Pesquisadores encontram partículas de microplástico em água engarrafada no Brasil

Foto: Hermann Luyken

Já há algum tempo os pesquisadores andam alarmados com a quantidade de plásticos sendo encontrados nos oceanos. Existe uma área no Oceano Pacífico com grande acúmulo de plástico oriundo de diversos países, e pouco está sendo feito para resolver essa situação caótica pelas grandes potências.

Recentemente o mergulhador Rich Horner postou o vídeo abaixo, mostrando a situação crítica em uma região da Ilha de Bali, na Indonésia, deixando as pessoas chocadas com as imagens da grande quantidade de lixo no mar.

Microplástico na água engarrafada

Se não bastasse o lixo no mar, um estudo realizado recentemente pela organização de jornalismo sem fins lucrativos ORB Media juntamente com a Universidade Estadual de Nova York, em Fredonia, descobriu que os microplásticos – pequenas partículas de plástico quase invisíveis a olho nu – estão presentes em diversas marcas populares de água engarrafada.

Os testes foram realizados em 259 garrafas de água, representando 11 marcas, provenientes de lojas de varejo em 19 locais, em nove países, incluindo Brasil, China, Índia, Indonésia, Quênia, Líbano, México, Tailândia e Estados Unidos.

Uma média de 10,4 partículas microplásticas por litro foi registrada, mas a variação mesmo entre as garrafas da mesma marca e da mesma fonte foi dramática, variando de zero a 10.390 partículas detectadas em uma única garrafa de água.

Os testes foram realizados em laboratório para minimizar qualquer contaminação externa, utilizando um corante vermelho injetado na água que se liga às partículas e fluoresce sob iluminação ultravioleta. Devido à densidade de partículas microplásticas em algumas amostras, os cientistas procuraram o conselho de um astrofísico, cujo software para contagem de estrelas em galáxias foi usado para contar as partículas individuais presentes.

Testes similares realizados em um estudo de 2017 sobre microplásticos presentes na água da torneira, relataram uma contagem muito menor de contaminação por microplásticos. Na época, foi registrada a média de 4.34 partículas por litro. A fonte da elevada contaminação por microplásticos em água engarrafada não é clara, mas o processo de fabricação passa a ser parcialmente responsável.

“Muitas partículas são revestidas de lubrificantes”, diz a professora de química Sherri Mason, uma das principais especialistas que está participando do estudo. Em um vídeo de perguntas e respostas no site da ORB. “Então… você está vendo que a fabricação da água engarrafada está afetando a qualidade da água que você está bebendo.”

Cinquenta e quatro por cento das partículas de plástico foram identificadas como polipropileno, que é usado na fabricação de tampas de garrafas.

Representantes das marcas inclusos no estudo foram rápidos em minimizar o relatório, comentando que seus próprios padrões de garantia de qualidade indicam uma presença muito menor de microplástico do que o relatório sugere, mas como a própria professora Mason comentou em uma entrevista à BBC – “Não se trata de apontar dedos para marcas específicas; está realmente mostrando que isso está em toda parte, que o plástico se tornou um material tão difundido em nossa sociedade e que está impregnando a água, e todos os produtos que consumimos”.

Acredita-se que o perigo para os seres humanos seja pequeno, mas ainda há poucos dados sobre o assunto. “Os números que estamos vendo não são catastróficos, mas é preocupante”, disse a professora Mason.

O estudo também destaca um problema particular para os países em desenvolvimento, onde a água engarrafada é um produto essencial devido às milhares de mortes anuais de doenças transmitidas pela água e presentes no abastecimento de água natural.

O resultado do estudo realizado pela ORB pode ser acesso no link abaixo:

https://orbmedia.org/sites/default/files/FinalBottledWaterReport.pdf