Na rota dos diamantes

O brilho dos diamantes no fundo de um poço esquecido no coração de Minas Gerais, acabou atraindo há décadas, um grupo de exploradores estrangeiros, o que aguçou a curiosidade de outra turma… dessa vez, os brasileiros fanáticos por aventura.

Foram necessários dois meses de planejamento para organizar a “Expedição ao Lago Soberbo”, também chamado de Poção, localizado à 20km de Santana do Riacho na Serra do Cipó.

Há cerca de 50 anos atrás, um homem sentiu-se rico depois de ter conseguido retirar certa quantidade de diamantes das águas do Poção. Mas por descuido, deixou que as pedras caíssem novamente no lago. Ao mergulhar de volta para buscar os diamantes, acabou se afogando. Para o povo da região, aquela teria sido uma morte soberba, nome pelo qual o lago passou a ser conhecido.

Ano mais tarde, vieram os estrangeiros. Esses estrangeiros passaram quatro anos garimpando e drenando o lago, em busca dos diamantes, até que um dia, foram-se de vez, abandonando os equipamentos e a trilha que leva ao poço, sem deixar qualquer explicação.
Os estrangeiros que vieram posteriormente realizaram um grande trabalho de garimpo durante quatro anos com a drenagem do lago, e ao longo deste período, muitos empregos foram criados melhorando, assim, as condições de vida dos moradores da região.

Após este tempo, todo o acampamento e todos os equipamentos foram abandonados sem qualquer explicação. Os moradores locais dizem que após garimparem uma grande quantidade de diamantes durante a estação da seca, os “gringos” foram embora para retornar no ano seguinte, após as chuvas; como faziam há quatro anos, só que desta vez, não voltaram e nem mandaram notícias. Simplesmente desapareceram sem qualquer explicação, deixando para trás, muitas saudades e a esperança de uma vida melhor para aqueles que trabalhavam no garimpo.

Com o passar dos anos, todo o local foi sucumbido mediante a ação do tempo e dos saques, resultando no que hoje ilustra um cenário sinistro, com restos de casas de pedras, máquinas, chapas metálicas e motores espalhados em uma paisagem inóspita e de extrema beleza natural. Desde então, não se têm notícia de qualquer outro trabalho de garimpo no local.
Mergulhadores experientes integraram uma expedição denominada Paulinho Dive Travel, e exploraram as águas escuras do Lago do Soberbo, formando duas equipes, sob a liderada por Alessandro Corrêa, e a outra, por Paulo Tesserolli, ambos experientes instrutores de mergulho.

Esse tipo de mergulho requer experiência e sangue frio, pois aos 14m de profundidade, a escuridão é total e só enxergamos o facho de luz da lanterna. Além disso, a altitude, a baixa temperatura da água e as cavernas do lago, exigem equipamentos e procedimentos técnicos. É definitivamente um mergulho para quem gosta de fazer correr adrenalina nas veias.

Cercado por morros de até 1.300m de altitude e várias cachoeiras, o lago de 100m quadrados, apresenta água fria (12°C) e escura, com profundidades de até 15m.
Seu fundo é coberto por pedras e areia que, quando garimpada, revela belíssimos cristais transparentes sextavados que aguçam a idéia de que diamantes ainda podem ser encontrados no local.

Fauna e flora subaquáticas podem ser observadas somente com auxílio de lanternas devido à falta de luz solar em profundidades maiores. São tipos de plantas e animais que adaptaram-se à falta de luz e desenvolveram características peculiares para sua sobrevivência na escuridão total, como por exemplo, algas, bagres e minúsculos invertebrados.

O Lago do Soberbo está na Serra do Cipó, distante 20Km da cidade de Santana do Riacho, em Minas Gerais.

O único acesso é através da antiga estrada construída pelos mineradores estrangeiros, mas que, devido ao completo abandono, está totalmente destruída. Como este caminho cruza algumas fazendas, sugere-se fazer contato com os fazendeiros locais.

Grandes erosões e vários deslizamentos deixaram a antiga estrada de pedra acessível somente aos animais de carga e aos veículos 4×4.

Apesar das dificuldades encontradas para transpor com os veículos, os obstáculos naturais da região e da longa caminhada com um sol escaldante, este é um roteiro de extrema beleza através da Serra do Cipó, que devido ao seu relevo, apresenta variadas formações rochosas de quartzito com cânions e riachos que deságuam em deslumbrantes cachoeiras virgens com quedas de até 150m de altura, além das inúmeras flores e orquídeas colorindo o caminho.