Riviera Maia: Mergulho e História

Foto: Ruver Bandeira

A Riviera Maia inicia aproximadamente a 29 Km ao sul do aeroporto internacional de Cancún, estendendo pela costa sul até Punta Allen. Compreende as zonas turísticas de Playa del Carmen, Playacar, Puerto Aventuras e Tulum.

Hoje, Playa del Carmen (antigo povoado de pescadores), é considerada uma zona turística de renome mundial.

Playa está a menos de uma hora do aeroporto internacional de Cancún, com suas formosas praias, restaurantes espetaculares, além da sua grande variedade de hotéis, que fazem deste local uma experiência caribenha única.

Motivos para se conhecer a Riviera Maia

O ar fresco, o sol e suas costas de areia branca que abraçam o cintilante Mar das Caraíbas, tornam Playa del Carmen um perfeito cenário tropical. É impossível não reparar no ar cosmopolita que envolve este local com restaurantes, bares, lojas, cafés, hotéis, a sua maravilhosa praia, com as esplanadas com vista para Cozumel, e o centro deste local – a 5a avenida – onde dia e noite passeiam os seus visitantes.

Playacar fica a pouca distância de Playa del Carmen. Neste complexo turístico, encontramos resorts de alto nível com o sistema “tudo incluído”(all inclusive), preciosos chalés, condomínios de luxo privados e um magnífico campo de Golfe.

Já Puerto Aventuras, oferece praias virgens e a oportunidade de nadar com os golfinhos.

Em Tulum localizada 63 km de Playa e debaixo de um deslumbrante manto de estrelas, talvez possa escutar os espíritos dos antigos Maias, sussurrando entre as palmeiras… Este é o local onde podemos encontrar zonas arqueológicas, ou melhor, as ruínas Maias, situadas à beira do mar do Caribe. Situada a menos de uma hora de carro ao sul de Playa del Carmen, transmite uma extraordinária tranquilidade e um natural misticismo.

Tulum poderia muito bem ser a jóia do Caribe mexicano. É um destino com praias amplas, de areia branca e com as maravilhosas águas azuis caribenhas. Além disso, são inúmeros os lugares interessantes que pode visitar durante as suas férias na Riviera Maia, lugares que não pertencem a esta região, mas que se encontram muito próximo, a própria Cancún, Isla Mujeres, Ilha Contoy, Chichen Itzá, Cobá, Holbox e outros.

Playa del Carmen

A Playa del Carmen localizada no coração da Riviera Maya e a 68 Km ao sul de Cancún, tem um clima subtropical, com uma temperatura média de 25°C, embora possa chegar aos 35°C durante o verão com dias ensolarados durante a maioria do ano.

Aos praticantes do mergulho, na área do cais, é possível encontrar emocionantes rotas no grande recife Maia, o segundo maior do mundo, perdendo somente para a Grande Barreira de Corais da Austrália, mergulhando em profundidades que superam os 10m, entre centenas de peixes multicoloridos e corais com mais de 500 anos de idade. Dentre esses mergulhos, existe um para os mergulhadores avançados que consiste no encontro com tubarões cabeça-chata, que durante inverno (dezembro, janeiro e fevereiro) devido ao esfriamento da água do mar, migram para a costa para reprodução.

Há também, muitas as opções de parques como:

Xcaret – Parque eco-arqueológico onde se pode aprender sobre a cultura do México, a flora e fauna da região e realizar diversas atividades como o mergulho, o snorkeling e natação com golfinhos. Este parque é o precursor da conservação do meio ambiente local e situa-se à 5min de Playa del Carmen, tendo sido inaugurado em 1995 e sendo um dos parques mais visitados do estado de Quintana Roo.

Xel-Há – Uma baía cujas condições naturais são semelhantes a um aquário natural. O parque de diversões promove a conservação do meio ambiente e é ideal para a prática de snorkeling, sendo possível observar uma grande variedade da fauna marinha.

