Pompano Beach e Deerfield Beach

Foto: Clécio Mayrink

Com frequência, vejo as pessoas comentando sobre os mergulhos que realizaram na Flórida, principalmente na área sul, como Key Largo e Islamorada, onde estão os famosos naufrágios Duane, Bibb e Spiegel Groove, ex-navios de guerra da marinha americana e que se transformaram em recifes artificiais, se tornando belíssimos pontos de mergulho.

O que vejo como pequeno problema, é que um bate e volta desde Miami até Key Largo, é uma viagem de pelo menos uma hora e meia no mínimo, e levando em consideração que as operações de mergulho saem impreterivelmente às 8h da manhã e que é necessário chegar 30min antes, acaba sendo necessário sair ainda na madrugada para chegar à tempo e com tranquilidade.

O que muitos mergulhadores brasileiros ainda desconhecem, é que a maior quantidade de naufrágios está mais ao norte de Miami, entre as cidades de Deerfield Beach, Pompano Beach e Fort Laudardale.

São inúmeros naufrágios ao longo da costa, alguns naturais, mas em sua grande maioria, naufrágios artificiais, promovidos pelas operadoras de mergulho que atuaram em conjunto, para a criação de novos recifes artificiais, e consequentemente, a criação de novos pontos de mergulho. Hoje, qualquer um pode mergulhar em grandes navios cargueiros, aviões comerciais, caças, barcas e até em torres de petróleo, e diante da grande quantidade de variedades, há mergulhos para todos os níveis de certificação, inclusive, destinado aos mergulhadores técnicos.

São mergulhos muito tranquilos, água muito clara e quente, além da vida marinha abundante em todos os pontos.

Recentemente durante uma passagem pela Flórida para compras, reencontrei um amigo das antigas, o Pavan da Dixie Divers, um brasileiro que se apaixonou pelo mergulho e comprou a empresa em 1997. Além do atendimento em português, é considerado um dos 10 melhores centros de mergulho dos Estados Unidos.

No dia do mergulho, me encontrava em uma cidade próxima à Deerfield Beach, um local muito tranquilo e conta com uma praia muito bonita e com um grande píer para caminhada. Infelizmente no dia em questão, o tempo não estava bom, pois havia pego exatamente uma semana de chuva na Flórida, mas apesar de todo o tempo feio, a operação estava marcada e foi um show.

Saímos do píer com destino ao Ancient Mariner (ex- Nemesis), um antigo navio de 1934, que atuou na Segunda Guerra Mundial à procura de submarinos nazistas e com um passado histórico bizarro.

Em 1964 ele foi desativado e se tornou em 1979, um navio bar e restaurante. Foi vendido em 1981 teve o nome alterado para Ancient Mariner, que meses depois, afundou no porto enquanto parado, fazendo com que o proprietário gastasse U$ 85.000 na reflutuação. Em 1986, mais de 100 pessoas contraíram Hepatite A através da salada contaminada que foi servida em um jantar, sendo o maior surto de Hepatite A no estado da Flórida. Como parte do programa de criação de recifes artificiais Broward Reef, ele foi afundado em 09/06/1991.

O naufrágio está localizado em frente à cidade de Pompano Beach, e foram apenas 15min de navegação na excelente e espaçosa embarcação Lady Go Dive até o local. Rapidamente já estávamos na água e de cara, aquela água azul, clara e quente já nos recebia mostrando o que seria um excelente mergulho, pois já era possível enxergar o naufrágio da superfície.

Descemos pelo cabo e fomos saudados por uma imensa arraia manteiga que já nos dava as boas vindas. Além dela, um grande cardume passeava ao redor do naufrágio, dando um espetáculo à parte. O naufrágio possui várias penetrações simples, onde qualquer mergulhador pode passear tranquilamente, pois apesar da embarcação estar bem preservada, as passagens são bem largas e não oferecem riscos ao mergulhador menos experiente.

É possível visitar a cabine e algumas áreas inferiores, que vivem lotadas de peixes. Foram quase 60min de fundo e profundidade máxima atingida de 21m no areião branco. De fato, um mergulho extremamente tranquilo e que não dava vontade de retornar à superfície.

De volta ao barco, cilindros trocados e rumamos ao Lighthouse Ledge, um recife em frente à Pompano Bech, porém, é um Drift Dive. Formados os grupos, cada grupo recebeu uma bóia de sinalização de superfície, para que a embarcação faça o acompanhamento dos grupos de forma eficaz. Descemos com a água azul até alcançar os recifes e a profundidade não ultrapassou os 17m.

Haviam diversas esponjas, peixes coloridos e uma formação coralínea bem interessante. Víamos diversos cardumes passeando ao redor dos corais, e alguns encontros com lagostas bem grandes em suas tocas. Durante o percurso, tivemos a passagem de um tubarão martelo à distância, uma pena, pois ele estava arisco e não quis muito papo com a gente. Talvez pela certeza de que seria incomodado pelos flashes dos fotógrafos.

Ao final de mergulho, retornamos à superfície onde a embarcação já nos aguardava para o regresso a terra, e pouco mais de 15min, já estávamos chegando ao píer para atracar a embarcação.

Foi uma manhã super tranquila, com mergulhos muito bacanas e sem o stress que muitas vezes passamos ao mergulhar na costa brasileira. Levando em consideração que eles realizam saídas todos os dias, fica muito fácil e prático, mergulhar por lá, pois chegamos a terra firme em pouco tempo, o que nos permite retornar ao hotel, almoçar e sair para passear ou fazer compras nos outlets conhecidos da Flórida e que ficam próximos.

Se você estiver em Miami, não levará mais que 30 ou 40min até o centro da cidade, ficando muito fácil o deslocamento entre os destinos. Mas o que realmente me chama a atenção quanto aos mergulhos na área de Deerfield Beach, Pompano e Fort Laudardale, é a quantidade de naufrágios e recifes disponíveis ao mergulhador, que diga-se de passagem, são mergulhos mais tranquilos que os realizados na região sul, onde há maior incidência de correntes e com maior força. Outra vantagem, é que sua acompanhante pode pegar uma praia e você não perde o dia inteiro para realizar dois mergulhos, rendendo muito mais o dia.

Informações adicionais

Os mergulhos na Flórida ocorrem o ano todo. Procure evitar a época dos furacões. Apesar da área norte normalmente não sofrer com isso, a possibilidade de ter algum transtorno durante a viagem é maior. Procure realizar o agendamento da saída com antecedência e garanta seu lugar, e fique atento aos horários, pois as embarcações saem impreterivelmente no horário e não há flexibilidade quanto a isso.

A operadora Dixie Divers é uma ótima recomendação, pois a empresa é muito bem estruturada, possui ampla quantidade de equipamentos para aluguel, recarga nitrox / trimix, além de um grande estoque de equipamentos que atende todas as necessidades do mergulhador.

Além disso, os funcionários falam diversas línguas, sendo o português a segunda principal. O site é www.dixiedivers.com

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.