Nemo 33 – Uma das piscinas mais fundas do mundo

Área externa da academia onde fica a Nemo 33

Este ano (2011) viajei até a Europa, visitando alguns amigos na Alemanha, e como a cidade que iria ficava apenas 2hs de Bruxelas, na Bélgica, pensei na possibilidade de conhecer a tão famosa e mais profunda piscina do mundo, a Nemo 33.

Pegando diversas orientações com o meu amigo Fábio da operadora Subaquática. que por sinal, esteve lá no ano passado, decidi fazer um bate e volta de trem até Bruxelas para mergulhar na piscina profunda.

A piscina

A Nemo 33 é uma piscina construída a quase 7 Km do centro de Bruxelas, cuja profundidade pode variar entre 33 e 35m, de acordo com a manutenção da mesma.

Nemo33-2Ela encontra-se dentro de uma academia, que possui um restaurante, sendo um ponto de encontro de executivos de grandes empresas na região, onde muitos destes, saem na hora do almoço para mergulhar e depois retornam ao trabalho.

Segundo um dos coordenadores do projeto, inicialmente a piscina fora construída para ser um local onde os mergulhadores europeus pudessem mergulhar durante o inverno em um ambiente controlado. Hoje, ela virou um excelente local para cursos de mergulho, teste de equipamentos e destino de muitos turistas estrangeiros, que assim como eu, acabaram tendo a curiosidade de mergulhar por lá.

Nemo33-3Mergulho

Os mergulhos ocorrem durante todo o ano, variando em 1 ou 2 mergulhos por dia e conforme a época do ano. Apesar dos funcionários da Nemo 33 dizerem que há mergulho na torre nos 365 dias do ano, recomendo o envio de um e-mail antes visitá-la, para ter a certeza de que haverá o mergulho no dia desejado e confirmar o horário do mesmo, pois se perder o horário, você só poderá mergulhar no dia seguinte. Atrasos não rolam…

No meu caso, cheguei na Nemo 33 por volta das 11:20 da manhã, e ela só abre as portas ao meio-dia em ponto. Apesar do frio e forte vento do lado de fora da academia, não adianta chorar ou pedir para entrar. Tem que esperar do lado de fora mesmo, e fiquei lá como um pinguim aguardando a abertura das portas, enquanto via os belgas irem chegando em seus carros e aguardando tranquilamente no interior dos mesmos.

Ao meio-dia, as portas são abertas e você entra no local, onde logo à direita, há um guichê onde se apresenta a certificação de mergulho e paga-se uma taxa. Na ocasião (abril / 2011) me custou 22 euros pelo mergulho com tudo incluso, com exceção do computador de mergulho que é obrigatório e pode ser alugado no local por 3 euros.

Nemo33-4Roupa de mergulho, nem pensar, pois a temperatura em toda a academia e da própria água da piscina, giram em torno dos 30 graus.

É importante lembrar que assim como em qualquer mergulho, lá você também precisa ter um dupla para mergulhar, apesar de haverem outros mergulhadores nas proximidades. Como estava sozinho, tive que perguntar à outros dois mergulhadores que estavam na fila, se poderia mergulhar com eles, e no final deu tudo certo.

Quando o relógio marca 12:15hs, um sinal é tocado indicando que é hora de subir as escadas e ir para um grande vestiário, com um extenso armário para guardar sua mochila, toalha e sua roupa. Por sorte, tinha algumas moedas, pois você só consegue trancar o armário e pegar a chave, se colocar uma moeda de 50 centavos de euro, então, se você pretende ir lá, não esqueça dessa moeda !

Roupas e tralhas guardadas, é hora de subir mais um lance de escada para um briefing (orientações) de um dos coordenadores, onde ele fala sobre como deve ser realizado o mergulho na piscina. Existem algumas regras básicas de segurança para todos e exigidas por eles, como por exemplo, não ficar mais que 10min no fundo da piscina.