Chichén Itzá

Chichén Itzá (uma das sete novas Maravilhas do Mundo) é uma cidade arqueológica Maia, localizada no estado mexicano de Yucatán, situada a 214 km de Playa del Carmen.

É a mais famosa cidade Maia, e funcionou como centro político e econômico desta civilização. Várias estruturas – a pirâmide de Kukulkán, o Templo de Chac Mool, a Praça das Mil Colunas, e o Campo de Jogos dos Prisioneiros -ainda podem ser admiradas e são demonstrativas de um extraordinário compromisso entre a composição e espaço arquitetônico. A pirâmide foi o último e, sem qualquer dúvida, o mais grandioso de todos os templos da Civilização Maia. Estima-se que Chichén Itzá tenha sido fundada por volta dos anos 435 e 455 AC. Foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 1988. A cultura maia continua presente na zona através das inúmeras comunidades indígenas que conservam tradições, religião e organização social.

Akumal

É um destino turístico de baixa densidade hoteleira e residencial. Situa-se a 37 km de Playa del Carmem e a 102 km de Cancún. A lagoa de Yalkú situa-se a norte da povoação e é uma opção para a prática do snorkeling, tal como são os recifes próximos da praia, onde é possível avistar tartarugas, grandes pampos e barracudas.

Ao noroeste existem vários cenotes para a prática do mergulho (Cave Diving) e natação. A visibilidade da água nos cenotes pode chegar dos 100 aos 200m. Os principais cenotes da região são: Dos Ojos, Tak Seja Há, Car Wash, Mayan Blue, Gran Cenote, Chac Mool, Taj Mahal, dentre outros.

Cozumel

Esta ilha está situada a 40min de Ferry do píer de Playa del Carmem. O ferry sai de hora em hora com valor médio de U$ 28 o bilhete de ida e volta, indo pela Cia Ultramar, com grandes barcos munidos de bares, ar condicionado e atrações musicais locais. A ilha tem cerca de 60km de extensão e para conhecê-la, basta alugar um scooter ou um carro econômico, onde o aluguel incluindo seguro, sai em torno dos U$ 35 por dia, tempo suficiente para rodar toda a ilha fazendo paradas.

A ilha não tem ônibus e taxi é mais caro que em Playa e Cancún. Os restaurantes e bares são inúmeros, o que torna a noite bem agitada nessa pequena e bela ilha.

A principal atividade praticada em Cozumel é o mergulho com preço bem acessível (cerca de U$ 60 com dois cilindros) e praticado pelas diversas operadoras de mergulho, que em cortesia (algumas operadoras como a Scuba Mau, localizada ao lado do hotel Villablanca) oferecem mergulhos ilimitados de praia.

Isla Mujeres

Esse paraíso está a 20 minutos de Ferry saindo de Cancún, sendo um lugar excelente para se tomar banho de mar nas suas águas azul celeste, pegar um bronze, ou mergulhar.

O ferry para ilha pode ser pego em Playa Tortugas ou Puerto Juárez, com valor médio de U$ 20 o bilhete de ida e volta pela Ultramar. O lado norte da ilha é o mais bonito e bom para prática do snorkeling, porém é no sul que estão as principais operadoras de mergulho da ilha. É exatamente entre Isla Mujeres e Holbox, que se pode encontrar nos meses de junho ao início de setembro, os enormes e dóceis Tubarões-baleias. Dependendo da sorte, o mergulhador pode avistar de uma só vez, até 100 tubarões baleia em uma mesma área.

É um mergulho fascinante e imperdível, cujo valor médio gira em torno dos U$ 199, partindo de Cancún e saindo no início da manhã (7hs) e retornando na metade da tarde (14:30hs). Porém, há uma agência de turismo local, situada em frente ao hotel RIU, que realiza as saídas com um preço melhor para o mergulho com esses magníficos animais. A Álvaro Tours, que cobra para se mergulhar com os “pintados” (Tubarões) apenas U$ 120, incluindo transfer no hotel de ida e volta, água, refrigerantes e lanche. Por esse motivo, que o Álvaro é conhecido em Cancún como “O Cara”, pois seus preços são realmente imbatíveis para passeios, excursões e entradas de shows noturnos.

