro mergulhador e nunca fique em baixo do mergulhador que estiver subindo, pois se ele pôr algum motivo escorregar e cair não atingirá você.

Sente imediatamente no seu lugar, evite transitar equipado no convés desnecessariamente, prenda o cilindro no garrafeiro, guarde todo seu equipamento na sacola, e coloque a mesma fora da área de passagem , para que não atrapalhe outros mergulhadores. Anote os dados do seu mergulho, e comece a planejar o próximo com o seu companheiro, não esqueça das tabelas e das paradas de segurança, no caso de mergulhos a mais de 20 metros.

Marcus Werneck

Mergulhando desde dos 16 anos, é técnico em marketing e fotógrafo submarino, foi consultor técnico de diversas revistas brasileiras e argentinas.

Foi o fundador da representação da PDIC no Brasil em 1989 e desenvolveu vários dos manuais e complementos didáticos utilizados no sistema PDIC. Instrutor de mergulho técnico e em cavernas pela GUE.

Seu trabalho na PDIC Brasil fez com que fosse reconhecido como um dos principais educadores do mergulho brasileiro, até mesmo por seus concorrentes, e reconhecido como sendo um dos mergulhadores com grande conhecimento técnico em mergulhos profundos de caverna no Brasil.

Atualmente, atua na área de investimentos na empresa XP Investimentos.