Pontos de Mergulho em Abrolhos

Foto: Bruno Diegoli

Ilha de Santa Bárbara

Maior ilha do arquipélago, a Santa Bárbara não é responsabilidade do IBAMA, apesar de estar dentro do Parque Nacional Marinho. Ela está sob jurisdição da Marinha Em seu entorno há quatro pontos de mergulho regularmente visitados.

Mato Verde

Fundo com trechos alternados de rocha, coral e areia, com profundidade média de 5m. A enseada abrigada dos ventos predominantes (nordeste e leste), este é o ponto de boas-vindas ao mergulhador. Os visitantes se ambientam e ajustam seus equipamentos, junto aos corais-cérebro, poliquetas, anêmonas, cardumes de budiões reais, frades, badejos e tartarugas. O local é perfeito para batismo e apneia.

Enseada do Portinho

Com fundo de corais e areia, e profundidade média de 5m, o local é muito procurado para mergulhos noturnos. Seu costão possui corais variados e esponjas. Entre os frequentadores mais assíduos estão as arraias, barracudas e tartarugas. Moréias são vistas fora das tocas enquanto caçam. No areião, a presença de lulas, moluscos e crustáceos são bem comuns.

Costão do Farol

Fundo com rochas, corais e areia, e profundidade média de 7m. Trata-se de um costão escarpado de rocha basáltica que proporciona um mergulho de belo visual. O local é habitado por várias espécies de peixes recifais coloridos, muitos ainda juvenis. Também é comum a presença de alguns peixes de passagem. Estrelas do mar e gorgônias reforçam as cores do ambiente. Outras espécies facilmente encontradas, são as arraias pintadas e os tubarões lixa.

Enseada do Portinho Norte

O ponto está numa enseada protegida dos ventos sul e sudeste. A fauna é marcada pela presença de corais cérebro e de outros tipos. Entre eles, a espécie endêmica Mussismilia braziliensis. No fundo de algas, é possível encontrar polvos e moluscos variados. Tartarugas e arraias são avistadas com frequência nos mergulhos noturnos. Profundidade média de 4m.

Ilha Siriba

A Siriba é a única ilha do arquipélago em que o visitante pode desembarcar. Ela abriga uma numerosa colônia de atobás brancos e muitos ninhais de grazina. Ambas as espécies podem ser observadas de perto, durante a caminhada monitorada pelos guardas do parque.

Costela

Famoso ponto pelos bons mergulhos noturnos, onde é comum encontrar lagostas, polvos, tartarugas e eventualmente, tubarões lixa. Nos mergulhos diurnos, não é raro encontrar cardumes de frades e arraias pintadas. Toda a face norte da Siriba é favorável à prática do snorkeling. Profundidade média de 4m.

Cavernas da Siriba

São grutas surgidas na rocha, formadas pelo embate com a maré. O local abriga quatro grutas, sendo que a maior delas corre paralela ao costão. Sua entrada é restrita, e contempla um belo e amplo salão que se abre diante do mergulhador. Lá dentro, predominamos cardumes de barrigudinhos.

O ambiente sempre farto de luz natural, também é decorado por corais e esponjas. As demais grutas são menores e não têm saída. O objetivo do mergulho é a gruta principal, mas a diversão inicia antes mesmo da entrada. O assédio dos xaréus e badejos com até 30Kg, faz a alegria dos mergulhadores. A presença de arraias pintadas e cardumes de caranhas também são comuns. No fim do mergulho, um leve drift conduz o grupo de volta ao barco.

Ilha Redonda

Lar das fragatas, essa ilha é frequentemente visitada por tartarugas. Ano após ano, sempre no segundo semestre, elas procuram suas praias para a desova.

Recifes da Redonda

Os recifes de coral formam uma espécie de cinturão habitado por cardumes de cioba, guaricemas, frades e lagostas. Trata-se de um dos melhores pontos do arquipélago para encontrar tartarugas, sobretudo, as tartarugas de pente. Profundidade média de 3m.

Costão da Redonda

Local procurado quando é preciso se abrigar do vento sul. O local é caracterizado por tocas e recifes espalhados pelo fundo, onde são encontrados pequenos peixes, lagostas e eventuais tartarugas de pente. Profundidade média de 5m.

Ilha Sueste

Declarada zona intangível (fechada à visitação), a Sueste tem todo o seu entorno proibido para mergulhadores. O mergulho é autorizado somente nos chapeirões, mais próximos da ilha.

Chapeirões da Sueste

Com fundo rochoso, com corais e areia, os chapeirões são grandes colunas vivas de coral, que convidam o mergulhador a uma imersão de perfil multinível. Sobe-se em espiral até o topo coberto de corais de fogo, esponjas, gorgônias e anêmonas. Nas reentrâncias, peixes de toca, como dentões e moréias, são bem comuns.

No fundo plano, entre as colunas, se escondem arraias prego, e várias espécies de moluscos. Uma família de grandes badejos costuma recepcionar os mergulhadores logo na poita. Alguns deles acompanham o grupo durante todo o mergulho, para a felicidade dos fotógrafos. No verão, é comum encontrar filhotes de tubarão galha preta oceânico com até 1m de comprimento. Profundidade variando entre 8 e 18m.

Outros Locais

Chapeirões

Profundidade variando entre 0 e 25m, os chapeirões são formações de corais que se erguem do fundo e afloram na superfície. Parecem grandes cogumelos habitados por todo o tipo de fauna típica dos recifes de Abrolhos. São avistados corais moles e calcários, gorgônias, esponjas tubulares e anêmonas. É o local preferido pelos filhotes de tubarões.

Ilha Guarita

É a menor ilha do arquipélago, também considerada área inatingível. Não se pode mergulhar em seu entorno. Os pesquisadores a usam como padrão de ambiente 100% preservado nos estudos de impacto ambiental.

Redação

Se você possui mais informações sobre o assunto acima, entre em contato com a nossa equipe e ajude a tornar este site ainda mais completo. Isso ajudará os mergulhadores e todos aqueles que estiverem buscando por mais informações.