Características da região

O relevo ao longo da costa é plano (com exceção da zona arqueológica de Tulum) e coberto com um bosque subtropical seco ou mangue baixo. O litoral oferece vários tipos de areia, bem como recifes de coral. A rocha que constitui esta região, tem a particularidade de ser permeável o que levou à formação de numerosas redes de grutas e galerias subterrâneas. Em locais onde o nível dos lençóis freáticos é mais alto, as grutas ficam cheias com água para formar cenotes.

Os idiomas mais falados são o espanhol e o inglês, embora em vários povoados seus habitantes se comuniquem em dialetos maias.

Gastronomia

Para repor as forças, na Riviera Maia você irá encontrar todo o tipo de restaurantes para comer o que quiser. A gastronomia mais típica desta zona é baseada no peixe e nos mariscos, embora os tacos, fajitas, burritos que faz com que parte da culinária mexicana estejam bem presentes em alguns restaurantes. A presença de fast foods como McDonald’s, Pizza Hut, Subway, KFC e outros é notória na região.

Mergulho

Na Riviera Maia você poderá mergulhar em lagunas, grutas subterrâneas, nos recifes, em mar aberto, e tudo isto sob o controle de profissionais.

Playa del Carmen, Akumal, Cancún e Isla Mujeres são lugares onde você vai poder praticar esta atividade, embora a meca do mergulho na região fique situada na Ilha de Cozumel.

A Ilha de Cozumel é considerada como um dos 3 ou 4 melhores lugares do planeta para a prática do mergulho com ou sem cilindros. O Parque Nacional Marinho Arrecifes de Cozumel e o Recife Palancas são dois dos mais importantes lugares para a prática do mergulho nesta paradisíaca ilha mexicana. A visibilidade pode alcançar os 60m em alguns pontos, sendo possível avistar mais de 500 espécies de peixes, tartarugas, moréias, garoupas, arraias, tubarões e corais delicados e coloridos. A profundidade dos mergulhos gira em torno dos 10 ao 30m, com águas mornas na maior parte do ano.

Principais pontos de mergulho

Akumal Beach – Ideal para se encontrar grandes tartarugas verdes se alimentando de algas, ou então barracudas caçando pequenos peixes, podendo ser feita de snorkel ou cilindro.

Dos Ojos – Cenote de mergulho mais simples e raso (cerca de 10m) para quem não tem certificação de caverna, e é pelo menos Advanced Open Water Dive. Situa-se na beira da rodovia principal que vai de Playa del Carmem para Akumal, sendo facilmente identificado por uma enorme placa com fotos do Cenote.

A visibilidade local é de 100m podendo encontrar diversas formações de estalactites, fósseis e outros mais. O valor do mergulho em cenotes gira em torno dos U$ 110 para dois cilindros e U$ 60 para um cilindro. Esse mergulho não é feito em áreas com restrições.

Para quem tem certificação de caverna pode aproveitar e mergulhar em áreas mais profundas e com restrições.

Paso del Cedral – Situado em Cozumel se caracteriza por um mergulho profundo de paredão com forte correnteza – Drift (comum nos mergulhos em Cozumel), onde se pode observar peixes de maior porte como meros, garoupas, barracudas, tubarões cinzentos de recife, tubarões touro, lambarus, tartarugas, frades enormes, moréias verdes, lagostas e grandes formações de corais.

Yucab – Localizado ao sul de Cozumel é ideal para quem quer encontrar frades cinzas e ciliares. É um mergulho mais raso com profundidade média de 15m. Devido à corrente ser mais fraca nesse ponto, podemos encontrar uma grande riqueza de vida macro, como camarões limpadores, nudibrânquios, caranguejos-aranha, poliquetas e outros. As formações de corais pétreos e moles é acentuada, como também a presença de esponjas variadas.

