SDXC – Os novos cartões de memória e que irão substituir o Blu-ray. Será ?

Para quem não conhece a CES, ela é uma exposição criada pela Consumer Electronics Association (CEA), cujo objetivo, é promover a indústria de tecnologia, contando com mais de 2.500 representantes em design, desenvolvimento, fabricação e distribuição de produtos eletrônicos de consumo de todo o mundo.

Na última edição, ficou claro que o filme da era digital, os cartões de memória, foi um dos principais atrativos, onde inclusive, dois dos grandes fabricantes de cartões mostraram que irão abandonar os formatos de cartões de suas autorias e adotando o padrão SD Card.

Empresas como a Sony, por exemplo, apresentaram novos modelos de câmeras de foto e vídeo, que ao invés de utilizarem os famosos cartões Memory Stick Duo, passam a usar cartões SD e Micro SD. A Sony parece finalmente aceitar que os cartões SD são encontrados na maioria das câmeras e o que Memory Stick, é um dos motivos para que muitos consumidores não venham a comprar seus produtos. A Sony inclusive, anunciou que irá comercializar a sua própria linha de cartões de memória SD.

Juntando-se ao movimento SD, a Olympus, apresentou novas câmeras que utilizam cartões SD ao invés do xD-picture.

Para fotógrafos e videomakers que não podem ter problemas com a falta de armazenamento, a Panasonic apresentou os cartões SDXC com 48 e 64Gb. A linha SDXC é a próxima geração após o SDHC, mantendo o tamanho de cartões de memória SD. Os cartões SDXC são fabricados com capacidades superiores a 32Gb, e irão chegar aos 2TB, segundo o fabricante.

A Canon aprovou o formato SDXC, e tudo leva a crer, que este novo formato entrará forte no mercado.

Os modelos RP-SDW64GE1K (64Gb) e RP-SDW48GE1K (48 Gb) são os cartões com maior capacidade da Panasonic e com velocidade de transferência de dados de até 35 megas por segundo. Tais cartões serão introduzidos mundialmente em fevereiro, com preços sugeridos entre US$ 450 e 600 respectivamente.

O cartão SDXC de  64Gb é adequado para a gravação de vídeo AVCHD de alta definição, ou ainda, fotos no formato RAW. Quando utilizado com câmaras de vídeo como a Panasonic HDC-TM55, esse cartão de 64Gb poderá gravar até 8:30hs de vídeo em alta qualidade Curiosamente, os cartões com 48Gb de capacidade, possuem quase a mesma capacidade que um Blu-Ray dual-layer, que como já mencionei em outro artigo, não vejo futuro no Blu-Ray, pois a tendência mostra que ele irá sumir do mercado muito em breve.

Particularmente não recomendo a ninguém comprar este aparelho, pois o aparelho é caro e não é fácil encontrar um vídeo em Blu-Ray, e em 1 ano, você não terá o que fazer com ele. As TV´s terão uma entrada para inserir o cartão e instantaneamente você terá acesso aos dados do cartão. O futuro já mostra que nossas TV´s terão conectividade wireless ou Bluetooth diretamente com nossos dispositivos, como câmeras de vídeo e foto por exemplo.

Já existe no mercado um cartão de memória chamado Eye-fi, que permite acesso via wireless com outros dispositivos (Veja mais no site do fabricante Eye-Fi – www.eye.com).

Para a fotografia, todas as câmeras da Panasonic da linha Lumix, já serão compatíveis com os cartões SDXC.

O cartão de 64Gb poderá captar até 18.240 imagens, enquanto o cartão de 48Gb armazenará até 13.470 imagens, utilizando uma câmera configurada para 12 megapixels.

O futuro da fotografia e do vídeo, muda a cada momento, e cada vez que observo  alguma novidade nesse mercado, me faz lembrar de um vendedor de uma antiga de revelção de cromos e fotografia, no Rio de Janeiro, quando me disse anos atrás, que a fotografia digital era modismo, e que as câmeras digitais jamais teriam a mesma qualidade de um cromo.

Clecio Mayrink

Nascido no Rio de Janeiro, ingressou no mergulho em 1987 pela CMAS e realizou Dive Master em 1990 pela PADI. Hoje é mergulhador Técnico Trimix (Mergulho Profundo) e de cavernas (Technical Cave Diver e Advanced Cave Side Mount / No Mount).

Foi membro da expedição de mapeamento da Lagoa Misteriosa em Bonito-MS em 2008, idealizador do site Brasil Mergulho em 1998 (MTB 0081769/SP) e atuou como consultor para a ONU, UNESCO, Segurança Pública, além de diversos órgãos públicos no Brasil.