Naufrágio Spiegel Grove – Um gigante nos mares da Flórida

Spiegel Grove na marinha americana - Foto: US Defense

A Flórida é conhecida como um dos locais onde há um grande número de navios afundados para a criação de recifes artificiais, e um deles ficou famoso após um furacão passar pelo local e revirar o naufrágio por completo… o Spiegel Grove.

Ele estava de lado e virou para a posição de navegação, dando uma ideia do poder que um furacão possui. Fico imaginando a cara do primeiro divemaster mergulhando no Spiegel Grove após a passagem do furacão. No mínimo deve ter se assustado com o que viu, pois é difícil imaginar um navio com todo esse porte se mexer para outra posição no fundo do mar.

Foto: Clark Anderson / Aquaimages

O naufrágio

O Spiegel, assim como é chamando por lá, era um navio de guerra da marinha americana com 160m de comprimento e 11.525 toneladas.

Foi afundado em 10 de junho de 2002, mas infelizmente algo deu errado e o navio acabou indo para o fundo de lado. Em julho de 2005 o furacão Dennis moveu o naufrágio deixando-o em posição de navegação, ou seja, de pé.

Foi um susto e ao mesmo tempo, uma grande felicidade para os operadores que trabalharam duro para que o naufrágio fosse realizado.

Com todo seu passado histórico e agora, com essa notícia dele ter sido revirado, acabou aumentando a vontade em conhecê-lo de perto, pois como já havia visitado outros excelentes naufrágios por lá, e o Spiegel não deveria ser diferente.

Aproveitando a ida ao DEMA Show, a maior feira de mergulho do mundo e que naquele ano seria em Orlando, tive a oportunidade de descer de carro até a região de Key Largo, onde se encontra o Spiegel Grove.

Contatamos uma conhecida operadora de lá e deixamos tudo agendado. Com tudo acertado, chegamos cedo à operadora e partimos rumo ao Spiegel Grove, tendo navegação tranquila e com um grupo de mergulhadores brasileiros ansiosos para conhecer o naufrágio.

Foto: Clark Anderson / Aquaimages

Mar calmo, água quente e transparente, e iniciamos a descida em um dos naufrágios do momento, e a primeira coisa que me veio à cabeça era… ele realmente é grande !

Seus 160m fazem do Spiegel Grove um gigante embaixo d’água, e aos poucos, fomos conhecendo sua estrutura externa e conhecendo também , sua famosa metralhadora antiaérea.

Durante o mergulho, começou a entrar uma corrente de razoável intensidade e tivemos que redobrar a atenção para conseguir regressar ao cabo que nos levaria até a embarcação na superfície.

Avistamos muitas barracudas e a vida marinha naquela época (2006) ainda estava em intensa proliferação no casco do naufrágio. Por lá é comum serem avistados muitos peixes de passagem.

A profundidade mínima gira em torno dos 14m, e a máxima chega aos 40m.

Após o mergulho chegamos à conclusão que para conhecer bem o Spiegel seriam necessários pelo menos entre 4 e 6 mergulhos sob condições ideais, pois ele é imenso e com muitos ambientes para serem visitados pelos mergulhadores.

Ao finalizar o mergulho, regressamos à superfície e fomos levados até French Reef, um recife de corais relativamente famoso na região Key Largo, onde a profundidade média girava em torno dos 12m, com vida marinha abundante e sendo um excelente local para fotografia subaquática.

Foto: Clécio Mayrink

Com quem ir

Na época utilizamos os serviços da operadora Ocean Divers, que já é bem conhecida pelos brasileiros e possui uma excelente estrutura.

A embarcação é espaçosa e confortável, além da operadora disponibilizar equipamentos para aluguel.

O site deles é oceandivers.com

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.