Protetor de Mangueira – Usar ou não ?

Foto: Clécio Mayrink

Eles começaram a serem usados na década de 90 como um acessório fabricado por terceiros. Posteriormente os próprios fabricantes de equipamentos de mergulho passaram a comercializar seus reguladores com esses protetores de mangueira, que como o próprio nome diz, sua função é proteger a mangueira do regulador.

Na verdade, esses protetores evitam que a parte da mangueira próxima ao conector metálico fixado no primeiro estágio, seja retorcida e permita a possibilidade de vazamentos. O protetor de mangueira alivia o esforço de torção na área da borracha fixada neste conector, pois como as mangueiras são fixadas aos conectores com pressão, o movimento de torção repetido ao longo do tempo pode facilitar o surgimento de vazamentos de gás.

Caindo em desuso

Com o surgimento do Mergulho Técnico, muitos mergulhadores deixaram de utilizar o protetor de mangueira alegando que eles poderiam esconder possíveis vazamentos no primeiro estágio do regulador, na junção da mangueira com o conector metálico.

Posteriormente, muitos mergulhadores recreacionais também deixaram de utilizar esses protetores, alegando que os protetores faziam com que o primeiro estágio do regulador ocupasse muito espaço na bolsa de mergulho, e principalmente nas malas, criando um transtorno na hora de viajar.

Transmissor sendo empurrado pelo protetor de mangueira – Foto: Miguel Lopes

Aspectos importantes

Uso de Transmissor

Mergulhadores que utilizam o transmissor, o acessório que envia as informações do cilindro para o computador de mergulho, podem ter dificuldades na utilização dele em razão do contato direto com os protetores.

Dependendo do modelo do protetor e do primeiro estágio do regulador, o protetor pode acabar forçando o transmissor para os lados devido ao contato direto, podendo danificar o equipamento. É preciso estar atento à colocação do transmissor no primeiro estágio, verificando se ele encaixa perfeitamente na rosca de alta de pressão e que não tenha contato direto com os protetores das mangueiras.

O transmissor não deve ser encaixado sob pressão no primeiro estágio.

Protetor com drenos à esquerda – Foto: Clécio Mayrink

Baixa qualidade / Mal projetados

Os protetores de baixa qualidade podem ficar “melados” com o tempo, devido à exposição ao sol / calor, obrigando o mergulhador a trocá-los num curto espaço de tempo.

Outro grande problema é a falta dos drenos.

Os melhores protetores possuem ranhuras em seu interior, permitindo que a água salgada acumulada no interior seja escoada para fora dele, evitando o acúmulo de sal.

Havendo um acúmulo de sal no interior do protetor, irá degradar a borracha que tenha contato direto com este sal, onde com o tempo, poderá se transformar em cristais de sal que são extremamente rígidos e cortantes, e com a movimentação das mangueiras, esses cristais poderão acabar cortando a borracha e possibilitar vazamentos indesejáveis e inesperados.

Imagine você no Tahiti e seu regulador começar a vazar por causa de um corte desses…

Conexão metálica com a mangueira

O uso do protetor não permitirá que você veja com facilidade o real estado em que se encontra a junção entre a mangueira e o conector metálico. Para isso, é necessário puxar o protetor em direção contrária ao conector, para que o mergulhador consiga enxergar o local e verificar se está tudo ok.

Rachadura não visível com o protetor no local – Foto: Clécio Mayrink

Vale à pena usá-los ?

Usá-los ou não é uma questão pessoal, e o mergulhador deve ter em mente que eles trazem o benefício de proteger apenas uma área da mangueira, e como aspecto negativo, ela faz com que o regulador ocupe mais espaço na mala, dificulta a inspeção adequada do primeiro estágio, e se protetor for um modelo inadequado (normalmente de baixa qualidade), poderá trazer outros problemas.

Colocando um protetor de mangueira

Se você chegou até aqui e deseja colocar um protetor de mangueira em seu regulador, é preciso realizar um procedimento básico para tal.

Como normalmente os protetores são fabricados em borracha sintética, você conseguirá colocá-los sem grandes dificuldades, mas sendoele de baixa qualidade, será mais complicado devido a rigidez, e para resolver isso, o calor é a chave.

Esquente uma panela com água no fogão e coloque o protetor dentro, sem deixá-lo tocar nas laterais da panela para que não derreta.

Deixe a água esquentar bastante, mas não deixe que a água ferva.

A água quente diminuirá a rigidez da borracha e deixará o protetor flexível.

Após algum tempo, retire-o da água com cuidado para não queimar as mãos e faça o encaixe dele rapidamente na mangueira, passando pela conexão metálica até a sua posição correta.

Estando estiver flexível, você conseguirá colocá-lo com facilidade.

Colaboração: Miguel Lopes

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em apneia em 1983, no autônomo em 1986 pela CMAS e Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix, Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount. Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP), atuando em diversas matérias e documentários no Brasil e no exterior. Também atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.