Reflexo no Video

Foto: Clécio Mayrink

Frequentemente, vemos alguns mergulhadores reclamando de reflexos em seus vídeos subaquáticos. Na maioria dos casos, estes não sabem os reais motivos para que esses reflexos apareçam durante a filmagem.

Os principais motivos são:

  • Falta o pára-sol à frente da lente da câmera
  • Grande angular com a pintura externa clara

O primeiro caso, é mais difícil de ocorrer, tendo em vista que a grande maioria das caixas estanques, são fabricadas com para-sol, cuja função, é eliminar a possibilidade da penetração dos raios solares ou até mesmo, parte da luz emitida por alguma iluminação artificial, para o interior da parte frontal da caixa estanque.

Na falta do pára-sol, a solução para esse problema é mais complicada, pois dependerá do formato da caixa estanque em si. Qualquer adaptação, deverá ser feita conforme o caso, e como existem dezenas de caixas no mercado, fica impraticável tentar falar sobre uma solução aqui.

Quanto ao segundo ponto, as possibilidades para o problema de reflexo na lente são maiores, tendo em vista que a grande maioria de grandes angulares para vídeo, são fabricadas com a textura prateada, o que reflete consideravelmente mais luz do que uma lente com seu corpo em tonalidade escura ou preta.

Neste caso, a luz proveniente do meio externo a caixa, vai de contra a lente grande angular, e parte da luz externa que chega até o corpo da lente, é refletido em direção contrária, logo, em direção à lente da caixa estanque, que por sua vez, retorna este reflexo diretamente para a parte central da lente da câmera, fazendo com que apareçam alguns arcos de reflexo durante a filmagem.

No caso das lentes com corpo claro, o mergulhador mais detalhista pode tentar uma solução do tipo “faça você mesmo” ou tentar encontrar uma lente grande angular com o corpo escuro, o que é difícil.

Se o mergulhador preferir tentar solucionar o problema por conta própria, ele precisa desmontar a lente tomando toda a precaução possível e pintar o corpo da lente.

Pintando o corpo de uma Grande Angular

Basicamente, uma lente é composta de um corpo, duas lentes internas e um aro rosqueável, que tem por finalidade, fixar todo o conjunto no interior do corpo da lente.

Se você chegou até aqui, tem interesse em realizar este procedimento e acredita estar apto a desmontar a lente e pintar o corpo de sua lente, veja os passos abaixo atentamente:

Para o processo você precisará de:

  • Tinta spray preto fosco, para temperaturas elevadas (acima de 600°C). Esse spray é facilmente encontrado nas lojas de tintas e normalmente são utilizadas em escapamentos de carros e motos;
  • Ferramenta(s) para abrir a lente;
  • Flanela lisa – De preferência que não solte pêlos;
  • 01 folha de papel toalha;
  • 02 sacolas plásticas de supermercado
  • 01 Chave de fenda de parafusos pequenos, normalmente utilizada para abrir os parafusos de relógios;
  • Bandeja de alumínio ou de vidro;
  • Fogão de cozinha ou forno que atinja os 200°C;

Antes de seguir os procedimentos abaixo, veja as fotos ao lado, para ter uma idéia antecipada de todo o processo, e só realize o procedimento, se você estiver apto para tal. Não nos responsabilizamos se algo der errado !

Procedimentos

  • Coloque a flanela lisa sob mesa, certificando-se que o ambiente está limpo e livre de poeira;
  • Desmonte a lente, colocando suas partes sob a flanela lisa;
  • Pegue a sacola de supermercado, introduza uma das mãos com os dedos apontados, e encaixe o corpo da lente, passando os dedos pelo interior do corpo da lente;
  • Com o spray na outra mão, pinte o corpo da lente, estando longe da flanela com as lentes desmontadas. Isso evitará possíveis respingos nas lentes;
  • Aguarde três minutos e dê uma segunda mão de tinta;
  • Coloque com cuidado o corpo já pintado, sob o papel toalha, deixando a parte frontal do corpo, virado para cima e retire a sacola de supermercado da mão com cuidado;
  • O excesso da tinta irá escorrer para o papel toalha, que irá absorvê-lo;
  • Aguarde até que a tinta esteja mais seca e demonstrando estar enrijecida;
  • Certifique-se que a tinta tenha secado, pegue a outra sacola de supermercado, introduza os dedos no interior do corpo da lente pintada, e coloque-a na bandeja com sua frente virada para cima;
  • Coloque a bandeja com o corpo da lente no fogão pré-aquecido, selecione a potência de aquecimento do fogão em torno dos 200°C;
  • É necessário deixar a corpo da lente no fogão por 30 à 40min, para que os polímeros presentes na tinta fiquem enrijecidos, pois como os corpos das lentes são fabricados em alumínio, sem passar pelo processo de aquecimento no fogão ou forno, facilmente a tinta descolará;
  • Passado o tempo de aquecimento mencionado acima, retire a bandeja com o corpo da lente e deixe-os esfriando ao ar livre;
  • Após o resfriamento, é necessário retirar o excesso da tinta, dos anéis de rosqueamento presentes na parte frontal do corpo da lente, para que você consiga colocar a rosca frontal. Para isso, coloque o corpo da lente já pintado sob a flanela lisa e com a chave de fenda de parafusos pequenos, passe a mesma levemente pelos anéis, removendo o excesso de tinta. É crucial redobrar a atenção neste momento, a fim de evitar que esta chave saia dos anéis, vindo a danificá-los;
  • Após a remoção do excesso de tinta dos anéis, monte a lente novamente.

Após todos esses procedimentos, o corpo da lente estará na tonalidade preto fosco, e muito provavelmente, não produzirá os reflexos antes vistos nas filmagens submarinas.

Veja abaixo os passos para a pintura do corpo:

Clecio Mayrink
Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount). É juiz internacional de apneia pela AIDA e foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008. Produziu documentários sobre as Bahamas, Bonaire, Galápagos e Laje de Santos, visitando mais de 30 países. Foi o idealizador do site Brasil Mergulho criado em 1998 (MTB 0081769/SP), atuou como consultor para a ONU, UNESCO, além de diversos órgãos públicos no Brasil.