Siqueira Campos

Data: 25/08/1943

GPS: 04º 10,728 S / 38º 00,827′ W

Localização: Localizado a menos de 30min de barco pelo mar de Uraú.

Profundidade (m): 12

Visibilidade (m): 2 – 15

Motivo: Colidiu contra o navio Cuiabá

Estado: Desmantelado

Carga: Passageiros

Tipo: Cargueiro

Nacionalidade: Brasil

Dimensões (m): 132.2 / 15.4

Deslocamento (t): 6.465

Armador: Lloyd Brasileiro

Estaleiro: Reiherstiegwerft – Hamburgo

Propulsão: Vapor

Fabricação: 28/08/1907

Notas:

No início da guerra, antes do Brasil se declarar aliado, o Siqueira Campos já havia sido apreendido pela marinha inglesa porque transportava armamento comprado na Alemanha.

Em 1943, o navio navegava à noite sob escolta na região de Aracati junto com outra embarcação. Segundo a história, alguém transmitiu qualquer coisa sobre submarino alemão na área e algum tipo de desentendimento fez com que se entendesse que um U-Boat estaria realizando um ataque.

Devido a confusão, os navios se chocaram. O Siqueira Campos ainda fazendo água, tentou chegar a Fortaleza-CE, mas quando o comandante viu ser impossível, realizou um “break” (virada) à esquerda e encalhou o navio. Como disse Mark Twain, entre a verdade e a lenda, o bom jornalista publica a lenda. Daí surgiu essa fantasia passada de boca em boca sobre o torpedeamento.

Durante os dias que se seguiram à colisão, embarcações menores foram utilizadas para transferir a carga e levá-la até o porto.

Sabe-se que as partes salvas do navio Siqueira Campos, foram removidas na ocasião, como quantidade de chapas do costado, sendo posteriormente utilizadas por um estaleiro de Fortaleza, para construir uma embarcação de aço. A primeira embarcação construída e utilizando-se as chapas do Siqueira Campos, ao virar a ponta do Mucuripe e encarar o mar menos abrigado, afundou com a primeira onda.

Fonte: Associação Brasileira de Pilotos de Caça (ABRA-PC)

Mergulho

O naufrágio oferece excelentes condições de mergulho. Diversas ferragens ficam expostas na maré baixa, principalmente a parte do leme.

GPS fornecido por Luciano Moreira

Imagens:

Redação

Se você possui mais informações sobre o assunto acima, entre em contato com a nossa equipe e ajude a tornar este site ainda mais completo. Isso ajudará os mergulhadores e todos aqueles que estiverem buscando por mais informações.