O mergulho no sertão piauiense

Sou militar do Exército brasileiro, e em meados de 2008 fui transferido para a cidade de Teresina, capital do estado do Piauí.

Como sou instrutor de mergulho ativo, me preocupei em implantar um centro de mergulho em Teresina, até então inexistente. Essa foi uma de minhas prioridades assim que cheguei, pois como mergulhador ativo, não poderia me imaginar ficar sem mergulhar…

O estado do Piauí possui uma extensão territorial de 251.529 quilômetros quadrados e sua população gira em torno de 3 milhões de habitantes, dentre os quais, 23.4% são analfabetos e 21.4% vivem na extrema pobreza. O agronegócio ao sul do estado e o turismo no seu litoral, são as principais fontes de renda da região.

Destaca-se ainda no sudeste do estado, a Serra da Capivara, um sítio arqueológico de importância mundial, com um clima sempre quente, chegando a 38 graus no segundo semestre.

Piaui3

Durante o 1º semestre chove torrencialmente, e no segundo, as chuvas param e o calor aumenta, provendo condições melhores ao mergulho em águas interiores.

Inicialmente comecei a buscar informações na Secretaria de Turismo de Teresina sobre as cidades de Luiz Correa e Parnaíba (cidades litorâneas do estado), para ter informações sobre o desenvolvimento da atividade no estado, balneários e outros dados que pudessem me levar aos prováveis locais de mergulho.

Realizei várias saídas no litoral piauiense, apoiado pela secretaria de Turismo de Luiz Correa e pelo Curso de Engenharia de Pesca da UFPI – Parnaíba. Mergulhamos em prováveis pontos favoráveis à atividade e sendo orientados por pescadores locais, percorrendo os 60 km de costa do estado.

Infelizmente não tivemos sucesso. O maior delta das Américas, o Delta do Parnaíba, deságua milhões de litros de água barrenta no mar nessa região, prejudicando sobremaneira a visibilidade.

Apenas nesse ano, aprendi que nos meses de julho e agosto, com pouco vento e quase na divisa do litoral piauiense com o cearense, em Cajueiro da Praia (02º55’14” S / 41º 43’12” W), que é a posição mais afastada possível do Delta, poderíamos realizar mergulhos com cerca de 6m de visibilidade com vida marinha variada. Nos demais locais do litoral piauiense, somente em raras ocasiões o mergulho teria visibilidade.

Tais condições não permitiriam a realização de operações de mergulho recreacional com confiabilidade no litoral, e dessa forma, parti para a exploração em águas interiores.

Realizei diversas explorações em todos os açudes da região, buscando pontos favoráveis ao desenvolvimento inicial da atividade do mergulho, e após algum tempo, selecionei três locais em águas interiores propícios ao desenvolvimento da atividade.

Piaui4

Pontos de Mergulho

O Açude da Bezerra (04º 46′ 24” S 42º36’10” W), localizado no município de José de Freitas, cerca de 48 Km à nordeste da capital Teresina. Com estrada asfaltada, vários bares e restaurantes à margem do açude, profundidade gira em torno dos 4 aos 8m, com visibilidade de 1 a 6m, dependendo da época do ano.

Encontramos Tilápias, Tucunarés, Traíras e Tambaquis. A água é escura, mas propicia boas condições para o mergulhador iniciante. Selecionamos então o ponto para a realização do curso básico.

O segundo ponto selecionado é a barragem de Boa Esperança (06º46’00” S / 43º 34′ 12″ W), vizinha ao município de Guadalupe, cerca de 350Km ao sul de Teresina.

O acesso é asfaltado e em boas condições. As águas profundas da barragem permitem a realização do curso avançado, e a visibilidade é regular, variando dos 2 aos 6m, com profundidade de 8m. A partir dessa profundidade, a visibilidade cai drasticamente, devido aos sedimentos em suspensão na água, obrigando os mergulhadores a efetivamente utilizarem suas lanternas.

Poucos peixes aparecem, e entre eles, destacamos Tambaquis e Arraias.

Às margens da barragem existe o balneário Belém-Brasília, um dos mais bem estruturados do estado, que propicia aos mergulhadores, um ótimo local para seus intervalos de superfície.

O terceiro ponto de mergulho é o Açude do Caldeirão (04º20’29” S / 41º43’12” W), vizinho ao município de Piripiri, cerca de 160km à nordeste de Teresina, com asfalto de boa qualidade.

A profundidade máxima gira em torno dos 15m, visibilidade variando entre 2 e 5m.

Algumas Tilápias e Traíras podem ser observadas passeando no fundo lodoso do açude, especialmente à noite. O local é utilizado para a realização do curso de mergulhador de resgate, graças à extensão do açude e da profundidade intermediária para mergulho recreacional.

Bem servido de bares e restaurantes com razoável qualidade, estes apóiam os mergulhadores que realizam suas atividades subaquáticas no local.

Rotineiramente promovemos viagens de mergulho a outros estados do nordeste, onde já superamos os 120 mergulhadores formados no estado desde a nossa chegada.

Piaui2

Frederico José M. F. de Lucena
Oficial do Exército perito em Operações Especiais (Op Terra-Ar-Mar), Mergulhador de Combate das Forças Armadas desde 1997, Divemaster PADI, Instrutor Master PDIC e Instrutor Trainer pela ADS. Atualmente é coordenador Explorer Centro de Mergulho em Teresina-PI