Após o briefing, montamos os equipamentos e vamos para a água, pois às 12:30hs em ponto, inicia-se o mergulho. Gostaria de ressaltar, que é comum eles colocarem as pessoas para fazer 10min de apnéia para um “aquecimento” prévio. Acredito que seja para uma observação das habilidades das pessoas que irão mergulhar. No dia em que estive por lá, isso não ocorreu, talvez, por só haver mergulhadores conhecidos da equipe da Nemo e sendo eu, o único desconhecido dentre os demais.

O mergulho é iniciado por uma pequena escada que dá acesso à um grande quadrado com uns 3m de profundidade e outro logo depois com 6m. Existem algumas alças no chão, para que os mergulhadores possam se segurar e realizar uma descompressão.

Nemo33-1Logo na descida, é possível avistar algumas janelas que dão para as mesas do restaurante, e acho que é até proposital, pois na volta do mergulho, você acaba vendo as pessoas almoçando no restaurante, e bate uma fome daquelas, dando vontade de sair do mergulho e ir almoçar no restaurante da academia.

Enfim, descemos até o fundo da piscina, meu computador indicou 38m de profundidade, apesar de estar configurado para água doce… sinceramente não entendi… Segundo um dos coordenadores do local, a profundidade pode variar de um dia para o outro mesmo…

Mas voltando ao mergulho, posso dizer que a visão lá de baixo olhando para cima é incrível e dá uma real dimensão do quanto é fundo, mediante a água extremamente clara. Diria que ter uma Nemo 33 em casa, seria um “brinquedo” que eu gostaria de ter em casa para poder brincar após um dia cansativo. Dá vontade de ficar um bom tempo lá embaixo, de olhos fechados e deixando o tempo passar.

Durante o regresso em direção à superfície, entramos em uma área sob teto que é utilizada para alguns treinamentos cursos. Com quase 1h de fundo, finalizamos o mergulho.

Pode ser um mergulho sem vida, mas certamente é um mergulho diferente e recomendável à todos, pois sem dúvida, foi experiência diferente e agradável.

Nemo33-5

Como chegar

Sai da Alemanha em um trem bala da Deutsche Bahn, fazendo um percurso de 250 Km em 1 hora e pouco.

Confesso que visitar a Nemo 33 foi um pouco estressante, por algumas razões… não falo francês e muito menos o flamenco, que é a mistura de alemão com holandês.

Os residentes de Bruxelas não são hospitaleiros e não falam absolutamente nada de inglês. Tive dificuldades de encontrar o tal bonde elétrico que passa no subsolo da estação de trens denominada Brussels Midi. O problema, é que essa estação de trens é uma estação central, é grande e há trens e bondes para tudo quanto é lado e áreas diferentes.

Por sorte, havia uma loja da Air France, e a atendente deu as orientações em inglês, de como encontrar o bonde no local correto.

Tenha atenção que o chamado “Elétrico” é na verdade um bonde que também circula por linhas que trafegam por baixo do solo como o metrô.

Levando em consideração que você irá chegar em Bruxelas pela estação de trens Brussels Midi (maior que a Brussels Nord), compre um ticket do Elétrico (1 euro) em uma das máquinas de venda de tickets disponíveis na estação e procure o Elétrico de número 4 que vá em direção a Stalle. Pegando esse Elétrico, salte na última estação que chama-se Stalle mesmo. Esse percurso leva em torno de 30 à 40min.

Saindo da estação, que nada mais é que uma linha que se divide em três, com 2 plataformas de embarque, siga em direção para a avenida Stalle e atravesse a rua. A Nemo 33 está logo do outro lado da rua.

Para retornar, basta fazer o sentido contrário e comprar o bilhete com o maquinista do Elétrico, pagando um pouco mais caro, por você não ter adquirido o bilhete em uma máquina (1.20 euro).

Quando estive por lá, havia montado um pequeno cronograma para aproveitar e visitar alguns pontos turísticos em Bruxelas antes do meu retorno para a Alemanha, e consegui seguí-lo com a ajuda do metrô disponível na estação Brussels Midi.

A cidade em si, é relativamente pequena e segura, mas não recomendo deixar amostra, equipamentos caros, como câmeras de vídeo ou foto.

Site: www.nemo33.com

Video

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.