Pulando na água, nade para longe !

Foto: Clécio Mayrink

Normalmente é ensinado nos cursos de mergulho, que assim que o mergulhador salta da plataforma da embarcação e cai na água, ele deve nadar para longe da mesma, contudo,  infelizmente nem todos fazem isso.

Esse procedimento deve ser executado o quanto antes pelo mergulhador por alguns motivos importantes. Vejamos:

Se um mergulhador cai na água e se mantém bem próximo da embarcação, existe uma grande possibilidade de outro mergulhador se jogar na água e acabar caindo sobre ele, causando um grande impacto, com a possibilidade de se machucarem.

Numa situação pior, ter consequências mais sérias, como a quebra de algum membro em razão do grande impacto do corpo nos cilindros de mergulho do outro mergulhador, por exemplo.

Muitas vezes quem está na plataforma, não tem uma boa visão da área ao redor da mesma, e não consegue perceber que há um mergulhador próximo à plataforma do barco.

Em pontos de mergulho onde haja grande incidência de correntes ou fortes ondulações, o mergulhador que caiu na água e não se distancia, prejudica a operação de mergulho, pois os demais mergulhadores acabam tendo que aguardar que o mergulhador na água sai do local para que possam saltar.

Há um risco muito grande de impacto da escada da embarcação colidir contra o mergulhador que está na água acabando de se ajeitar para dar início ao mergulho, pois muitas vezes, em razão das ondulações, a escada da embarcação fica subindo e descendo rápido, e um impacto de uma escada dessa no mergulhador, causará grandes danos à ele e até paralisar a operação, pois haverá a necessidade de primeiros socorros e até regresso imediato da embarcação.

Portanto, ao pular na água, vire-se, e dê o sinal de OK, já batendo pernas para se distanciar da embarcação de mergulho.

Fazendo isso, você evita transtornos e poderá curtir deu mergulho de forma segura juntamente com os demais mergulhadores.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.