Radicalismo no Mergulho

Por diversas vezes, vejo alguns mergulhadores experientes dizerem que só os reguladores X e Y servem para o mergulho técnico. Que o colete Y é o que serve para tal coisa…. e por aí vai.

Ao longo do tempo e depois de ter experimentado diversos tipos de equipamentos, como os antigos cilindros “coca-cola” que flutuavam mais do que bóia de náufrago, posso dizer que não podemos ser tão radicais quanto aos tipos e modelos de equipamentos de mergulho.

Dizer que determinado equipamento presta ou não presta sem antes estudá-lo, é falar bobagem para outras pessoas, disseminando informação errada, ou se “queimando” perante a outros mergulhadores de detenham um bom conhecimento sobre o assunto. Temos que tomar cuidado também, com determinados mergulhadores experientes que tentam vender sua preferência aos demais. Nem sempre o que é bom para ele poderá ser bom pra você ou há alguma coisa de marketing por trás e interesse pessoal.

Mas porque estou dizendo isso ???

Simplesmente por ver tanto radicalismo e modismo principalmente no mergulho técnico aqui no Brasil.

O melhor instrutor, não é aquele que chega à você e simplesmente diz que você tem que usar um determinado equipamento e a configuração na forma X porque é o correto. Tudo têm um porque e você deve analisar em detalhes cada equipamento e configuração requerida para tal.

O melhor equipamento, é aquele que tenha excelente qualidade de peças e mais indicado para o tipo de atividade a ser realizada. Recentemente vi em uma determinada lista de discussões, alguns mergulhadores debatendo sobre um regulador, pois um determinado mergulhador dizia que valia muito mais a pena adquirir o modelo citado, do que um regulador de grandes marcas, pois seu custo era bem inferior em relação aos demais e o resultado final era o mesmo.

Obviamente a coisa não é assim, e um mergulhador jamais deve pensar ou acreditar no que dizem sem um bom embasamento técnico, e muito menos falar algo sem conhecimento.

Estude e analise bem os equipamentos de mergulho, assim como, o porque das configurações ditas como serem as ideais e corretas.

Além disso, não devemos ser radicais e nem tão pouco falar mal das configurações dos demais mergulhadores, pois tudo têm um porque. É mais amigável compreender o porque da preferência do outro mergulhador por um determinado tipo de equipamento e/ou configuração, do que repreendê-lo desnecessariamente.

O mergulho é uma atividade que visa a integração das pessoas em meio ao mundo subaquático e de forma prazerosa, e não um antro de pessoas nos questionando e querendo impor uma marca de equipamento e forma de mergulhar.

Devemos ser pessoas humildes e aos técnicos, ainda mais humildes. Digo isso, pois não é difícil encontrar alguns “técnicos” exibindo seus equipamentos aos demais, como se ele fossem realmente um rei do mundo subaquático e soubessem tudo sobre mergulho. Aprendemos a cada dia, e o bom hoje, pode não ser amanhã.

A melhor coisa do mergulho é a integração das pessoas ao meio subaquático e com os demais mergulhadores. A saída de mergulho é para ser um momento de prazer de todos e não um momento desagradável.

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.