Palancar Reef – A visibilidade é enorme nesse ponto, chegando facilmente aos 60m. Seus cânions e cavernas abrigam grandes ciliares, frades, tartarugas de pente, e até mesmo a presença inusitada de um tubarão. A profundidade média é de 18m e situa-se em Cozumel.

Paradise Reef – É um dos principais mergulhos de Cozumel, propício para quem gosta de foto-sub, devido à grande riqueza de corais e vida macro. O toadfish (peixe endêmico da região) pode ser encontrado nesse ponto para quem tiver no dia de sorte. A profundidade média para mergulho gira em torno dos 14m.

Isla Mujeres – Pode ser também ponto de partida para o mergulho com os enormes tubarões-baleias, e mergulho no arrecifes de Cancún. Ao sul dessa ilha, encontram-se as principais operadoras. Uma das atrações, é o mergulho no Museu Subaquático, o mergulho com os tubarões adormecidos (Lambarús) em Punta Sur e o mergulho com golfinhos no El Garrafón.

Outros pontos para se conhecer

Outros mergulhos para ser apreciados são: Villablanca Reef, noturno no píer Blanca e no píer do Hotel La Ceiba, Chankanaab, Tormentos, San Francisco Reef, Santa Rosa, Columbia Reef e o naufrágio do navio C53.

Dicas

  • Para se chegar a Riviera Maia partindo de São Paulo, existem três possibilidades. Saindo com destino à Cidade do México, via Panamá ou por Miami, e depois pegar um vôo com destino à Cancún;
  • Chegando no aeroporto de Cancún, pode-se pegar um táxi, transfer ou um ônibus da ADO, que por sinal tem ótimo serviço, com uma frota de ônibus de luxo possuindo TV, vídeo e ar condicionado e preços bem mais acessíveis que os transfers. A ADO têm rota para Cancún e também para Playa del Carmen;
  • Para ingressar no México, é necessário ter um visto mexicano ou americano, ou então através de uma autorização eletrônica, a chamada SAE, que é preenchida e retirada no site do consulado mexicano (bem simples de tirar) que foi criada recentemente para minimizar a problemática da retirada do visto no Brasil.
  • A entrada nos sítios arqueológicos custam em média U$ 6;
  • São várias as empresas para aluguel de automóveis como Álamo, Hertz, Budget, Avis e outras com preço para carro econômico custando em torno dos U$ 45 com todas as taxas e seguros.
  • São muitas as lojas de grife, shoppings e restaurantes na região, com preços bem acessíveis e para todos os gostos.
  • A eletricidade local é de 127 V e a água da torneira não é potável para beber.
  • Fuso horário de -2 horas em relação à Brasília;
  • A moeda local é o Peso Mexicano com as siglas MXN. Um Real equivale a MXN$ 8,00 (em agosto de 2011), e o dólar é amplamente aceito e utilizado na região. Um dólar vale em média MXN$ 11,00.
  • Deve-se evitar os meses de agosto, setembro e outubro, pois são os meses em que mais se têm a presença dos furacões.

A Riviera Maia é sem dúvidas um destino ideal para se aproveitar as férias, para se mergulhar, fazer compras, e principalmente, para se aprender mais sobre a cultura rica da civilização que foi dizimada em troca do ouro.

Ruver Bandeira

Natural de Fortaleza-CE, é graduado em Geografia, Especialista em Educação, Gestão Escolar, e já participou como facilitador de cursos em educação ambiental.

Além de fotógrafo subaquático, é Rescue Dive pela PADI, e iniciou sua paixão pelo mergulho e fotografia no ano de 1998, após uma viagem realizada ao arquipélago de Fernando de Noronha.

Já escreveu diversos artigos para publicações especializadas em mergulho, registrando suas viagens com o objetivo de mostrar as belezas naturais como a importância da preservação.