Pirapama

Data: 25/03/1887

GPS: 8º 03.364′ S / 34º 46.992′ W

Localização: 7 milhas do Porto de Recife

Profundidade (m): 19 – 23

Visibilidade (m): 8 – 25

Motivo: Bateu no Vapor Bahia

Estado: Desmantelado

Carga:

Tipo: Cargueiro à vapor

Nacionalidade:

Dimensões (m): 76

Deslocamento (t)

Armador:

Estaleiro:

Propulsão: Vapor de rodas

Fabricação:

NotasO Pirapama sofreu alguns problemas em suas máquinas chegando a sofres um encalhe na barra do Rio Potengi, em Natal-RN em 27/03/1878. Posteriormente, precisou de reparos em Mossoró-RN quando regressava do Arquipélago de Fernando de Noronha em 18/01/1879. E em outra ocasião, recebeu caldeiras novas em 1880, sofrendo reparos em 26/03/1885.

Em 25 de março de 1887 o Pirapama saiu de Recife com destino aos portos do norte do país, porém, acabou colidindo contra o Vapor Bahia, e mesmo avariado, conseguiu retornar ao porto do Recife, sendo reparado e voltando a navegar em 17 de setembro de 1887.

Segundo alguns documentos pelo Professor Carlos Rios de Recife-PE, estudos arqueológicos realizados no Pirapama indicam que o fator causador deste naufrágio pode estar possivelmente relacionado ao descarte proposital, devido ao casco do navio apresentar indícios de desgaste e infiltração, indicando que o navio possivelmente teria sido afundado propositalmente, tendo em vista que a maioria de suas peças, componentes e acessórios foram removidos, ou seja, desaparelhado.

Também não foram encontrados vestígios de carvão mineral e seu interior, mas ao redor do navio e dispersos em pequena quantidade no leito marinho, demonstrando que ele não possuía combustível para navegar no momento do naufrágio. Vale ressaltar que não foram encontrados registros oficiais precisos nos arquivos da empresa ou em notas jornalísticas da época sobre os reais motivos do naufrágio.

O naufrágio abriga mais de 140 espécies de peixes, é sem dúvida o mais visitado de todos os naufrágios da costa pernambucana e a melhor opção para mergulhos noturnos onde facilmente são encontradas dezenas de tartarugas gigantes.

Galeria de Imagens – Clique na imagem abaixo

Naufrágio Pirapama / Google Photos