Registros de Cilindros de Mergulho

Também conhecidos como torneira de cilindro de mergulho, a finalidade principal deste equipamento, é permitir ou bloquear a passagem de gás do interior do cilindro para o meio externo.

Toreiras1
Vista explodida de uma torneira K

Um pouco de história

Com o crescimento da indústria do mergulho, os equipamentos se tornam cada vez mais práticos, confortáveis e seguros. Há uma década atrás, era comum por exemplo, a utilização de registros do tipo “J”, e com o passar dos anos, apareceram no mercado os modelos Y, H e K.

Tornaira J
Torneira J

Antigamente, os registros do tipo “J” possuíam uma haste que permitia ao mergulhador fazer o acionamento da reserva durante o mergulho.

Este registro possuía um dispositivo que reduzia o fluxo de ar que ia para o primeiro estágio do regulador, com o intuito de avisar ao mergulhador que o gás estava acabando. Normalmente, isso ocorria quando a pressão interna do cilindro se encontrava entre 500-750 PSI, e seria o momento de retornar à superfície.

No passado, o manômetro de imersão raramente era utilizado pelos mergulhadores brasileiros, devido as dificuldades de aquisição e custo destes.

Torneira K
Torneira K

Com o aparecimento dos modelos Y,H e K, o dispositivo de acionamento da reserva foi abolido, ficando obrigatório a utilização do manômetro de imersão.

Quanto aos modelos Y e H, estes possuem duas saídas para o primeiro estágio, e normalmente são utilizados em casos específicos, onde se requer a utilização de dois reguladores.

Os europeus foram os idealizadores e usuários iniciais dos registros com duas saídas para o primeiro estágio, devido aos

Toreiras6
Torneira H

problemas encontrados durante os mergulhos realizados em lagos localizados em grandes altitudes, em alguns países europeus.

As águas destes lagos são extremamente frias, e no passado, houveram diversos casos de reguladores congelando durante o mergulho, fazendo com que a indústria investisse no desenvolvimento de um registro diferenciado, lançando o registro com duas saídas.

Muitos passaram à utilizar dois conjuntos de reguladores, que posteriormente, levou a indústria ao desenvolvimento reguladores apropriados para não congelarem.

Toreiras5
Torneira Y

No caso dos registros do tipo Y, raramente são vistos atualmente, pois este modelo não teve boa aceitação no mercado, devido ao formato e diversos problemas de fabricação. Já o modelo H, é muito comum em cilindros de 15 ou 18 litros.

Hoje em dia, devido ao formato e crescimento do mergulho no mundo, o registro do tipo K acabou se tornando padrão de mercado, devido ao tamanho e robustez.

Quanto às diferenças entre os registros, há  um ponto importante: Os formatos DIN (Europeu) e Yoke (Americano).

Basicamente as diferenças entre os dois, está na forma de encaixe do primeiro estágio do regulador no registro.

O modelo DIN ainda é pouco utilizado, porém, os adeptos do Mergulho Técnico preferem esse modelo, por ser mais seguro quando comparado com o modelo Yoke, onde dificilmente se tem problemas com estouro de o-ring, além do encaixe ser mais seguro.

Selo de Segurança
Selo de Segurança

Outro diferencial, está na utilização de registros DIN 300 BAR, que podem ser utilizados em cilindros com maiores pressões de carga.

No mercado encotramos também, os chamados Manifolds, que nada mais são, que duas torneiras interligadas para uso com dois cilindros, formando o sistema de cilindros duplos, muito usados no mergulho técnico e caverna.

Torneira-Dupla
Manifold

Entre elas, há o que chamamos de Divisor, que tem como função, fechar a interligação entre torneiras, para ser usado num eventual incidente de vazamento em um dos cilindros.

Vale ressaltar, que para a segurança ao mergulhador, existe um pequeno selo de segurança que permitirá que o gás saia do interior do cilindro, caso o cilindro seja submetido à um excesso de pressão.

Cuidados com registro

  • Não deixe o cilindro bater com o registro em algum objeto;
  • Ao fechar um registro, não force a manopla. Além de desnecessário, você estará danificando as partes internas do equipamento. Basta fechá-lo suavemente até o final;
  • Faça manutenção preventiva;
  • A cada manutenção, troque sempre os o-rings internos e o teflon de ajuste.
Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.