Naufrágio Carolina em Cabo Frio

Foto tirada do Forte São Mateus mostrando a localização do Carolina - Foto: Clécio Mayrink

O naufrágio do Carolina aconteceu por volta de 17/09/1913, no lado direito da entrada do Canal de Itajurú, batendo em algumas rochas bem próximas à cidade de Cabo Frio, litoral norte do Rio de Janeiro. Um pouco antes do seu afundamento, a tripulação do Carolina ajudou a salvar dois náufragos de uma pequena lancha, e mal sabiam que também seriam náufragos posteriormente.

O navio pertencia a Empresa Espírito Santo Caravellas, havia deixado os passageiros em Cabo Frio e seguiria até o Espírito Santo, logo após o descarregamento.

Enquanto o navio estava sendo descarregado, um mau tempo se instalou na região, provocando o rompimento das amarras e deixando o navio à deriva. Enormes vagas faziam com que o navio colidisse com muita força contra as pedras, agravando a situação toda.

A tripulação conseguiu escapar com segurança usando botes e felizmente não houve mortes.

O Carolina foi construído em 1901 em Southampton, sul do Reino Unido, tendo os nomes Paraná e União anteriormente. Era um vapor com motor de 83 HP, tendo 54m de comprimento.

Uma lenda

Segundo o conhecido instrutor de mergulho, Paulo Dias, um profundo conhecedor das histórias de naufrágios ocorridos no Estado do Rio de Janeiro, o Carolina levava consigo máquinas de costura Singer e carga variada.

Reza a lenda, que a conhecida região de roupas e biquínis em Cabo Frio, foi criada com o afundamento do Carolina, onde muitos teriam resgatado partes da carga perdida e passaram a produzir roupas na cidade.

Lendo os jornais de época, há indícios de que parte do casco do Carolina que ficara deixado para trás, tenha sido leiloado como sucata.

Foto: Paulo Dias

Mergulho

A profundidade média gira em torno dos 5 a 7m, podendo alcançar os 15. A visibilidade pode alcançar os 15m em dias de água clara.

Pouco sobrou do naufrágio, pois já são mais de 100 anos submerso e sofrendo todos os dias com o contato direto com o mar, mas o grande destaque é a caldeira que abriga grande vida marinha no local.

É possível avistar duas âncoras e pedaços das chapas no local. Infelizmente devido a baixa profundidade, isso facilitou os saques.

Como chegar

Para se chegar ao naufrágio Carolina, é possível nadar até ele, pois são 350m beirando o costão, porém, não é recomendável, pois será necessário atravessar o Canal de Itajurú, que apesar dos seus 65m de largura, possui intenso tráfego de embarcações, sendo arriscado fazer essa travessia dessa forma.

É possível ir de Stand Up Paddle (SUP) e fazer um snorkeling no local. Ainda assim, a melhor opção é conhecer o naufrágio tendo uma embarcação de apoio, por trazer mais segurança aos mergulhadores.

Colaboração: Paulo Dias

Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.