Brasil Mergulho - A referência em mergulho
 

Principal     Naufrágios > Artigos
  
Imprimir Favoritos Recomende
Porta-Aviões a preço de banana

Além de agregar grande quantidade de vida em suas estruturas, navios naufragados também incentivam o turismo submarino a determinadas regiões.

Iniciado há alguns anos nos Estados Unidos, o programa entitulado de "Recifes Artificiais", já afundou dezenas de embarcações, aviões, tanques de guerra e carros nas águas costeiras e lagos americanos.

Este programa, realizados por empresas particulares, governo e instituições ambientais, já se mostrou eficaz em aumentar o turismo e a biodiversidade marinha aonde são afundados estes navios.

No Brasil, já começamos a ver navios sendo afundados propositalmente no estado de Pernambuco e o turismo local já colhe frutos. Atualmente, estamos na expectativa de afundamento do primeiro recife artificial da região Sudeste: O cargueiro Victory 8B. O local escolhido para receber este navio é a cidade de Guarapari e este será o maior navio afundado propositalmente na costa brasileira.

Após seu afundamento, que deverá ocorrer em Novembro, a cidade de Guarapari colherá os frutos deste investimento que atrairá mergulhadores ansiosos para ver este grande navio debaixo d água.

Pela altura das superestruturas do navio, podemos concluir que o Victory 8B, agradará mergulhadores técnicos e recreativos e muitos mergulhos serão necessários para conhecê-lo por inteiro.

Em meio à euforia e ansiedade pelo momento de mergulhar no Victory, uma notícia me entristeceu: A venda do Porta Aviões "Minas Gerais" por 2 milhões de Dólares. Este belo navio, comprado da Inglaterra por Juscelino Kubistchek em 1956, foi aposentado em Janeiro de 2001 e substituído pelo ex-Porta Aviões Francês "Foch" e rebatizado de "São Paulo".

O "Minas Gerais" foi comprado por um grupo chinês e se transformará em um parque na China.

Se este Porta-Aviões fosse afundado em uma cidade de veraneio (como: Cabo Frio, Arraial do Cabo, Ilha Grande, Guarapari, etc) ele se tornaria uns dos poucos Porta Aviões mergulháveis no mundo, provavelmente o único nas Américas !

Imaginem quanto retorno financeiro em forma de turista estas cidades receberiam !    Sem falar nas pessoas que iriam começar a se interessar pelo mergulho.

Quantos mergulhadores procurariam cursos de aprimoramento para conhecer melhor os destroços. Quanta vida se agregaria ao navio !    E sem falar que isto duraria por dezenas de anos !

Não resta a menor dúvida que estes dois milhões de dólares seriam pagos facilmente. A cidade com um navio de grande porte em suas águas seria uma ganhadora da loteria !

Infelizmente agora já é tarde e o "Minas Gerais" pertence aos Chineses. Mas vários outros grandes navios fora de serviço apodrecem em portos por toda a costa brasileira e poderiam se tornar recifes artificiais.

Espero e torço para que "vacilos" como este do "Minas Gerais", não se repitam e que possamos ver a cada ano, novos navios sendo afundados. Por enquanto, fico na espera do Victory 8B.

 


Porta-Aviões Minas Gerais


Victory 8B


Victory 8B


 
Rodrigo Coluccini
, criador e proprietário da Revista Deco Stop, foi um dos responsáveis pela divulgação em larga escala das informações sobre naufrágios no litoral brasileiro, fato antes restrito a poucos. É co-autor do manual de naufrágios da certificadora PDIC. Seu trabalho é citado em vários livros atuais sobre história maritima brasileira confirmando a importância de seu trabalho.

Atualmente é proprietário da Editora do Mar, empresa responsável pela produção de publicações relacionadas ao mar e mergulho.

Fale com o autor: clique aqui














 
  Topo
 
     
    Termos de Uso     Mídia     Anuncie     Fale Conosco  
     
    Conheça também  
 
     
Apoiamos
Daniel Botelho
Instituto Laje Viva
Revista Mergulho
Coral Restoration Foundation    
Projeto Meros do Brasil    
Conexões

 
   
  O site Brasil Mergulho é integrante da Brasil Mergulho Produções e foi criado com a missão de oferecer informações sobre Mergulho e todos os assuntos relacionados de forma qualificada, rápida e gratuita. O Brasil Mergulho Produções não se responsabiliza pelo conteúdo exposto, não comercializa produtos e não atua na área de cursos e treinamentos de mergulho. Caso você não concorde com algum conteúdo exposto neste portal ou possua alguma dúvida em relação aos termos de uso do portal, entre em contato com nossa equipe para mais esclarecimentos. Publicidades e campanhas aqui veiculadas, não refletem nossa opinião. Mergulhar requer cursos e treinamentos.